Independência Argentina é comemorada  em anfiteatro na montanha de pedra

Momento de compromisso cívico, dia 9 de julho, é lembrado por músicos e cantado por argentinos dentro de formação geológica

O dia 9 de julho é o dia da Independência da Argentina e é amplamente comemorado em todo o país. Em Cafayate, na Província de Salta não foi diferente. Crianças preparando as bandeirinhas em azul e branco para colocar nas janelas e nas portas das casas, pessoas com camisas da Seleção Argentina pelas ruas e um sentimento patriótico incomum em épocas de globalização transnacional.

Por Paulo Atzingen, de Salta*


Na Rota Nacional 68 entre Cafayate e Salta, a paisagem é formada por canions, vales e montanhas e serve para inundar as timelines dos viajantes, tamanha é a beleza da região.  No vale das conchas, chamado aqui de quebrada de las conchas – no quilômetro 30 da rodovia –  ergue-se uma fenda de cerca de 80 metros entre dois grandes paredões  –  ponto de parada obrigatório dos viajantes.

Nas janelas e nas portas das casas, pessoas com camisas da Seleção Argentina pelas ruas e um sentimento patriótico incomum em épocas de globalização transnacional.

El Anfiteatro

Parecia um encontro marcado: chegamos juntos com outros automóveis, micro-ônibus e gente de carne e osso – a uma área não oficialmente protegida, mas resguardada pela comunidade Indígena Suri Diaguita, chamada El Anfiteatro. A placa indicava “Sítio Sagrado – Centro de Observacion y Estudos de la Cosmovision Diaguita – Una Puerta ao Supramundo“.

Em castelhano e em português

Excepcionalmente neste sábado, muitos argentinos de Salta e Cafayete comemoravam a Independência de 1816 e o fluxo de pessoas era acima do normal. Os rostos estupefatos são dignos de nota. A capacidade da natureza em esculpir uma obra-prima era reconhecida pelos visitantes assim: uau, ohh, incrível, magnífico...em castelhano e em português.

Artistas Diego e Lionel – ambos se apresentaram assim depois, em reverência aos ídolos Maradona e Messi

Sons de uma viola e um bandoneón são ouvidos e tomam conta do espaço, enquanto os visitantes chegavam,  fotografavam e se confraternizavam diante da obra natural. Famílias, casais, grupos de amigos e excursionistas viviam seu momento pachamama (mãe terra) quando ouvem os primeiros acordes do hino nacional argentino, também conhecido como Cancion Patriótica. Em uma atitude de respeito civil, todos passam a cantar, e todos, argentinos e brasileiros, se emocionam com o grande momento:

Sean eternos los laureles (Que os louros sejam eternos)
Que supimos conseguir (Que saibamos como alcançar)
Que supimos conseguir (Que saibamos como alcançar)
Coronados de gloria vivamos (Coroados de glória vivamos)
¡O juremos con gloria morir! (Ou juremos pela glória morrer!)

Assista o registro (assista até o fim!):

Ondas supra-reais 

Os dois artistas, Diego e Lionel – ambos se nomearam assim depois, em reverência aos ídolos Maradona e Messi – conseguiram em três minutos encher de orgulho o coração dos argentinos neste 9 de julho e, misteriosamente, encher de ondas supra-reais o coração da montanha de pedra.


*O jornalista viajou a Salta convidado pelo governo da Província de Salta com Seguro GTA.

“Somente aqueles que viajaram com Astor Piazolla podem entender a altura, a largura e a profundidade das montanhas Argentinas ” (Paulo Atzingen) – Salta, 9 de Julho, dia da Independência Argentina.

LEIA TAMBÉM:

Salta: reportagem misturada com poema em uma terra alta

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial