12 de maio: 90 anos da Primeira Viagem Aérea Comercial do Atlântico Sul

Nos dias 12 e 13 de maio de 1930, às 21 horas e alguns minutos, Jean Mermoz concluiu sua primeira viagem aérea comercial do Atlântico Sul, tornando-se assim, um dos heróis da aviação.  Esse ano completa-se 90 anos desde o feito de Mermoz.
AGÊNCIAS COM EDIÇÃO DO DIÁRIO
—————————————

Esse momento histórico foi importantíssimo para a história da aviação. A bordo do hidroavião Laté 28-3,o aviador francês, acompanhado pelo navegador Jean Dabry e pelo técnico de rádio Léopold Gimié, percorreu quase 3.500 quilômetros que separam Saint-Louis (Senegal) de Natal no Brasil, com 130 quilos de correspondência a bordo, em quase 24 horas de viagem. Mermoz foi responsável por estabelecer linhas aéreas regulares entre França, Espanha, Marrocos e Senegal, que ele sonhava em estender para a América do Sul.

Em 1930, Mermoz, conhecido também como “O Arcanjo” já havia realizado várias façanhas na Aéropostale, como os primeiros voos noturnos entre o Rio de Janeiro e Buenos Aires e o sobrevoo da perigosa cordilheira dos Andes.

Na época, as correspondências entre a África e a América do Sul eram transportadas por navio em uma jornada de quatro dias. As regulamentações francesas proibiram o voo comercial sobre o Atlântico por razões de segurança. Por isso, foi necessário transformar o Latécoère-28 em um hidroavião, equipando-o com flutuadores e motores reforçados.

Coincidentemente, Saint-Exupéry, um grande amigo de Mermoz e camarada piloto, faria no mês de junho, 120 anos. Jean Mermoz frequentava a “LA GRANDE VALLEE”, em seus descansos nas escalas do Rio de Janeiro, quando convidado por Marcel Reine, outro brilhante piloto da Latécoère, que possuía a antiga fazenda, em Itaipava, Petrópolis. Hoje sendo de propriedade de José Augusto Cavalcanti Wanderley, que promove visitações a casa histórica desde 2017.

Integrantes da pioneira jornada em foto histórica (Arquivo pessoal de José A. Wanderley)

Jean Mermoz veio a falecer em 1936, aos 35 anos, já como inspetor da Air France, ele e sua tripulação vieram a desaparecer no Atlântico, durante a sua 25ª travessia do Atlântico Sul, a bordo de um hidroavião Laté 300, até então sendo o maior equipamento já construído na época, com quatro motores da marca Hispano-Suiza, embora considerado um equipamento não confiável em suas operações de voo.

Seu amigo e piloto Antoine de Saint-Exupéry delineou o perfil de Mermoz como um homem ardente, corajoso, e de grande nobreza.

———————————————-
La Grande Vallée fica em em Itaipava (RJ).
Avatar
Redaçãohttps://www.diariodoturismo.com.br
Primeiro e-Diário de Turismo do Brasil

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

GOL lança check-in por WhatsApp

A GOL Linhas Aéreas acaba de anunciar que disponibiliza nesta sexta-feira (3), novas funcionalidades em seu atendimento via WhatsApp, dando um primeiro passo para...

Rio Othon Palace otimiza quartos para oferecer serviço de Room-Office

O Rio Othon Palace otimizou parte dos seus quartos para oferecer o serviço de Room-Office a sua clientela corporativa. EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências A iniciativa...

Selo Turismo Responsável dá tranquilidade aos hóspedes na rede Bourbon

Os protocolos de higiene e segurança adotadoS nos hotéis resgatam a confiança do hóspede no retorno aos empreendimentos e aos seus dias de relax....

Comércio e Serviços de SP poderão abrir por 6 horas, em 4 dias úteis

O governo de São Paulo vai dar uma segunda opção de funcionamento para os estabelecimentos comerciais autorizados a operar nas regiões do estado que...

Costa Cruzeiros mantém paralisação global até 15 de agosto de 2020

A Costa Cruzeiros acaba de anunciar que estende a pausa voluntária de suas operações globais até o dia 15 de agosto de 2020 e...

Nasci há 10 mil anos atrás – por Werner Schumacher*

Como diria o Mestre Seixas, não é a minha praia, mas a canção te leva a cantá-la e reconheço isto, assim como acabo muitas...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias