Grupo Rio Quente implementa sistema que reduz gastos com energia

A escolha pelo mercado livre de energia teve como principal motivação o menor custo e a utilização de uma energia mais limpa

Agências com Redação do DIÁRIO

O Grupo Rio Quente, controlado pelas holdings Algar e FCL Participações e Investimentos S.A., informa que atingiu 47% de economia energética após migrar do mercado cativo para o mercado livre de energia. A diferença entre os dois tipos está em sua origem: consumidores livres compram energia diretamente dos geradores ou comercializadores, enquanto os consumidores cativos compram de concessionárias de distribuição. A nova medida garantiu, também, a redução no consumo de diesel dentro do complexo.

A escolha pelo mercado livre de energia teve como principal motivação o menor custo e a utilização de uma energia mais limpa. No modelo de energia incentivada, escolhido pela empresa, o Governo brasileiro estimula a expansão de geradores de fontes renováveis limitados a 30 MW de potência, como pequenas centrais hidroelétricas, biomassa, eólica e solar. Os compradores de energia proveniente destes geradores recebem descontos na tarifa de uso do sistema de distribuição, o que acarreta na melhor gestão de recursos no complexo.

 Resultados

A migração, que teve início em junho de 2016, já apresentou resultados: após a mudança, foi observada uma redução no custo pago de aproximadamente R$ 1.7 milhão, em oito meses, além de uma redução expressiva no consumo de combustível dos geradores de dentro da área do complexo, que funcionavam de segunda a sexta-feira, em horário de ponta (das 18h às 21h) por conta dos custos do mercado cativo, e que, agora, funcionam apenas quando falta energia da distribuidora. Quando comparados, o ano de 2016 teve um consumo de diesel 88% mais baixo que o anterior (foram cerca de 201.021,14 litros de diesel a menos). O consumo de gases também foi menor e apresentou redução de 492 tCO2e de Gases de Efeito Estufa.

 

 

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Cinco perguntas Sem Censura para Daniel Bicudo, diretor de MKT da Azul

O jornalista Fábio Steinberg, parceiro do DIÁRIO em seu blog TURISMO SEM CENSURA, entrevista este mês o diretor de Marketing e do Programa Tudo...

Governo Francês apresenta uma atualização sobre o desconfinamento no país

Considerando a evolução satisfatória do controle da  epidemia em território europeu, novas medidas foram adotadas após as decisões tomadas no dia 15 de junho...

Air France-KLM aumenta operação para Europa em setembro e outubro (veja aqui!)

 A Air France e a KLM seguirão expandindo gradualmente suas operações entre o Brasil e a Europa nos meses de setembro e outubro. As...

Indignados com governo do Rio, Guias de Turismo voltam às ruas

Transcorridos 30 dias desde a reunião em que o Governo do Estado do Rio de Janeiro, através da Secretaria de Turismo do Estado do...

Rio de Janeiro decide se terá Carnaval 2021

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Escolas de samba do Rio de Janeiro vão discutir nesta terça-feira os desfiles do Carnaval de 2021 diante da...

O que é um vinhateiro? – por Werner Schumacher*

O que é um vinhateiro? É a tradução portuguesa do termo Vigneron. É aquele que cultiva a sua uva e produz o próprio vinho, além...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias