O vírus do assuntinho nas associações de Turismo: profilaxia e tratamento

Eduardo Mielke*

Você já participou de uma reunião, em alguma Associação de Turismo de sua Cidade, onde o resultado ficou aquém daquele pretendido? Um dos prováveis motivos pode ser o Vírus do Assuntinho. Cuidado com ele! Esta é a pauta de hoje.

Imagine a cena em que o presidente da Associação de Turismo abre os trabalhos e coloca em debate o estabelecimento do número de Stands da Feira Anual Agropecuária da Cidade. Imediatamente alguém pede a palavra, ou se atravessa, reclamando que o patrocinador até agora não havia dado resposta. Quando este termina, outro alguém aproveita complementando que o Prefeito esteve na Secretaria Estadual de Agricultura do Estado para falar da feira e, em seguida, o que está ao lado enfatiza o quanto os produtores estão animados com o evento. Quanto há uma pequena pausa, outro participante questiona do porquê que neste ano não terá o Parque de Diversões. Lá na ponta da mesa, alguém retruca afirmando que os banheiros químicos serão fornecidos pelos empresários e  no meio disso tudo, sai uma proposta muito boa! Mas, ninguém ouve, pois as pessoas estavam falando ao mesmo tempo um outro assunto. “Mas e os Stands, ficou estabelecido algo? Puxa…!

 Assuntinho refere-se a qualquer informação, ideia ou fala que não diz respeito ao que está se tratando efetivamente naquele instante. Imperceptível, ligeiro e esguio é um ser não-vivo que destrói muito mais do que reuniões

Aprendi esse termo ao longo dos anos de assessoria. Assuntinho refere-se a qualquer informação, ideia ou fala que não diz respeito ao que está se tratando efetivamente naquele instante. Imperceptível, ligeiro e esguio é um ser não-vivo que destrói muito mais do que reuniões. É um Vírus que afeta diretamente e profundamente a autoestima dos associados e das Associações de Turismo que não percebem mais resultados contundentes nos seus trabalhos. Sem produtividade, corre-se o risco de não serem mais entendidas como instrumentos para melhorar o turismo no município. Além de fazer algumas entidades virarem para si mesmas, é um dos principais motivos da baixa participação da iniciativa privada no terceiro setor. E isto é muito recorrente.

Aqui vão orientações para combater o Assuntinho e melhorar a eficiência das reuniões: 1º Antes de começar a reunião o Presidente deve combinar sobre o perigo do Vírus do Assuntinho. É dele a função de combate, mantendo a reunião no rumo da pauta. Combinado não custa caro. 2º Reunião boa é reunião respeitosa onde não se fala junto. Além de desagradável, perde-se informações na medida em que simplesmente, não se consegue ouvi-las. 3º Se algum dos itens de pauta é polêmico, discuta-os antes em Câmaras Técnicas (CTs), que trarão somente opções – já debatidas – para serem votadas em assembleia. 4º Salvo em casos especiais onde não se dispõem das informações/pessoas necessárias para que se possa tomar uma decisão correta, a reunião não avança sem que o assunto da pauta em questão tenha sido resolvido, votado (e registrado). 5º Reuniões devem ter uma Pauta previamente conhecida, com poucos e bons itens. Não devem durar mais que duas horas (incluindo o tempo para o café). Muitos itens cansam, dispersam e perdem a qualidade do debate em si, não aproveitando qualitativamente o know-how de cada um, além de ser alimento certo para o Vírus. Pense nisso.

Dúvidas em como melhorar mais os processos de gestão da sua Associação de Turismo? Pergunte.

Eduardo Mielke, Dr.

Desenvolvimento Turístico Responsável
Uerj/Dtur
Sistema Municipal Turístico -SIMTUR
Gestão Pública Inteligente.

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial