ABIH-MG registra fechamento e paralisação de hotéis em Minas Gerais. Em BH 11 suspendem atividades

  • Até o momento, em Belo Horizonte11 hotéis suspenderam suas atividades e dois paralisam nos próximos 15 dias; 30% dos funcionários do setor já foram desligados. A estimativa é de três mil empregos comprometidos e, após 20 de abril, mais cinco mil;
  • Presidente da Associação afirma que cenário crítico dos hotéis se deve a demora na tomada de decisões pelo governo; a expectativa é que no dia 1º de abril mais 20 empreendimentos finalizem suas atividades. 
  • Proprietários de hotéis e pousadas falam do cenário de apreensão e incertezas

AGÊNCIAS COM EDIÇÃO DO DIÁRIO

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Minas Gerais (ABIH-MG) está preocupada com os impactos severos da pandemia do Covid-19 na rede hoteleira do estado. A Associação já registra o fechamento e a paralisação de hotéis e pousadas em várias cidades mineiras e o desligamento de 30% dos funcionários do setor – uma estimativa de três mil empregos comprometidos e, depois do dia 20 de abril, serão mais cinco mil – mostrando que a hotelaria está isolada pelo governo nesse cenário desolador, como afirma o presidente da ABIH-MG, Guilherme Sanson. A pandemia continua gerando impactos diretos em todo setor de Turismo, sendo que, no caso dos hotéis, já foi registrado o cancelamento de mais de 70% das reservas. Em Belo Horizonte e região, já anunciaram o fechamento das atividades os hotéis Fasano, BHB, Quality Pampulha, Classic, BH Plaza, Bristol Merit, ESuites Lagoa dos Ingleses, San Diego Barro Preto, Intercity BH Expo, Boulevard Express e Boulevard Park. A previsão é que no dia primeiro de abril, mais 20 empreendimentos finalizem suas atividades. Alguns hotéis como o OYO Amazonas Palace e o BH Boutique Hostel vão paralisar as atividades pelos próximos 15 dias. Para Sanson, o cenário de fechamento e paralisação dos hotéis só pode ser revertido com a tomada de decisões mais rápida do governo, como a isenção do IPTU e ICMS e a redução do ISS, enquanto durar a pandemia do Coronavírus.

Mesmo com o posicionamento ativo da ABIH-MG para manter o diálogo com o governo, os pleitos da hotelaria, diante do que se tem visto, ainda precisam ser concretizados. “Acredito que muitos trabalhadores perderão seus empregos, muitos hotéis estão fechando ou irão fechar com a demora nas definições do governo, ainda que elas sejam difíceis, pois envolvem a parte econômica e financeira. O governo está contando com uma receita que não vai existir e as consequências serão mais trabalhadores afetados, assim como toda a cadeia do Turismo e isso tende a se avolumar cada vez mais”, adverte Sanson. Além disso, o presidente da ABIH-MG acredita ainda que, no caso desse setor especificamente, que vem sendo mais penalizado, será necessária a suspensão dos contratos de trabalho para dar fôlego ao empresariado. Com isso, os funcionários que forem suspensos ou que tiverem seus direitos trabalhistas revogados neste momento, continuarão com a garantia dos empregos após a pandemia. Sanson destaca que isso impactará diretamente na sustentabilidade, saúde e no planejamento de investidores, hoteleiros e empreendedores.

Muitas incertezas

Hotéis e pousadas associados à ABIH-MG estão sentindo de forma avassaladora os impactos da pandemia do Covid-19, que envolve a proibição de eventos, viagens e a realização de quarentenas, o que vem impactando as cidades de formas diferentes. Maria do Carmo Janot Vilhena, proprietária da Pousada Villa Allegra, em Tiradentes, disse que, diante do cenário de pandemia, a Associação Empresarial em Tiradentes apoiou a decisão da maioria das entidades e pediu ao prefeito o “fechamento” da cidade. “O prazo, por enquanto, é de 15 dias, mas pode se estender. Estamos, todos, frente a ‘uma escolha de Sofia’. De qualquer lado em que nos posicionarmos o sofrimento virá. De toda forma, estamos sujeitos a liberação da prefeitura”, lamenta.

Joice Furtado, sócia e proprietária da Pousada Sossego da Pampulha, em Belo Horizonte, disse que os funcionários irão entrar em férias coletivas a partir do dia 27/03, com o planejamento de reabrir em 26/04. “As atividades foram paralisadas desde segunda, 23, e estes quatro dias estão sendo considerados como afastamento remunerado, para serem compensados. O impacto será imenso sobre as empresas como a nossa. O hotel está fechado e sem receitas e há uma grande preocupação para quitar todas as despesas fixas, sem falar dos salários dos funcionários. Após o lockdown, a economia demorará a reagir, considerando que já estava bem fragilizada antes da pandemia. Sobre IPTU, que é altíssimo em Belo Horizonte, tem sido cogitado postergar o pagamento, seria possível uma renúncia da PBH durante este período, bem como os impostos federais”?, pergunta a empresária. Ela argumenta que o mais importante é manter as empresas atuantes para continuar gerando impostos e preservando empregos.

Farley Aquino Rodrigues Alves, diretor do Dubai Suítes, em Montes Claros, diz que a prefeitura decretou que desde o dia 23/03 todos os hotéis estão proibidos de fazer novos check-in até 14/04, de forma que todos os empreendimentos estão com as atividades suspensas e o descumprimento leva a multa e cassação do alvará de funcionamento. “Acredito que assim como nós, ninguém sabe qual caminho seguir devido às várias especulações e, nesse caso, estamos seguindo as orientações do município. A partir de abril, vamos manter uma equipe mínima para fazer a manutenção do hotel, e diariamente buscar entender como as coisas vão se acomodando para novas decisões”, enfatiza.

Já Rosana de Jesus Ferraz, proprietária do Hotel Ferraz, em Pouso Alegre e representante de hotelaria independente do Sul de Minas na ABIH-MG, informa que está com os hotéis abertos, porque não foi colocado nenhum decreto pela prefeitura. Alguns hotéis fecharam por conta própria e o Ferraz ainda está aberto porque possui 30% de ocupação com mensalistas e demanda alta de reservas por profissionais da saúde e pessoas que estão em quarentena distante do ambiente familiar. O Hotel Ferraz possui uma unidade em Cambuí que está fechada e “o clima é de bastante ansiedade, assim com em todo o Brasil e também no mundo”, ressalta Rosana. Ela acrescenta: “Temos fé de que tudo vai passar, mas estamos muito assustados, pois conseguimos manter esse formato de 30% por um mês, mas as coisas estão ficando esquisitas. Todos os cuidados devidos estão sendo tomados com hóspedes e trabalhadores. A equipe foi reduzida, sendo que 20% dos funcionários estão em casa em férias ou banco de horas”, diz.

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Grupo Iberostar inicia reabertura de hotéis e reforça segurança sanitária

De forma escalonada, a reabertura de uma seleção de hotéis do Grupo Iberostar acontece a partir da segunda quinzena de junho garantindo protocolos de...

Portugal recebe o Selo ‘Safe Travels’ do World Travel & Tourism Council

Este selo visa reconhecer destinos que cumprem protocolos de saúde e higiene alinhados com os Protocolos de Viagens Seguras emanados pelo WTTC, ajudando, sobretudo,...

Três perguntas para Sanfo Boubakar, diretor da ClassTraining, sobre treinamento na retomada

Engenheiro químico com mais de 23 anos de experiência profissional e acadêmica, Sanfo Boubakar é marfinense naturalizado brasileiro. REDAÇÃO DO DIÁRIO Há quase 35 anos no...

Bolsa qualificação beneficia turismo de Foz do Iguaçu e preserva 4,5 mil empregos

Foz do Iguaçu vem adotando diversas medidas para preservar empregos e amenizar o impacto social provocado pela pandemia no novo coronavírus (Covid-19). Uma delas...

Os  Embaixadores do Rio e a retomada do turismo fluminense

Bayard Do Coutto Boiteux*O Rio  de Janeiro com a pandemia causada pelo Covid-19 passa o pior momento de sua história turística nas últimas décadas....

Prefeito de São Sebastião oficializa Área de Proteção Ambiental Baleia Sahy

Nesta sexta-feira (5), o prefeito do município de São Sebastião, Felipe Augusto, assinou o decreto que regulamenta o Plano de Manejo da Área de...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias