Atout France celebra queda da Bastilha com live sobre a região de Champagne

Caroline Putnoki, diretora da Atout France na América do Sul, conversou com o enólogo François Houtekeur, do grupo Moët Hennessy

POR ZAQUEU RODRIGUES

A região de Champagne-Ardenne, no nordeste da França, é um destino celebrado mundialmente pela produção de champanhe. Os roteiros pelas cidades locais combinam degustações, paisagens suntuosas, gastronomia e patrimônios arquitetônicos.

Nesta quarta-feira (14), a Atout France celebrou a queda da Bastilha com uma live especial sobre a região de Champagne. Caroline Putnoki, diretora da Atout France na América do Sul, conversou com o enólogo François Houtekeur, do grupo francês Moët Hennessy, representante das marcas Dom Peignon, Moët & Chandon e Velvet Cliquot.

Durante a conversa, Caroline e François esboçaram um breve panorama sobre as três cidades que compõem a região da Champagne: Reims, Épernay e Troyes. “Feito de trem, o deslocamento de Paris até essa região leva menos de uma hora”, avisou François.

Caroline disse que Reims é uma cidade sensacional e reforçou que fica próxima à Paris. “Para quem quiser fazer um bate e volta, é possível fazer degustações e conhecer a cidade num único dia. Além das degustações, há patrimônios arquitetônicos”.

François ressaltou que há diferentes tipos de visitas, individuais ou em pequenos grupos. “Podemos visitar os vinhedos a pé, de bicicleta… Nas visitas de degustação podemos compreender e sentir a evolução dos sabores”.

Visitas com antecedência

Ambos reforçaram que, para ter uma experiência com mais qualidade, é importante agendar as visitas com antecedência. “Tem que reservar, pois milhares de pessoas visitam as adegas ao longo do ano”, afirmou Caroline, que destacou que há visitas guiadas em português.


Vinha de Champagne Ardenne (Crédito: Getty Images)

A 20 minutos de Reims está Épernay. Os moradores locais costumam afirmar que a cidade é capital da bebida champanhe. Entre as grandes atrações estão as galerias subterrâneas, apontadas como a ChampsÉlysées da Champagne. “As lojas são suntuosas”, diz François.

Já a cidade de Troyes conquista pelas características medievais. François explicou que é uma cidade comercial, repleta de feiras. No mapa, uma curiosidade: a cidade tem o formato de uma rolha.

“Troyes é a cidade dos Shoppings, com todas as marcas francesas e internacionais. Dá para fazer boas compras”, sugeriu Caroline, que finalizou a live com um brinde ao som do Hino Nacional da França, A Marselhesa.


QUEDA DA BASTILHA

A Tomada da Bastilha (em francês: Prise de la Bastille), também conhecida como Queda da Bastilha, foi um evento central da Revolução Francesa, ocorrido em 14 de julho de 1789. Embora a Bastilha, fortaleza medieval utilizada como prisão, contivesse apenas sete prisioneiros na época,[1] sua queda é tida como um dos símbolos daquela revolução, e tornou-se um ícone da República Francesa. Na França, o quatorze juillet (14 de julho) é um feriado nacional, conhecido formalmente como Festa da Federação, conhecido também como Dia da Bastilha em outros idiomas. O evento provocou uma onda de reações em toda a França, assim como no resto da Europa, que se estendeu até a distante Rússia Imperial. (Wikipédia)

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial