Brasil pedirá reforço em aeroportos após atentado na Turquia

O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Mauricio Quintella, anunciou na última semana (29) que vai pedir reforço no policiamento especifico ao Ministério da Justiça para os aeroportos diretamente impactados com as Olimpíadas e Paralimpíadas do Rio de Janeiro, com base nos atentados na área pública do aeroporto de Istambul.

“Isso acende uma luz amarela para o governo e para as pessoas que vão frequentar a Olimpíada. Então, vamos pedir que haja maior fiscalização nas áreas públicas do aeroportos junto ao Ministério da Justiça e, também, de inteligência em cooperação com as agências do mundo todo”, disse o ministro.

Quintella participou do lançamento do hotsite Aeroportos nos Jogos Rio 2016, no Centro da capital fluminense. Disponível em três idiomas – inglês, português e espanhol – o guia online inclui Informações sobre direitos e deveres dos passageiros, transporte, dicas sobre compra de passagem, embarque, vacinas necessárias, aquisição de seguros, entre outras.

Quintella também apresentou o Manual do Planejamento do Setor de Aviação Civil para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. De acordo com o ministro, o manual será a bíblia dos aeroportuários dos 40 aeroportos que funcionarão sob regime especial durante o megaevento.

O documento define normas e procedimentos dos terminais de passageiros, regras para ocupação de pátios e pistas, fluxos aeroportuários para a chegada de chefes de estado, entre outros pontos.

A demanda estimada nos aeroportos é de um milhão de atletas, membros de delegações e turistas, que devem movimentar cerca de 4,7 milhões de volumes de bagagem nos aeroportos do Rio. Uma novidade no Brasil, para tentar desafogar as filas de embarque, será o check-in e despacho remoto.

Os atletas que estiverem na Vila Olímpica poderão despachar suas malas e fazer check-in lá mesmo e as bagagens serão transportadas diretamente para a área restrita do aeroporto e embarcadas nas aeronaves.

Estão sendo esperadas delegações de 206 países e mais de 100 chefes de Estado. A estimativa é que somente no dia da abertura, em 5 de agosto, os aeroportos do Rio registrem entre 900 e mil movimentos de aeronaves executivas. Aproximadamente 2,2 mil controladores de voo já receberam treinamento específico para o evento e mais de mil vagas extras foram criadas nos pátios dos terminais para o estacionamento de aeronaves no período.

Redação
Redaçãohttps://www.diariodoturismo.com.br
Primeiro e-Diário de Turismo do Brasil

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Associação Brasileira de Enologia faz nota de repúdio à coluna de Hélio Shwartsman

Uma nota assinada pelo presidente da Associação Brasileira de Enologia,  Daniel Salvador e pelo presidente da Organização Internacional do Vinho e do Vinho, Regina...

Mal conservado e em dificuldades financeiras Fundo Financeiro requer falência da Braston Hotéis

O Summit Fundo de Investimento em Direitos Creditórios - Vara/Comarca: 1a Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo/SP requereu na última semana...

Booking.com apresenta as tendências de viagens pós pandemia (ou enquanto ela não acabar)

Sonhos para as próximas viagens, novos valores para a vida de viajante, cuidados que serão tomados a partir de agora e a importância em...

Maria Fumaça para Morretes volta a funcionar em novembro

Conhecida dos curitibanos por circular na cidade durante o período que antecede o Natal, a Maria Fumaça despertou o carinho do público e se...

Companhias aéreas enfrentam teste de sobrevivência com demora em retomada

A segunda onda de covid-19 atrasa a recuperação das viagens aéreas, o que torna o inverno no hemisfério norte um teste de sobrevivência para...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias

Open chat