Cinco dicas para quem vai viajar para a China

A China é um país que está na lista da imensa maioria dos amantes por viagem. Há muitas razões para isso: seu crescimento e modernização impressionantes nas últimas três décadas, os vários destinos dentro do país e até promoções de passagens e hotéis que fazem a distância ser um pouco mais palatável.

EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências

Mas para fazer uma viagem tão longa para um lugar de cultura tão diferente é bom ter algumas dicas para melhor aproveitar essa aventura.

1 – Prepare-se para a história

Ao pensar em viagens para ver a história preservada é normal pensar na Europa, em Paris, Roma, Atenas ou Londres. A China não fica nada atrás nesse sentido.

Com uma sociedade milenar cheia de conquistas, guerras, descobertas e momentos que mudaram a humanidade, o país asiático tem o que mostrar a seus visitantes tanto nas suas principais cidades como mais para o interior.

2- Destinos não faltam, não fique só em uma cidade:

O mais fascinante da China atual é que junto com o que falamos acima, você pode ver toda como toda a abertura do país para o mundo fez a modernidade chegar com tudo. Seja nos transportes, na tecnologia em geral ou até como as pessoas estão totalmente ligadas no que há de mais novo.

Pequim é uma cidade do mundo e ao mesmo tempo você pode conferir a incrível Cidade Proibida e também chegar com facilidade até parte da sensacional Muralha da China, é possível ver os arranha-céus inacreditáveis e obras de engenharia e arquitetura como o estádio Ninho de Pássaro.

Xangai é outro espetáculo a parte e pode-se chegar lá em um trem de alta velocidade de Pequim. Lá você verá todo o poderio chinês nos últimos anos e dá para considerar ela como uma cidade mais moderna que suas próximas na China.

Esses são destinos óbvios, já Xiam não é tanto. Localizada mais para o interior da China, a cidade tem para apresentar o Exército de Terracota, um conjunto de esculturas de guerreiros, cavalos e carruagens do século III antes de Cristo e que foi redescoberto em 1974. Tudo está em excelente estado e é realmente de tirar o fôlego.

Já que você fez a longa viagem até lá, faça um esforço extra para viajar entre as cidades e conhecer coisas totalmente diferentes e fascinantes.

3 – Cuidados a tomar

Sempre que se viaja para outro país é importante observar a cultura e os costumes para ter uma melhor integração e uma viagem sem percalços. E não necessariamente isso irá te limitar ou ser uma coisa ruim.

Por exemplo, lá se barganha os preços a todo momento, especialmente nos mercados e lojas de roupa. Isso é ótimo para o cliente, que pode conseguir descontos incríveis nos produtos que quiser.

Mas claro que existem coisas que você precisará se adaptar. Por exemplo, a higiene não é algo que os chineses dão tanta importância como nós brasileiros. É comum banheiros não tão limpos e até sem papel higiênico. Mesma coisa de restaurantes sem guardanapos. Em vez de pedir para eles se adaptarem a nós, levar lenços umedecidos e álcool em gel resolve boa parte do problema.

Outra questão é a censura. O acesso online que os chineses têm é muito mais limitado que o nosso, inclusive com Facebook, Google e YouTube sendo bastante limitados. Novamente, aqui é você que precisa se adaptar. A contratação de uma VPN de boa qualidade resolverá esse problema, já que você poderá ocultar seus dados de navegação na China e escolher o IP de um outro país, por exemplo, o Brasil.

4 – Não brinque com os vistos

As autoridades chinesas não são conhecidas pela sua benevolência e a burocracia sempre é uma questão muito complicada. Por isso, fique atento a como será sua viagem e quais serão as exigências do governo local.

Por exemplo, em 2018 foi aumentado o período de viagem sem necessidade de visto de três para seis dias para as cidades de Xangai, Pequim e Tianjin.

Para ficar mais que esse período – até 90 dias – você precisa tirar o visto e ele é válido por cinco anos. Confira mais informações no site da Embaixada.

5 – A comida…

Aqui a dica não é tão dica: a comida na China não é para todos. Apimentada demais em algumas regiões, partes diferentes de porco, aves e bois ou até insetos, quem for fraco de estômago e não quiser se aventurar muito pode ir pesquisando os McDonald’s de cada bairro.

Vai, vamos dar uma dica então: vá de cabeça aberta. Prove até onde der para provar e descubra novos sabores, texturas e utilidades para um pé de galinha, por exemplo. Uma das graças de uma viagem para tão longe e um país de cultura tão diferente é comer o que você não come em casa, não é mesmo?

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial