Destruição Criativa: Estudo do Sindetur aponta reação nas vendas, mas não no emprego

15 ANOS DIÁRIOS – publicado dia 14 de março de 2018

Em 2017 houve crescimento de 0,6% na quantidade de empregos formais do setor de agências de viagem em comparação a 2016

Por Paulo Atzingen*

Dentre os inúmeros cenários econômicos no contexto das agências de viagem apresentados pelo Sindetur – Sindicato das Empresas de Turismo no Estado de São Paulo nesta terça-feira (13), em São Paulo, um que se destacou é a pouca perspectiva de reação da empregabilidade em 2018. Em outras palavras, pouca contratação de mão-de-obra.

De acordo com pesquisa realizada pelo Ipeturis – Instituto de Pesquisa, Estudos e Capacitação em Turismo – em 2017 houve crescimento de 0,6% na quantidade de empregos formais do setor de agências de viagem, na comparação com 2016. Isso representou a criação de pífios 342 novos postos de trabalho após três anos de queda consecutiva, diz o estudo denominado Desempenho do Agenciamento Turístico Nacional na Crise Econômica Brasileira 2014-2017.

Esses e outros números foram apresentados por Glauber Eduardo Santos, analista do Ipeturis e por Marciano Freire, presidente do instituto.

“O volume de vendas em 2017 alcançou  13% a mais que 2014. Ocorreu uma singular recuperação. No entanto, o que se vê é que se as vendas estão reagindo,  a contratação de pessoas estagnou”, afirmou Glauber Eduardo. “As demissões aconteceram, as empresas fecharam, o setor voltou a reagir, mas a empregabilidade não”, completou.

Ponto Culminante

- Advertisement -

De acordo com as estatísticas apresentadas, o número de Agenciamento Turístico atingiu seu ponto culminante em 2014, quando havia no Brasil 23.787 empresas ligadas ao setor. “Entre os anos de 2007 e 2014, a abertura de novas empresas no setor seguiu um crescimento médio de 4,8% ao ano”, falou Marciano apresentando índices da pesquisa em um painel. “No entanto, de 2014 a 2017, 1.260 empresas fecharam com uma taxa de redução média de 1.8% ao ano”, enumerou.

Destruição Criativa

Para o analista Glauber Eduardo, “voltamos a crescer, mas não voltamos a ser os mesmos”. Essa frase remete a análise apresentada pelo Ipeturis: “As microempresas correspondem a 941 novas vagas de trabalho (3,2% do total do setor) na comparação com 2016). “Mesmo com esse crescimento, o número de colaboradores em 2017 ainda é menor que 2014”, afirmou Glauber.

Já as Médias e Grandes empresas (acima de 50 colaboradores) tiveram um pequeno crescimento (121 empregados), mas permanecem com 2,3 mil empregados a menos que em 2014. Em se tratando de pequenas empresas (10 a 49 colaboradores) foram as que mais fecharam postos de trabalho em 2017, com 720 demissões, atingindo 5,5 mil empregados a menos que em 2014.

Embora o ano de 2017 tenha ocorrido um aumento de 15,9% no volume total de vendas das empresas de Agenciamento Turístico, em comparação a 2016, os índices de contratação permanecem relativamente estagnados. “Eu arriscaria dizer que ocorre uma Destruição Criativa (dos empregos)”, afirmou Glauber.

Após 3 anos consecutivos de reduções nos postos de trabalho formais, em 2017 foi o primeiro ano de salto positivo. No entanto, este crescimento é pequeno se comparado ao acumulado de 8.672 postos de trabalho fechados no período de 2014 a 2016
Após 3 anos consecutivos de reduções nos postos de trabalho formais, em 2017 foi o primeiro ano de salto positivo. No entanto, este crescimento é pequeno se comparado ao acumulado de 8.672 postos de trabalho fechados no período de 2014 a 2016

Enxugamento

Marciano Freire explicou que a renovação constante de processos de venda, as novas plataformas tecnológicas de venda,,a inteligência artificial em tecnologias (ao estilo chatbot) tem substituído pessoas. “Esse é um dos fatores de queda, no entanto, a economia frágil é o ponto principal”, afirmou ao DIÁRIO. “As empresas estão extremamente enxutas em suas estruturas esperando o tempo melhorar”, disse.

Expectativas

O estudo também apresentou expectativas de melhora. Das 1913 entrevistas realizadas em 231 cidades nas 27 unidades da Federação em relação às vendas futuras, 49% acreditam que elas (as vendas) aumentarão no curto prazo, em até três meses. Já no médio prazo, entre 3 a 6 meses, a estimativa é ainda maior: 76% das empresas têm expectativas de melhoras de vendas.

O mesmo quadro dicotômico apresenta-se quanto às contratações. Embora haja expectativas positivas nas vendas, a grande maioria (70%) das empresas ouvidas não pretende fazer novas contratações e esperam manter o número atual de colaboradores. As empresas que pretendem fazer contratações (27%) e as que pretendem demitir (3%) completam o quadro.

 

Compartilhe com um amigo:

2 COMENTÁRIOS

  1. Matéria interessante, Paulo! Será que a pesquisa alcançou dados sobre a disposição das empresas em investimento na aquisição de mídias? ‘Destruição Criativa’ (dos empregos) ilustra bem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
PAULO ATZINGEN é jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará. Produziu reportagens na Amazônia sobre sustentabilidade, conflitos agrários e étnicos. Lançou em 1998 sua primeira revista, a PAYSAGE – dirigindo-a e publicando-a por três anos. Em Belém, foi repórter do jornal O Liberal, O Paraense e articulista do jornal A Província do Pará e Diário do Pará. É premiado contista, com três livros de ficção em prosa publicados via editais. Trabalhou como redator no jornal de turismo Brasilturis e fundou em 2005 o DIÁRIO DO TURISMO, o primeiro jornal On-line Diário de Turismo do Brasil. Atualmente desenvolve projetos de conteúdo editoriais e digitais para empresas privadas de hotelaria, aviação, companhias marítimas, destinos turísticos e biografias.

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias para a sua viagem!


    Mais lidas

    Site do Editor

    O jornal dos melhores leitores

    Mais recentes

    EUA adverte que uso de aparelhos 5G pode afetar segurança aérea

    A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) alertou nesta terça-feira (07) que a interferência do uso de tecnologia 5G representava um risco...

    Aniversário da Avenida Paulista terá Nando Reis, Rincon Sapiência e piano voador

    No dia 08 de dezembro, a Avenida Paulista celebra 130 anos de fundação. Uma das vias mais tradicionais do país, ela ganha uma maratona de comemorações...

    Um observatório de mundo – por Thomas Bruno Oliveira*

    Na mercearia de meu pai, onde passei os decisivos e marcantes anos de minha infância, sempre fui um observador das coisas e das pessoas,...

    Luciana Leite, do Parque das Aves: “temos a missão de acolher a fauna vitimada”!

    Dois lugares que são considerados visitas obrigatórias para os visitantes de Foz do Iguaçu: as Cataratas e o Parque das Aves. As Cataratas são...

    Empresas de eventos e turismo têm até o final do ano para negociar dívidas tributárias

    As empresas do setor de eventos e turismo têm até o dia 29 de dezembro de 2021 para aderir aos programas de negociação de...

    Estados Unidos endurecem regras para cães procedentes do Brasil

    Os animais que chegam de países classificados como de alto risco para raiva, que inclui o Brasil, só poderão ingressar nos Estados Unidos por...

    Relacionadas

    Compartilhe com um amigo:
    Pautas e Marketing