Desavenças comerciais entre EUA e China provocam aumento do preço da soja brasileira

REDAÇÃO com Agências Internacionais –

No contexto atual, importadores chineses pagam prêmio recordes pela soja brasileira em época de colheita, conforme garantam o fornecimento em meio a preocupações de que as remessas dos Estados Unidos possam ser afetadas pela guerra comercial entre Washington e Pequim. Os prêmios pagos pela soja enviada do porto brasileiro de Paranaguá (PR) ficaram mais de 1 dólar por bushel acima dos preços internacionais de referência.

A informação foi levantada pela Esalq, órgão de pesquisa de mercado agrícola da Universidade de São Paulo (USP).

Retrospecto e atualidade

A China compra aproximadamente 60% da soja comercializada globalmente para alimentar a maior indústria pecuária do mundo. O Brasil forneceu metade das importações chinesas no ano passado, enquanto os EUA responderam por volta de um terço.

Porém, Pequim ameaça mirar a soja, principal item da exportação agrícola dos EUA, em retaliação à medidas tomadas pela administração do presidente Donald Trump em busca de melhores termos de comércio para os EUA.

A demanda por soja brasileira em grão, maior exportador do mundo, elevou os prêmios, como foi visto, por preocupações de que a China possa eventualmente cortar as compras dos EUA.

“Alguns compradores ainda estão comprando devido a boas margens de moagem aqui, mas eles estão muito desconfortáveis com os preços altos”, disse um operador que não quis ser identificado.

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial