Foz do Iguaçu é a 5ª cidade do Paraná a gerar mais vagas de emprego no 1º trimestre

Vista aérea da cidade de Foz do Iguaçu (Foto: divulgação)
Vista aérea da cidade de Foz do Iguaçu (Foto: divulgação)

Número de empregos ultrapassa em 38% o saldo obtido em 2017

Edição do DT com agências

Nos três meses de 2018, Foz do Iguaçu alcançou a marca de 625 empregos com carteira de trabalho assinada, com 7.298 admissões e 6.673 desligamentos. O resultado supera o desempenho obtido ao longo de todos os 12 meses de 2017 (453) e também de outros três anos anteriores (561, em 2016; -845, em 2015; e 433, em 2014). Os números foram apontados após levantamento do CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego.
O resultado significa que o número de vagas acumuladas nos três primeiros meses deste ano já ultrapassa em 38% o saldo positivo de todo o ano passado, gerando uma expectativa de retomada do desenvolvimento da economia local.
“A economia de Foz do Iguaçu passa por um momento de crescimento, com um ambiente mais seguro para se investir, e o reflexo disso tem sido o saldo positivo na geração de empregos. O saldo das contratações é o maior dos últimos quatro anos e a tendência é de crescer significativamente nos próximos meses. Estamos confiantes que este será o ano do desenvolvimento e da geração de empregos”, declarou o prefeito Chico Brasileiro.
A marca alcançada pela cidade na criação de empregos ficou acima da média do mês de março no estado do Paraná. O saldo entre admissões e desligamentos no mês foi de 184 empregos, o que ajudou a cidade atingir o saldo positivo de 625 postos no primeiro trimestre, 272 a mais do que todo o ano passado (453).

Setor de serviços é destaque

No acumulado dos últimos 12 meses, Foz do Iguaçu é a quinta cidade do Paraná que mais gerou saldo positivo. No período, o município obteve saldo de 1.133 postos de trabalho. Maringá foi a primeira com 1.492 vagas, seguida por Cascavel (1.370), Ponta Grossa (1.201) e Colombo (1.189).
O setor de serviços vem se destacando como o maior empregador do município. O saldo positivo entre contratações e demissões no primeiro trimestre foi de 580 empregos formais. A construção civil aparece em seguida com um saldo de 142, que demonstra a sua recuperação, já que havia fechado com perda de postos de trabalho no ano passado. Já o comércio amargou uma perda de 103 empregos no período.

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Máscaras caseiras podem ajudar a evitar transmissão da doença (ouça áudio)

Com a disseminação do coronavírus (Covid-19) por todos os estados do país e a falta de máscaras para reduzir a transmissão da doença, muitas...

Festival Coolritiba 2020 será reagendado por conta do COVID-19

A 4ª edição do festival mais cool do Brasil será reagendada! O Coolritiba 2020, previsto para acontecer em Maio, diante do avanço da COVID-19...

Privé Hotéis e Parques ilumina fachada de seus hotéis trazendo mensagens positivas

Em tempos de isolamento social, mensagens positivas são sempre bem-vindas. É com esse sentimento de estar presente que o Privé Hotéis e Parques vem...

Salvador em março tem a pior taxa de ocupação da história da hotelaria

A rede hoteleira de Salvador apresentou, em março de 2020, a taxa de ocupação mais baixa da história, em decorrência da pandemia do coronavírus...

Casos de coronavírus no mundo superam 1 milhão, diz Universidade Johns Hopkins

O número de casos do novo coronavírus no mundo chegou a 1 milhão nesta quinta-feira, à medida que a pandemia explode nos Estados Unidos...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias