FUMTUR: dicas e orientações para que o fundo faça a diferença

Por Eduardo Mielke
No âmbito do SIMTUR – Cooperar para Competir, o Fundo Municipal de Turismo (FUMTUR) é um dos pilares de sustentação financeira tanto das ações estruturantes e estruturais, bem como das promocionais. São instrumentos públicos de descentralização de gestão, e criados através de Lei. Diante deste cenário, não perca a oportunidade de usar o processo de estruturação-organização como um exemplo de cooperação. Isso sim é Turismo no Município.
Na prática! Fundos geridos pelas Secretarias (SECTUR) somente, sem o “nada opor” do COMTUR, não são nada recomendáveis. E mesmo que o fundo seja gerido pela SECTUR, não necessariamente é ela que deve decidir onde, quando e como os recursos do fundo deverão ser gastos. Isto é genuinamente tarefa de conselho. Aliás, FUMTURs sem estarem associados ao COMTUR nesta linha, faz-me perguntar do porquê de existir um conselho.
Entendo perfeitamente a vaidade do poder público, mas se você que me lê agora é Secretário Municipal, entenda esta co-gestão com o COMTUR-tripartite como uma forma assertiva de compartilhar responsabilidades. Se o uso do FUMTUR está ruim, todos participam do erro e divide-se a culpa.  Mas se está bom, a Cidade ganha, os empresários e entidades ficam felizes, e será você que irá ficar bem na foto. Em outras palavras, você nunca perde.
E tomando isso como premissa, traga as pessoas e instituições de interesse direto do Turismo para dentro da Arena de Acordos que chama-se COMTUR. Inclusive membros (escolhidos a dedo) da Câmara de Municipal. Não se esqueça que Turismo se faz em rede. Fortaleça a cooperação através do FUMTUR. Não perca esta oportunidade. Recomenda-se inclusive pedir uma porcentagem do Orçamento Anual para abastecê-lo. Cuide porém, para não ir com muita sede ao “pote”, corre-se o risco de ver  diminuído o da Secretaria de Turismo. Não caia no toma lá, tira de cá.
Use o processo de discussão e (re) elaboração da Lei para que entidades e empresários possam melhor entender o funcionamento da máquina pública. Quanto mais eles entenderem, melhor conhecerão sobre os gargalos e oportunidades da sua estrutura, ficando mais claro também, o papel de cada um para o desenvolvimento turístico da sua Cidade. Isso é muito mais importante que se possa imaginar, pois quanto mais isto avançar, mais lhe sobrará tempo para articular, mediar e olhar à captação de recursos. Pense nisso.
Avatar
Redaçãohttps://www.diariodoturismo.com.br
Primeiro e-Diário de Turismo do Brasil

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Bolsa qualificação beneficia turismo de Foz do Iguaçu e preserva 4,5 mil empregos

Foz do Iguaçu vem adotando diversas medidas para preservar empregos e amenizar o impacto social provocado pela pandemia no novo coronavírus (Covid-19). Uma delas...

Portugal recebe o Selo ‘Safe Travels’ do World Travel & Tourism Council

Este selo visa reconhecer destinos que cumprem protocolos de saúde e higiene alinhados com os Protocolos de Viagens Seguras emanados pelo WTTC, ajudando, sobretudo,...

Os  Embaixadores do Rio e a retomada do turismo fluminense

Bayard Do Coutto Boiteux*O Rio  de Janeiro com a pandemia causada pelo Covid-19 passa o pior momento de sua história turística nas últimas décadas....

Prefeito de São Sebastião oficializa Área de Proteção Ambiental Baleia Sahy

Nesta sexta-feira (5), o prefeito do município de São Sebastião, Felipe Augusto, assinou o decreto que regulamenta o Plano de Manejo da Área de...

União Europeia só abrirá totalmente as fronteiras internas no final de junho

A União Europeia só abrirá totalmente as fronteiras internas no final de junho e começará a suspender as restrições a viagens fora do bloco...

Accor amplia programa Plant for the Planet agora para a Colômbia

Para reforçar seu objetivo com a preservação ambiental e preocupação com os insumos que utiliza em seus hotéis, a Accor anuncia no Dia Internacional...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias