Hightech, Hightouch!

por Sandra Maia*

Você leitor já deve ter ouvido por aí: hightech, hightouch – inúmeras vezes e por motivos diversos.  De forma simples, poderia dizer tratar-se de uma frase de efeito para chamar atenção sobre a importância do equilíbrio entre a tecnologia e o humano. De fato, o resgate do humano nas relações comerciais, que vem perdendo espaço à  medida em que a tecnologia abarca tudo, ou quase tudo, tem sido considerado como prioridade nas grandes empresas que buscam criar vínculos emocionais, tocar o cliente em todos os sentidos, criar um posicionamento mais humanizado etc.etc..

E no setor de serviços, onde a tecnologia também está em alta, o humano é essencial. Da automatização das funções burocráticas à coleta de dados, tudo o que tem forte dependência da tecnologia precisa do humano se quiser se destacar e criar vínculos duradouros.

Slogans e promessas que reforçam o viver como um local; viver experiências transformadoras; ou, conhecer e se integrar à região e à comunidade – são temas que hoje representam, no imaginário daqueles que viajam, o sonho de experimentar novos lugares e de se aproximar de pessoas com outros valores, outras culturas. Então sim é importante a tecnologia que facilita a conexão – mas, é imprescindível, o contato humano que possibilita a promessa do afeto.

Nas últimas semanas li diferentes artigos sobre a retomada no investimento no “capital humano”. Apesar de não gostar muito do termo – capital humano – entendo que, o que as grandes empresas querem dizer com isso é: investir nos seres humanos que fazem parte do negócio – sejam eles funcionários, parceiros, fornecedores ou clientes, está na “moda”.

Sim. É importante investir na gestão do relacionamento com clientes, parceiros, funcionários, nos stakeholders para que a organização possa seguir uma trajetória de sucesso.

Até aqui tudo bem, faz parte do marketing, da comunicação, da estratégia do negócio esse cuidado que começa na forma como a empresa se posiciona e “fala” com seus diferentes públicos estimulando a ação, o movimento, a emoção.

A tecnologia está aí para nos ajudar a levantar as informações que encantam e fidelizam nosso cliente. E ficou tão fácil levantar dados que coletamos tantas informações que por vezes – precisamos de ajuda – para saber como transformar esse bando de dados em informação valiosa para melhorar a relação com o cliente. A gestão da comunicação e do marketing dependem disso para alavancar vendas e consolidar o posicionamento da marca, destacando a empresa da concorrência.

E não é nada fácil essa contribuição. Analisar dados, informações, resultados de pesquisas, entendendo o ambiente externo e interno da organização pode, mais que contribuir para o negocio, torná-lo de fato viável.

As possibilidades são muitas, mas, o que fará a diferença é mesmo fazer as perguntas certas. Buscar as informações relevantes,  para então traçar uma estratégia vencedora.

 *Sandra Maia, especialista em comunicação empresarial é coordenadora dos cursos de graduação SENAC: Bacharelado em Hotelaria e Tecnologia em Eventos; e,  Consultora nas áreas de Comunicação e Marketing: https://www.cenariostraw4web. com.br . Contato:  sandramaia.mkt@gmail.com

 

Avatar
Redaçãohttps://www.diariodoturismo.com.br
Primeiro e-Diário de Turismo do Brasil

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Prefeitura de Salvador dá 40% de desconto do IPTU para hotéis até 2023

Diante da crise provocada pela pandemia, o prefeito de Salvador, ACM Neto, anunciou, nesta quinta-feira (6), medidas tributárias e fiscais de incentivo à economia,...

ABEOC faz nota de repúdio e exige de governos data de retorno dos eventos

A presidente da Associação Brasileira de Empresas de Eventos - ABEOC - Fátima Thereza Facuri Leirinha, acaba de divulgar uma nota de repúdio à...

Hplus Hotelaria anuncia retomada de suas atividades em Brasília

A Hplus Hotelaria já obteve o selo de Turismo Responsável e  posiciona-se como referência em hospedagem segura e confiável em meio à pandemia EDIÇÃO DO...

Campanha tenta impedir fechamento do restaurante Itamarati, no centro de São Paulo

Desde 1940, advogados, juízes, políticos e diversas autoridades apreciam o bolinho de bacalhau e a empada do Itamarati, restaurante em frente à Faculdade de...

Webinar denuncia: “golfinhos criados em cativeiro vivem menos”

O biólogo e professor do Instituto de Biociências da Unesp, Mario Rollo apresentou na noite desta quarta-feira (5) o Webinar: “Atrações com golfinhos e a...

Embraer tem prejuízo de R$ 1,68 bilhão no segundo trimestre

A fabricante de aeronaves Embraer encerrou o segundo trimestre com prejuízo líquido atribuído aos sócios da controladora de R$ 1,68 bilhão, comparável a lucro...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias

Open chat