Chegou a hora de revermos os números do turismo no Brasil

por Manoel Linhares*

Nesse momento, em que o país está passando por importantes mudanças com as eleições legislativas já definidas, que promoveram uma grande renovação no ambiente político nacional, é chegada a hora de nos unirmos em torno das principais pautas debatidas aos longo dos últimos anos e mobilizarmos o setor de turismo nacional para que, enfim, as autoridades entendam o poder de transfomação de sua indústria.

 

Os números mostram que o turismo e a hotelaria podem aumentar sua contribuição para o desenvolvimento nacional. No Brasil, as chegadas de turistas internacionais aumentaram apenas 6% entre janeiro e abril de 2018, em comparação com o mesmo período do ano passado. Precisamos melhorar e muito esse número.

Os números mostram que o turismo e a hotelaria podem aumentar sua contribuição para o desenvolvimento nacional

Exemplos de que isso é possível não faltam e vêm de alguns de nossos vizinhos. Os chilenos, por exemplo, tiveram alta de 14,3% em relação ao ano anterior com o Plano de Ação de Marketing Turístico Internacional com diversos incentivos e treinamentos para agentes do setor e campanhas para o público final em outros países.

 

A Colômbia apresentou crescimento de 35,8%, acumulando quase 4 milhões de visitantes entre janeiro e maio.  Uma das razões foi o incentivo à construção de hotéis em cidades pequenas, além  da implementação da alíquota especial de 9% sobre o imposto de renda por até 30 anos para unidades construídas, reformadas ou ampliadas antes de 31 de dezembro de 2017.

 

Outro exemplo, o Peru teve quase 4 milhões de chegadas internacionais no ano passado. Isso é resultado de algumas medidas tomadas pelo governo peruano que estimularam a inauguração de 4800 hotéis, além ações de marketing e realização de campanhas internacionais. Outro atrativo foi o prêmio concedido ao Peru pelo World Travel Awards, que elegeu o país como Melhor Destino Culinário do Mundo pelo sexto ano consecutivo.

 

A Organização Mundial do Turismo (OMT) anunciou, com base no documento “Panorama OMT Turismo 2018”, o ranking mundial do setor em 2017, confirmando que o México subiu para o sexto lugar na recepção turistas internacionais, registrando a chegada de 39,3 milhões de viajantes de outros países. Uma das razões foi o incentivo ao setor de turismo de negócios com a realização de 265 mil eventos, que atraíram mais de 29 milhões de participantes e geram um benefício econômico igual 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

 

Para os representantes do setor de turismo brasileiro é preciso, de uma vez por todas, promover as modernizações necessárias em diversos aspectos da nossa legislação, além de garantir que o setor público cumpra seu papel de estimulador de uma enorme cadeira produtiva, que afeta diversas áreas da economia e, por isso, com poder de se tornar estratégico para o desenvolvimento do país.

Para os representantes do setor de turismo brasileiro é preciso, de uma vez por todas, promover as modernizações necessárias em diversos aspectos da nossa legislação

As principais colocações são relativas à alta carga tributária e ao excesso de burocracia que já foram amplamente discutidas e que precisam de uma solução. Há outras questões que precisam de encaminhamento, como a abertura dos parques nacionais por meio de concessões públicas, a facilitação para a chegada de cruzeiros marítimos e liberação de cassinos em resorts que pode trazer investimentos na ordem de R$ 50 bilhões para o Brasil.

 

Há outras pautas ainda com relação a modernização da lei de migração, a desburocratização da Embratur para facilitar parcerias com a iniciativa privada para promover os destinos nacionais no exterior não só em feiras e eventos voltados para os agentes e operadores de turismo, mas principalmente para o consumidor final. Para se ter uma ideia, hoje o Brasil investe apenas US$ 16 milhões na divulgação de seus destinos mundo afora. Muito menos que México (US$ 490 milhões), Colômbia (US$ 100 milhões) e Equador (US$ 90 milhões). E os números não mentem.

*Manoel Linhares é presidente da ABIH Nacional

 

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Grupo Iberostar inicia reabertura de hotéis e reforça segurança sanitária

De forma escalonada, a reabertura de uma seleção de hotéis do Grupo Iberostar acontece a partir da segunda quinzena de junho garantindo protocolos de...

Portugal recebe o Selo ‘Safe Travels’ do World Travel & Tourism Council

Este selo visa reconhecer destinos que cumprem protocolos de saúde e higiene alinhados com os Protocolos de Viagens Seguras emanados pelo WTTC, ajudando, sobretudo,...

Três perguntas para Sanfo Boubakar, diretor da ClassTraining, sobre treinamento na retomada

Engenheiro químico com mais de 23 anos de experiência profissional e acadêmica, Sanfo Boubakar é marfinense naturalizado brasileiro. REDAÇÃO DO DIÁRIO Há quase 35 anos no...

Bolsa qualificação beneficia turismo de Foz do Iguaçu e preserva 4,5 mil empregos

Foz do Iguaçu vem adotando diversas medidas para preservar empregos e amenizar o impacto social provocado pela pandemia no novo coronavírus (Covid-19). Uma delas...

Os  Embaixadores do Rio e a retomada do turismo fluminense

Bayard Do Coutto Boiteux*O Rio  de Janeiro com a pandemia causada pelo Covid-19 passa o pior momento de sua história turística nas últimas décadas....

Prefeito de São Sebastião oficializa Área de Proteção Ambiental Baleia Sahy

Nesta sexta-feira (5), o prefeito do município de São Sebastião, Felipe Augusto, assinou o decreto que regulamenta o Plano de Manejo da Área de...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias