Investimento de R$3 bi em Distritos Turísticos de SP deve gerar mais de 10 mil novos empregos

Segundo a Secretaria de Turismo e Viagens do Estado de São Paulo, os três Distritos Turísticos já criados no Estado de São Paulo devem atrair mais de R$3 bilhões em investimentos privados e gerar mais de 10 mil novos empregos dentro dos próximos cinco anos.

EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências


A criação dos Distritos Turísticos pelo Governo de São Paulo comemora um ano em junho e tem como objetivo gerar estímulos para áreas com potencial turístico nacional e internacional, fortalecendo a economia local e a gerando emprego e renda

Somente para o Distrito Turístico de Serra Azul, que abriga os municípios de Jundiaí, Vinhedo, Itupeva e Louveira, entre a capital paulista e Campinas, os investimentos previstos até o momento já somam R$ 1,8 bilhão, com expectativa de geração de 7,4 mil novos empregos diretos e indiretos. As novas oportunidades na região devem impulsionar os índices de desenvolvimento econômico local e a qualidade de vida da população.

Desde a aprovação da lei que permite ao Governo paulista a criação de Distritos Turísticos, foi estabelecida uma nova lógica de desenvolvimento turístico para o Estado, incentivando a atração e implementação de investimentos em empreendimentos turísticos âncora, de alto impacto regional e nacional, gerando novos fluxos econômicos para São Paulo.

É o que acontece em Olímpia, onde o amparo da legislação fornece segurança e atrai investidores. O primeiro Distrito Turístico de São Paulo já conta com a segunda maior estrutura hoteleira do Estado e receberá novos pontos turísticos como um clube de golfe com hospedagem; um empreendimento temático com centro de compras; espaços para esportes radicais e de aventura; um autódromo; e novos hotéis temáticos ligados ao parque. Está prevista ainda a ampliação de um centro hípico e do outlet local.

Infraestrutura turística

De acordo com a filosofia que norteou a criação dos Distritos Turísticos, para gerar ativação econômica, melhoria do ambiente de negócios e, principalmente, promoção das regiões, o Estado e os municípios onde estiverem situados os distritos poderão promover políticas de crédito, tributária e de fomento ao investimento, além de disponibilizar a infraestrutura necessária para o desenvolvimento turístico local.

Isso significa, na prática, a abertura das vias de acesso, instalação de redes de energia de alta e baixa tensão, rede de fornecimento de água e coleta de esgoto, rede tronco de telefonia e demais obras e serviços necessários ao adequado funcionamento das atividades associadas ao turismo.

Para a instalação de um Distrito Turístico é necessário que a região cumpra alguns pré-requisitos dentro de um amplo estudo de viabilidade geográfica, econômica, social, jurídico e ambiental. Devem ainda ser realizadas consultas públicas, avaliações da Secretaria de Turismo e a elaboração de Plano Básico de Implementação e Gerenciamento do Distrito Turístico, de acordo com os critérios  previstos em resolução.

O Projeto de Lei que criou a legislação dos Distritos Turísticos foi encaminhado pela Secretaria da Casa Civil à aprovação da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo no final de 2020, sendo a lei sancionada em junho de 2021. Desde então, o Estado de São Paulo já conta com três Distritos Turísticos: Olímpia, Serra Azul e Iguape, no Vale do Ribeira, que se tornou Distrito Turístico em março de 2022 por meio de decreto do Governo paulista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial