Maestro Moreira pedala, toca e canta de Sampa a Paraty

Gabriel Emidio*


O desejo irrefreável de viajar, latente nas veias de todo ser humano, ganha singularidade no projeto concebido e posto pra rodar pelo músico Anderson Moreira Messias. Natural de Ourinhos (SP), 48 anos, pai do João e em graduação permanente pela escola da vida, aprendeu a aprender. E a ensinar. Do cavaquinho ao violoncelo, passando pelo bandolim e violão, dá vida e beleza às partituras, que pulsam na sua memória.

O espírito libertário levou o protagonista a morar em uma comunidade alternativa no centro velho de São Paulo, onde compartilha sobrevivência, vivência e boas práticas cidadãs. Das rodas de samba e choro presenciais, que rolavam antes da pandemia, migrou para palco virtual. Em vez do chapéu físico, a conta num e-bank, para os donativos espontâneos dos apreciadores.

On the Road

Usuário de bicicleta há muitos anos, Anderson e mais dois amigos músicos e artistas de rua (Brian, peruano; e Iago, paulistano) combinaram de pedalar suas ‘magrelas’ até Paraty (RJ), num percurso em torno de 300 quilômetros. Na bagagem, além de prudência e disposição, os instrumentos musicais, caixa de ferramentas e insumos básicos para acampar. E para abastecer os motores, as parcas reservas de quem aprendeu a viver com pouco.

- Advertisement -

Um trecho de uma composição de Anderson, feita em estúdio:

Entre 22 de outubro e 23 de novembro, durante 32 dias, a missão se cumpriu. O trio passou por Mogi das Cruzes, pernoitou e rumou para Bertioga. De praia em praia, pela Rio-Santos, numa sucessão de paradas técnicas, encantamentos e luaus, o trio se desfez para que cada um se entregasse ao cicloturismo single. Fotos – muitas fotos de tirar o fôlego e registro ocular de cenas e cenários. Muita surpresa, muito aprendizado. E a alegria de pedalar por 600 quilômetros (Sampa-Paraty-Sampa).

Moreira faz música pelas estradas

Maestro Moreira

Tão logo chegou a São Paulo, Anderson Moreira Messias decidiu que voltaria. E passou a elaborar o planejamento detalhado, com foco num projeto mais ousado e impactante – agora single desde o início. Levantar fundos, deixar a bike nos cascos, estabelecer o itinerário e definir o dia da largada compuseram a antessala da viagem, que começou no domingo, 20 de dezembro.  Em um trecho do seu projeto, o cicloviajante explica a gênese do Maestro Moreira.

“Cresci rodeado de músicas e de músicos. Aos 13 anos, aprendi os primeiros acordes no violão que pertencera ao meu avô materno, João Moreira da Silva, uma lenda musical na família e no distrito de Marques dos Reis, Jacarezinho-PR. Aos 16, comecei a estudar mais a sério e nunca mais parei. Há alguns anos, resolvi virar maestro e, desde então, tenho me empenhado em evoluir minhas habilidades práticas e teóricas. Sempre focado no virtuosismo instrumental e no estudo de regência e composição no meu próprio curso de faculdade autodidática. Devo me graduar em pouco tempo”.

O Itinerário de Anderson: São Paulo, Mogi das Cruzes, Biritiba Mirim, Salesópolis, Bairro do Cedro (Paraibuna), Caraguatatuba, Ubatuba e Paraty

Itinerário

Maestro Moreira saiu de São Paulo, pernoitou em Mogi das Cruzes e no dia 21 de dezembro segue para Biritiba Mirim, Salesópolis, Bairro do Cedro (Paraibuna), Caraguatatuba, Ubatuba e Paraty. Em cada localidade, de forma orgânica e casual, descola um canto – para cantar, tocar, expressar sua arte e compartilhar com os circunstantes. Música é bênção. E benção é sempre bem-vinda. Nos intervalos, causos, relatos vivenciais e trocas de figurinhas. Em discurso direto livre, o narrador exclama: – Boa sorte, Maestro Moreira! E sucesso ao Mister MM… rrsss.

O quê? Por quê? Pra quê?

As habilidades do Maestro Moreira em arrancar sons com as mãos das cordas dos seus instrumentos somam-se aos conhecimentos de programador de softwares e de internauta perceptivo. Dono de bom texto e de convicções que extrapolam os limites da caixa, MM é o típico criativo que faz de um limão uma boa limonada.

Define seu projeto como “uma viagem de bicicleta com shows musicais em algumas cidades até Paraty, onde ficarei por todo o verão, batizada de Turnê ciclo-itinerante do Maestro Moreira – Do Natal ao Carnaval pelo litoral com Música instrumental e Canções de luau”.

Define seu projeto como “uma viagem de bicicleta com shows musicais em algumas cidades até Paraty, onde ficarei por todo o verão, batizada de Turnê ciclo-itinerante do Maestro Moreira – Do Natal ao Carnaval pelo litoral com Música instrumental e Canções de luau”.

Explica que “em outubro de 2020, decidi tirar férias por causa do distanciamento do meu filho (João, 11 anos), que está em isolamento social desde o início da pandemia. Houve também outros fatores: as dificuldades de trabalho artístico e musical nesse período, o caos da cidade grande que nos induz a fugir de quando em quando e, por fim, a estafa decorrente de minhas atividades intensas na Ocupação e Centro Cultural Ouvidor 63”.

Maestro Moreira acrescenta que “um dos objetivos da primeira viagem era sondar o potencial de trabalho musical nas cidades do litoral norte de São Paulo e sul do Rio de Janeiro. Gostei de todas e escolhi Paraty, para trabalhar durante a alta temporada do verão. Baseado nos princípios da economia criativa, projetei essa turnê com a intenção de incrementar minha atuação artística e gerar fundos para custear a viagem até meu destino”.

O músico em um pit-stop na estrada

A bike

Uma Caloi modelo Snake com quadro de alumínio, aro 26 e 21 marchas, comprada usada de terceira mão por R$ 100,00 em dezembro de 2019. “Aguentou muito bem os 32 dias e 600 km. E agora, depois de revisão geral e estoque de soluções emergenciais, o veículo está tinindo”, conta o Maestro Moreira. Acrescenta que a ideia original era providenciar uma carretinha, para transportar equipamento de som e instrumentos. Mas faltaram tempo e recursos – e o pequeno reboque foi adiado.

Paraty: uma segunda viagem musical

O show

Ao falar de sua arte, os olhos verdes do Maestro Moreira ganham um brilho contagiante. “Tocarei música instrumental (Choro, Samba, Baião, Frevo, Rock, Blues, Reggae), tudo mesclado com Canções de luau. Um repertório cantado com músicas como Anunciação, Como nossos pais, Caminhando e cantando, Imagine, On the Road Again, A dois passos do Paraíso, Tim Maia, Raul Seixas, Legião Urbana e a minha “música de trabalho”, que é “À Beira Mar” – uma canção para João, de minha autoria”, detalha.

Cada apresentação do músico cicloturista terá, em média, três horas de duração, com dois intervalos breves e disposição para bate-papo após o espetáculo, sobre música, ciclismo, histórias de viagem e outras amenidades. “Haverá um chapéu para contribuições espontâneas e uma banquinha com CDs e fanzines”, prevê.

O multi-artista em sua primeira viagem em Paraty

Encantamento

O que era pra ser um passeio pelas praias, tornou-se uma experiência desafiadora, enriquecedora e transformadora. Maestro Moreira diz, com emoção, que “todos os aspectos da minha pessoa melhoraram: meu corpo ficou mais forte, resistente e ganhei uma cor linda. Meus sentidos se aprimoraram, junto com meus reflexos, pensamentos e intuições. Raciocínio rápido, objetivo e confiante. Meu estado emocional equilibrou-se e os conflitos, rancores e pensamentos ruins deram lugar a uma paz de espírito e clareza de pensamento transcendentais. Foi tão bom que quero mais. E já estou a caminho”, conclui.


SERVIÇO E APOIO:

Maestro Moreira – (maestromoreira.blogspot.com)

E-mail: maestromoreira72@gmail.com

Fone/Zap: +55 11 9 8200 2622

Youtube: #MaestroMoreira

E-bank:
Anderson Moreira Messias
CPF: 145.935.778/70
Banco digital: 290 – PagSeguro Internet S.A.
Tipo: Conta de pagamento
Agência: 0001
Conta: 02285548-0

11-97123-6754 – (zap)


GABRIEL EMIDIO Atua há mais de 30 anos como redator profissional, editor; estrategista em comunicação; assessoria de imprensa e marketing. É professor de Língua Portuguesa, Literatura e Técnica de Redação. Acumula experiência na elaboração e execução de projetos nas diferentes áreas da Comunicação Social. Redige resenhas, reportagens, roteirização de vídeos, áudio para spots de rádio e TV; conteúdos para a web. Fornece serviços de ghost-writer. Atua em jornalismo e publicidade.

 

 

Compartilhe com um amigo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Redaçãohttps://diariodoturismo.com.br
Primeiro e-Diário de Turismo do Brasil

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias para a sua viagem!


    Mais lidas

    Site do Editor

    O jornal dos melhores leitores

    Mais recentes

    A guinada da Selina ao se tornar empresa de capital aberto

    A empresa combinada operará como Selina Hospitality plc e suas ações ordinárias serão listadas na Bolsa de Valores de Nova York sob o símbolo...

    Jhon Douglas, secretário de Turismo do Acre: “Em nosso estado se destaca o Etnoturismo”

    Jhon Douglas da Costa Silva, Secretário de Estado de Empreendedorismo e Turismo do Acre, falou ao DIÁRIO DO TURISMO durante o Festival de Turismo...

    Elaine Tenerello, diretora executiva do Visit Iguassu: “traga o seu evento para Foz do Iguaçu”

    A diretora Executiva do Visit Iguassu, Elaine Tenerello, falou com o DIÁRIO durante o Festival de Turismo das Cataratas, ocorrida em Foz do Iguaçu,...

    IGLTA publica guia de viagem para turistas soropositivos

    O guia apresenta os países que restringem parcialmente a entrada de turistas com HIV e os que não chegam nem mesmo a permitir a...

    Luan Capitânio, CEO da Zumex Brasil: “temos máquinas para pequenas pousadas a grandes hotéis”

    Reinventando a transformação de frutas e verduras em suco com máquinas espremedoras, a Zumex Brasil participou mais uma vez da Equipotel, maior feira de...

    Fabiano Collet, GG do Bourbon Fortaleza comemora ocupação: ““O melhor mês de Fortaleza é janeiro”

    ‘Trocar o pneu com o carro em movimento’. É mais ou menos essa ideia que tive ao conversar com o gerente geral do Bourbon...

    Relacionadas

    Compartilhe com um amigo:
    Pautas e Marketing