Novo tributo para o álcool: uma ideia a ser apoiada

por Guilherme Messas, psiquiatra. coordenador do Comitê para Regulação do Álcool (CRA), membro associado da ABEAD e Professor da FCM/Santa Casa


 
Em recente declaração pública, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou que pretende instituir um novo tributo para o álcool, o tabaco e outros produtos de notória lesividade à saúde. Embora sua intenção, no que se refere ao álcool, tenha sido desautorizada em menos de 24 horas pelo Presidente da República, ela merece o mais amplo apoio da sociedade.
Essa ideia moderniza a estrutura tributária do país, colocando-a em consonância com as iniciativas mais eficazes em termos de saúde pública no mundo. Por exemplo, a Escócia, em 2018, aprovou uma lei pioneira, em que as bebidas alcoólicas são taxadas de acordo com o teor de álcool que possuem. As primeiras avaliações científicas dessa política mostram resultados muito satisfatórios e coerentes com um Estado democrático que procura harmonizar os hábitos da população com as melhores práticas de saúde pública. Observou-se que houve redução de uso de álcool justamente naquela parcela da população que abusa da bebida.
É o uso nocivo do álcool que compromete a saúde pública e, em países como o Brasil, se associa com violência doméstica, violência sexual, homicídios, acidentes automobilísticos, suicídios, abuso de outras drogas, gravidez precoce, além de diversos outros problemas de saúde física e mental.
Controlar o uso nocivo do álcool é uma agenda não somente da saúde pública, mas também de segurança pública, direitos da infância e adolescência, cidadania e, é claro, também da economia.
A elevação de tributos de bebidas alcoólicas combina igualmente com uma agenda econômica avançada, que tenha sintonia com as necessidades da sociedade. Vários estudos científicos demonstram que elevar tributos específicos para álcool é uma medida extremamente eficaz para limitar o efeito nocivo da substância sobre o conjunto da sociedade.
Todos ganham com essa medida, mesmo que, a princípio, possam não ter consciência disso. Embora o Ministro tenha se referido a esse novo tributo como “imposto do pecado” (melhor seria não ter usado essa expressão), essa medida não possui absolutamente nenhuma conotação moral.
Um tributo como esse respeita todas as tradições do país, os valores dos que bebem e daqueles que não bebem, os religiosos e os laicos, pois objetiva o uso controlado de álcool, com o mínimo de impacto social. Espero sinceramente que o Presidente da República reveja sua posição e apoie também essa medida de interesse geral.


*Guilherme Messas, psiquiatra. coordenador do Comitê para Regulação do Álcool (CRA), membro associado da ABEAD (Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas) e Professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Voo inaugural da GOL é recebido com batismo especial em Florianópolis 

Na noite da última quinta-feira (9), a Gol Linhas Aéreas estreou uma nova rota no Aeroporto Internacional de Florianópolis, pousando às 23h30, oriunda de...

José Ozanir sai do Bourbon: “diversas funções exercidas me fizeram ficar tanto tempo”

O hoteleiro José Ozanir Castilhos não é mais o diretor de operações do Bourbon Atibaia Resort. Ele comunicou hoje ao DIÁRIO sua saída. REDAÇÃO DO...

Blue Tree Hotels entra na era room office e lança lança My Space

A rede Blue Tree Hotels anuncia nesta sexta-feira (10) o lançamento do serviço My Space. EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências Trata-se da ambientação dos apartamentos em...

Parques temáticos e de diversão de São Paulo poderão reabrir só outubro

Assim como as feiras comerciais, serão necessárias quatro semanas na fase verde antes do retorno Agências Estaduais Os parques temáticos e de diversão poderão reabrir em...

Etnia Casa Hotel, de Trancoso (BA), reabre em 15 de julho com tecnologia em biossegurança

Tudo pronto para a reabertura. Após publicação de decreto de autorização, pela Prefeitura de Porto Seguro, a Etnia Casa Hotel retoma suas atividades em...

Conheça os  tipos de hóspedes do Intercontinental Cartagena de Índias. Um pode ser você!

Preservando as características internacionais da marca, o Intercontinental Cartagena de Índias – possui serviços e produtos que seduzem qualquer tipo de hóspede Por Paulo Atzingen...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias