O que diferencia o profissional de marketing?

Por Sandra Maia* –

Além do brilho nos olhos, da disponibilidade e da autonomia, o diferencial do profissional de marketing está totalmente vinculado à facilidade que tem de se comunicar e tornar claro o que percebe do mercado. Nesse sentido, não basta ser criativo. Não basta ter um projeto inovador. É preciso saber apresentar propostas, ideias e conseguir implantar aquilo que foi criado.

E isso não é simples, nem fácil, especialmente porque as formas de comunicação estão mais complexas e variadas, o que pode ser determinante para o sucesso ou insucesso de qualquer projeto.

Talvez por isso, o profissional de marketing dependa de tantas informações, pesquisas, fatos e dados. Não dá para iniciar uma conversa ou propor uma mudança com o famoso “eu acho”. Isso não funciona, não funcionou e não vai funcionar.

Os projetos de sucesso têm toda a sua base na interpretação correta das informações disponíveis. Agora, se não há informação, não há como inferir, criar, organizar, planejar.

A competência está, então, vinculada à visão do negócio, ao conceito da marca, às tendências de mercado, à definição assertiva da estratégia correta. Ou seja, um profissional de marketing deve ser, sim, um pesquisador nato ou ter ao seu lado pesquisadores que possam lhe assessorar com tudo o que for relevante, fizer sentido, contribuir para o propósito e objetivos do negócio.

- Advertisement -

Sim, porque não basta ser criativo e inovador. Como afirmado acima, o profissional de sucesso é aquele que consegue acompanhar o negócio sem tirar o olho do mercado, e vice-versa. Entender o que vai dentro e fora da organização, o que vai dentro e fora do setor de atuação e de outros setores que vêm sendo impactados por novos players, novas possibilidades, outras ideias.

Nesse contexto, compreender o cliente, suas necessidades, o que o move, é só uma parte. O profissional precisará sempre mais, se quiser se destacar. O que o cliente quer, como é impactado nos pontos de contato com a marca, quais os melhores canais de distribuição, qual a imagem que possui da marca? Qual a relação que mantém com a marca etc.. (leia-se aqui cliente, como cliente interno, externo, parceiro, fornecedor, etc..).

É! O mundo mudou. O consumidor mudou. O marketing, por consequência, mudou. Relembrando Kotler…

  • MKT 1.0: o produto estava no centro e era vendido da melhor forma. Não havia informação do cliente, nem computadores, nem informações.
  • MKT 2.0: o cliente estava no centro e suas informações impactavam na estratégia dos negócios. Dados demográficos, psicológicos e socioculturais começam a aparecer.
  • MKT 3.0: as empresas estão no centro e precisam mostrar seu propósito, seus valores e cultura em prol de uma vida melhor. O consumidor passa a ser visto como um ser completo, com angústias, preocupações e consciente dos problemas à sua volta. As empresas passam a atuar de forma holística, tudo é marketing, tudo é estratégico. O que conta é ser ético, ecológico, lucrativo.
  • MKT 4.0 (Agora): a sociedade está no centro e o consumidor – dissecado pelo digital – demanda que as organizações se preocupem não só com os quatro P’s: praça, preço, produto, promoção. É preciso estar atento às pessoas, ao planeta, à experiência e ao engajamento. Ética, cidadania, diversidade, colaboração, respeito, propósito, proposta de valor estão em jogo. Se faz bem, ok. Se não faz bem, não é consumido.

Então: sim, ficou mais complexo fazer e atuar em marekting. E é só a partir desse entendimento é que se pode construir marcas fortes e relevantes, que se relacionem com seus públicos de forma saudável, correta.

Nesse contexto, marcas que vão ao encontro dos desejos e necessidades de consumo ganham espaço rapidamente e se tornam mais e mais necessárias – elas fazem sentido. Tornam-se amigas, estabelecem vínculos, são compreendidas como parte da família e, por isso, engajam, comprometem, se diferenciam. Você quer atuar em marketing? Prepare-se. O desafio e as mudanças estão só começando.

*Sandra Maia, especialista em comunicação empresarial, é coordenadora dos cursos de graduação do Centro Universitário Senac: Bacharelado em Hotelaria e Tecnologia em Eventos; e também  consultora nas áreas de Comunicação e Marketing: https://www.cenariostraw4web.com.br
Compartilhe com um amigo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Redaçãohttps://diariodoturismo.com.br
Primeiro e-Diário de Turismo do Brasil

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias para a sua viagem!


    Mais lidas

    Site do Editor

    O jornal dos melhores leitores

    Mais recentes

    EUA adverte que uso de aparelhos 5G pode afetar segurança aérea

    A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) alertou nesta terça-feira (07) que a interferência do uso de tecnologia 5G representava um risco...

    Aniversário da Avenida Paulista terá Nando Reis, Rincon Sapiência e piano voador

    No dia 08 de dezembro, a Avenida Paulista celebra 130 anos de fundação. Uma das vias mais tradicionais do país, ela ganha uma maratona de comemorações...

    Um observatório de mundo – por Thomas Bruno Oliveira*

    Na mercearia de meu pai, onde passei os decisivos e marcantes anos de minha infância, sempre fui um observador das coisas e das pessoas,...

    Luciana Leite, do Parque das Aves: “temos a missão de acolher a fauna vitimada”!

    Dois lugares que são considerados visitas obrigatórias para os visitantes de Foz do Iguaçu: as Cataratas e o Parque das Aves. As Cataratas são...

    Empresas de eventos e turismo têm até o final do ano para negociar dívidas tributárias

    As empresas do setor de eventos e turismo têm até o dia 29 de dezembro de 2021 para aderir aos programas de negociação de...

    Estados Unidos endurecem regras para cães procedentes do Brasil

    Os animais que chegam de países classificados como de alto risco para raiva, que inclui o Brasil, só poderão ingressar nos Estados Unidos por...

    Relacionadas

    Compartilhe com um amigo:
    Pautas e Marketing