About the author

Paulo Atzingen

Paulo Atzingen

Sou jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursei Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará, fui professor em Escola Pública e cursos pré-vestibular. Produzi reportagens na Amazônia sobre sustentabilidade e questões étnicas. Lancei em 1998 minha primeira revista, a PAYSAGE – dirigindo-a e publicando-a por três anos. Em Belém, fui repórter do jornal O Liberal, O Paraense e articulista do jornal A Província do Pará e Diário do Pará. Ganhei alguns concursos, e publiquei três livros de ficção em prosa publicados via editais. “Cronicontos Marabaenses”, “O Boi e o Ferro Gusa” e “O Turista Encarnado“. De volta à terra natal, São Paulo, trabalhei como redator no jornal de turismo Brasilturis e fundei em 2005 o DIÁRIO DO TURISMO, o primeiro jornal On-line Diário de Turismo do Brasil. Como redator e jornalista ganhei o Prêmio O Petróleo é Nosso – da Petrobrás e duas vezes o prêmio de jornalismo Comendador Marques dos Reis, em Belém (2006 e 2016). Em 2016 lancei a revista digital PAYSAGE HOTELEIRA com foco no mercado hoteleiro corporativo. Em 2017 lancei meu site com textos autorais, o atzingen.com.br. E em 2018, publiquei meu 4º livro: "Em Busca da Realidade Mágica. Sou casado e pai de dois filhos. Toco gaita.

2 Comments

  1. 1

    GIAcomo

    Hoje é o Dia da Criação…

    Mulher, Deus te criou;
    e os homens
    seguem te criando eternamente;
    vestem a tua juventude
    a maturidade e a velhice,
    com a beleza vista
    nos seus corações,
    e nos seus anseios!

    AH Mulher,
    até
    a Luz se vier das pedras
    tu a colhes, mulher
    generosamente
    distribui!

    AH Mulher
    meio mulher,
    meio sonho
    tão generosa
    e à janela do mundo.

    AH Mulher
    Nem todo o Sal do mar,
    — a mão que acaricia
    e no mesmo gesto fere
    a escuridão do espaço
    nada,
    é demais na mulher.

    AH Mulher
    É por ti que a poesia nasce
    E o poeta vai pintando
    a sua imaginária tela,
    e o pintor dá às tuas formas,
    dia após dia,
    uma nova imortalidade.

    AH Mulher
    Para te adornar, para te vestir,
    para tornar-te mais preciosa,
    o mar traz as suas pérolas,
    a terra o seu ouro,
    os jardins e até a selva
    as flores e as orquídeas.

    Vê lá depois disto
    Segue que
    Te chamem Mulher!

    1. 1.1
      Paulo Atzingen

      Paulo Atzingen

      Olá Giacomo, gostaríamos de publicar esse poema ainda hoje.
      É de sua autoria?
      se sim, nos autoriza a publicação?
      atenciosamente.

      Paulo Atzingen
      editor do DIÁRIO DO TURISMO

Comments are closed.

Copyright 2017 - Diário do Turismo - Todos os direitos reservados. Agência de Marketing Digital | NetGuaraná