Parlamento britânico rejeita acordo do Brexit

Parlamentares britânicos derrotaram o acordo do Brexit negociado pela primeira-ministra, Theresa May, por esmagadora maioria nesta terça-feira, deflagrando a possibilidade de uma saída desordenada do Reino Unido da União Europeia ou até mesmo uma reversão da decisão tomada em 2016 de deixar o bloco.

O Parlamento votou contra o acordo por 432 votos a 202, a pior derrota parlamentar de um governo na história recente do Reino Unido. Alguns de seus próprios parlamentares – tanto apoiadores do Brexit quando defensores da permanência na UE – uniram forças para rejeitar o acordo.

O líder do Partido Trabalhista, de oposição, Jeremy Corbyn, imediatamente convocou um voto de desconfiança contra o governo de May, a ser realizado dentro de 24 horas.

Com o relógio contando até 29 de março, data estabelecida por lei para o Brexit, o Reino Unido agora está no meio de sua mais profunda crise política em meio século, no momento em que enfrenta como, ou até mesmo se, deixar o projeto europeu ao qual se uniu em 1973.

O fracasso esmagador de May, a primeira derrota de um tratado no Parlamento britânico desde 1864, marca o colapso de sua estratégia de dois anos de forjar uma separação amigável

O fracasso esmagador de May, a primeira derrota de um tratado no Parlamento britânico desde 1864, marca o colapso de sua estratégia de dois anos de forjar uma separação amigável de relações próximas com a UE após a saída em 29 de março.

“Está claro que a Casa não apoia esse acordo, mas a votação desta noite não nos diz nada sobre o que ela apoia”, disse May ao Parlamento, momentos após o resultado ser anunciado.

“Precisamos confirmar se esse governo ainda desfruta da confiança desta Casa”, disse.

May afirmou que o Parlamento havia falado e que o governo escutou. O pequeno Partido Unionista Democrático (DUP), da Irlanda do Norte, que garante seu governo de minoria e disse que iria se opor ao acordo, afirmou que ainda apoiará May no voto de desconfiança.

A UE disse que o acordo para o Brexit continua sendo o melhor e único modo de assegurar uma saída ordenada do bloco.

“O acordo do Brexit está basicamente morto”, disse Anand Menon, professor de política europeia e relações exteriores da King’s College, em Londres. (Reuters)

PATROCINADO

PATROCINADO

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro, é reaberto para visitantes

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) reabriu na última quinta-feira (09) mais um importante atrativo turístico do país: o Parque Nacional...

Aeroportos se preparam para o mundo das viagens pós-Covid 19

CHICAGO (Reuters) - Com o COVID-19 devastando o setor de aviação, as companhias aéreas e os aeroportos do mundo todo estão controlando os custos...

WTTC lança campanha para que cadeia do turismo use máscaras

Enquanto não houver vacina para o Covid-19, seu uso ajudará a promover viagens mais seguras e impulsionará a recuperação das economias TRADUÇÃO DO DIÁRIO com...

Latam entra em recuperação judicial no Brasil, com solicitação a tribunal de Nova York

O Grupo Latam Airlines decidiu incluir a operação brasileira no processo de recuperação judicial, solicitado em um tribunal de Nova York, em 26 de...

Parques Walt Disney World Resort reabrem neste sábado (11)

Os parques temáticos Magic Kingdom e Disney’s Animal Kingdom reabrem no dia 11 de julho, seguidos do EPCOT e Disney’s Hollywood Studios, no dia...

Com demissões, CVC estima perdas de R$ 756 milhões com a pandemia

A CVC Corp, maior grupo de turismo do país, anunciou uma previsão de perdas de R$ 756 milhões durante o primeiro semestre do ano,...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias