Por que as Olimpíadas de Tóquio são a mais cara da história? (Veja os Infográficos!)

Pesquisa revela um gasto superior duas vezes que a média das outras olimpíadas

EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências


As Olimpíadas de Tóquio é considerada as olimpíadas mais caras em volume financeiro já investido por um país para sua preparação. No total, o Japão investiu mais de 28 bilhões de dólares, quase 30% a mais que a segunda olimpíadas mais cara já produzida (Rússia, em 2014), e mais que duas vezes a média gasta pelos outros países (12 bilhões de dólares).

É o que revela um estudo divulgado pela plataforma CupomValido.com.br que reuniu dados do Comitê de Olimpíadas Internacional e Statista, sobre as olimpíadas.

O Brasil não ficou muito para trás, com as Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016, o país ficou em 4ª posição com um dos maiores gastos envolvendo as olimpíadas, totalizando 13.7 bilhões de dólares.

- Advertisement -

Por que as Olimpíadas de Tóquio saíram tão caro?

O alto custo pode ser explicado principalmente por dois motivos.

O primeiro motivo está relacionado ao orçamento previsto inicialmente para o investimento nas olimpíadas. Como existem diversas variáveis, o orçamento está sujeito a incertezas, que resultada em grandes estouros de gastos.

Desde 1960, todas as olímpiadas realizadas, sem exceção, tiveram um gasto superior que orçamento inicial planejado. No caso de Tóquio, houve um aumento de três vezes o custo inicial planejado.

O segundo motivo pode ser explicado pela postergação do evento pelo COVID, com data inicialmente programada para 2020.

Estima-se que o Japão teve uma perda de mais de 5,7 bilhões de dólares, com gasto adicionais com manutenção, custo com cancelamentos e reorganização do evento.

Além do custo para produção do evento sair maior, a receita caiu significativamente, pois mais de 800.000 ingressos foram reembolsados por solicitado de cancelamento pelos compradores.

A pandemia afetou também o método de preferência para assistir as olimpíadas. Diferentemente dos anos anteriores que a preferência era assistir o evento no local, neste ano 59,8% das pessoas preferiram assistir de casa, contra 7,6% no local do evento.

Grande parte da população ainda é contra a realização das olimpíadas num panorama de contaminações do COVID. Segundo a pesquisa, 57% da população é contra a realização das Olimpíadas de Tóquio, e no Brasil este número é ainda maior, 68% da população é contraria.

Medalhas feitas de celular

Diferentemente de todas as olimpíadas, as medalhas das Olimpíadas de Tóquio foram confeccionadas a partir de celulares e outros pequenos aparelhos reciclados, como câmeras, notebooks e videogames.

O Japão realizou uma campanha onde foram arrecadadas 78 toneladas de equipamentos e 6.2 milhões de telefones usados.

Isso resultou em 32kg de ouro puro, 3.500kg de prata e 2.200kg de cobre, que depois foram utilizados para a fabricação das medalhas.

Um fato curioso, é que a medalha de ouro contém 550 gramas de prata e somente 6 gramas de ouro. No total a medalha de ouro vale R$4.109, a de prata R$2.288 e a de bronze R$21 (cobre é um material extremamente barato).

Lembrando que este é o custo levando em consideração somente os preços dos metais utilizados na fabricação. É possível encontrar medalhas nos sites de leilões por até R$250.000. No entanto, para muitos atletas, o preço de uma medalha é impagável.

Novas modalidades esportivas

As Olimpíadas de Tóquio terão 33 modalidades de esportes, e 22 na Paraolimpíadas. O atletismo é o esporte mais popular, seguido de beisebol e futebol, respectivamente.

Recentemente foram adicionadas as modalidades karatê, skate, escalada esportiva e surfe. Nas Paraolimpíadas, foram recentemente adicionados o badminton e taekwondo.

No total 11.500 atletas irão participar das olimpíadas, sendo o atletismo o esporte com mais participantes, no total são 1.900 atletas. Esportes aquáticos e ciclismos seguem em segunda e terceira posição, com 1.410 e 528, respectivamente.

Fonte: Comitê de Olimpíadas Internacional, Cupom Válido, Statista

 

Compartilhe com um amigo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias para a sua viagem!


    Mais lidas

    Site do Editor

    O jornal dos melhores leitores

    Mais recentes

    O surgimento do novo turista: o viajante consciente

    O impacto da pandemia e do trabalho remoto deve transformar o turismo. Mais calmos e conscientes, conheça o novo perfil dos viajantes. Por Cláudio Leon...

    Brasil é o 3º país que mais usa redes sociais no mundo (veja os infográficos!)

    O Brasil é o 3º país que mais usa redes sociais no mundo, com uma média de 3 horas e 42 minutos por dia....

    Roberto Bertino, CEO do grupo Nobile: “A hotelaria vive uma mutação”

    Fundador e presidente do grupo Nobile Hotels & Resorts, Roberto Bertino fala ao DIÁRIO sobre o início da sua jornada na hotelaria, aponta os...

    Embora remota, erupção de vulcão nas Ilhas Canárias, pode causar tsunami no Brasil

    O vulcão Cumbre Vieja, em La Palma - ilha que compõe o conjunto das Ilhas Canárias espanholas entrou em erupção na tarde deste domingo...

    Feira EBS 2021 confirma edição presencial e abre credenciamento

    Evento abre o calendário oficial do mercado de eventos corporativos com exposição, rodadas de negócio e congresso, nos dias 27 e 28 de outubro,...

    Quer ir para a Irlanda? Escola oferece bolsas de estudo para celebrar a reabertura

    SEDA College está oferecendo descontos de 20% para brasileiros que querem estudar em Dublin, capital da Irlanda EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências Os maus ventos parecem...

    Relacionadas

    Compartilhe com um amigo:
    Pautas e Marketing