Rei Juan Carlos marca encontro com o professor de La Casa de Papel

por Paulo Atzingen*


Com a transferência do julgamento do grupo do professor Sérgio Marquina para Barcelona tive que me despedir de Madri. Parti naquela mesma segunda-feira para Catalunha, muito, mas muito aliviado. O estresse que nos acompanha de todo evento social é um bicho de sete cabeças que aparece à noite em meio aos sonhos e começa a martelar a mente logo quando se desperta. Aguardar um tribunal longe de seu país de origem, mesmo sendo apenas testemunha, levava minha ansiedade às alturas.

Fiz o check’in no hotel e corri para o Terminal de Atocha. O trem-bala para Barcelona partiria às 13 horas. Eram apenas três horas para aqueles 650 quilômetros que separavam as duas metrópoles. Mas as diferenças só começavam aí. A intervenção do juiz de Tarragona levando o caso do assalto à Casa da Moeda da Espanha para Barcelona acirrou ainda mais a rivalidade daquelas cidades; uma rivalidade que ia muito além do clássico Real Madri Club de Fútbol versus o Futbol Club Barcelona.

Ao chegar ao Terminal de Atocha em cima da hora, só tive tempo de comprar o El País e metê-lo na mala. A ideia era ir lendo sobre a história desse país e me informar sobre o desenrolar do caso. 650 quilômetros separavam Madri de Barcelona. Mas essa distância era muito maior. Vinha desde a Guerra Civil Espanhola e se intensificou com o governo do ditador Francisco Franco Bahamonde, até sua morte em 1975. A diferença entre catalães e madrilenhos é muito parecida àquela entre cariocas e paulistas no futebol, mas nossas diferenças tropicais terminam quando a bola para de rolar. Os catalães vão além. Querem ser apartados dos espanhóis por sua diferença de estirpe, história e ideais.

Trem-bala emocional

O trem-bala partiu exatamente às 13h. Ao olhar pela janela do trem via um país passando a limpo e os segundos naquele trem-bala elevavam minha sensibilidade como se eu fosse dono do tempo. Viajar pelo coração de um país ou de qualquer lugar tem a ver com as viagens que já fizemos no coração de carne e veias e artérias, tem a ver com viagens da alma. Os turistas superficiais tiram fotos para se exibirem e dizerem que foram lá. Os viajantes verdadeiros juntam suas viagens passadas e emocionais e a trazem para um lugar onde as pessoas de verdade se encontram, se abraçam e se reconhecem. Ao olhar aquelas planícies, vi duas imagens que me tocaram o coração e a mente, pois me empurraram para o passado. A primeira foram os moinhos de vento da região de Castilha, em La Mancha. Depois foram os castelos medievais, na região de Aragon. Essas imagens me remetiam a dois mundos antagônicos: o da simplicidade e o da nobreza. O da simplicidade dos moinhos com o trabalho da moagem dos grãos e das colheitas  e o da nobreza com a administração do trabalho, e o seu uso-fruto, muitas vezes (e quase sempre) ilegítimo.

O trem-bala deixava as paisagens para trás mas os moinhos de vento insistiam e a imagem de Dom Quixote de La Mancha me vem à lembrança. Era o cavaleiro errante e idealista que lutava contra os moinhos de vento achando que eram dragões. Era o cavaleiro da triste figura que enfrentava carneiros pensando que era um batalhão de soldados inimigos. Essa imagem dos moinhos era intercalada pela presença imponente dos castelos plantados a mais de mil anos naquela terra. Esse antagonismo mental passava-me pela cabeça ao mesmo tempo que a paisagem da janela corria intercalando videiras e oliveiras, plantações de girassóis e de milho. Tudo isso, olhando a paisagem dentro do trem bala. Não durou um segundo.

O trem-bala deixava as paisagens para trás mas os moinhos de vento insistiam e a imagem de Dom Quixote de La Mancha me vem à lembrança (Crédito: arquivo de viagem)

Encontro marcado

Resolvo voltar para meu mundo real. Tiro da maleta o El País que traz a seguinte chamada de capa: “Rei Dom Juan foge da Espanha e vai se encontrar com o professor de La Casa de Papel”.

Não acreditava no que lia. O El País é um jornal que evita o sensacionalismo e tem uma linha editorial contrária às fake-news. Leio novamente: ““Rei Dom Juan foge da Espanha e vai se encontrar com o professor de La Casa de Papel”. A notícia que ganhou destaque na página 3 do jornal dizia o seguinte:

“O rei emérito de Espanha, Juan Carlos I, deixou na segunda-feira o país, após o escândalo das contas dele na Suíça e dos milionários presentes a duas amantes. Para não ameaçar a monarquia comunicou sua saída ao atual rei, seu filho, Fernando VI”.

Inicialmente a imprensa especulou que ele estaria em Portugal, no palácio que possui em Cascais. Nesta edição de segunda-feira as investigações garantem que ele irá se encontrar com o líder do saque da Casa da Moeda Sérgio Marquina, conhecido como “o professor”.

“Entre as acusações ao ex-rei de 82 anos pesam fraude fiscal, lavagem de dinheiro e tráfico de influência”, diz o jornal.

O que ex-Rei, proporia ao professor? Fundar uma instituição financeira? Criar um paraíso fiscal no Caribe? Ou propor um acordo conjunto para enfrentarem os dois a Corte Espanhola?

Desembarco na Estació de Sants em Barcelona às 16 horas exatamente e vou direto para o hotel. Estou cansado, confuso. Nesta terra de artistas surreais, cavaleiros que lutam contra moinhos e reis que fogem de seu próprio país,  não sei mais o que é verdade ou mentira.


*Paulo Atzingen é jornalista


**Esta história é uma obra de ficção, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência – Leia os outros capítulos desta novela nas edições futuras do DIÁRIO DO TURISMO.

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Emirates mantém ajuda a Beirute e conta com a generosidade de seus clientes

DIÁRIO com agências Em nota, a empresa aérea informa que as contribuições chegam de clientes da Emirates do mundo todo, em dinheiro ou milhas Skywards,...

IATA altera para baixo sua previsão de tráfego aéreo para 2020

Genebra - A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) alterou para baixo sua previsão de tráfego para 2020, refletindo uma recuperação mais fraca do...

Em 1982 fiz a minha primeira viagem para a Itália

Em 1982 fiz a minha primeira viagem para a Itália para participar da Convenção Anual da AEB SPA, empresa de produtos enológicos, na época...

Instituto da Transformação Digital lança programa ITD Partners

No próximo dia 2 de outubro o Instituto da Transformação Digital lança o programa ITD - Partners. DIÁRIO com agências O evento, obviamente digital, acontecerá em...

E-book detalha informações sobre recuperação judicial de empresas

Informações relevantes sobre as medidas necessárias e exigidas por lei em relação à retomada de negócios, principalmente, no atual cenário econômico imposto pela pandemia...

Harvard: máscaras faciais usadas durante toda a viagem oferecem grande proteção contra a COVID-19

As máscaras faciais são parte essencial de uma estratégia em múltiplas frentes para manter os clientes seguros e reduzir a transmissão de COVID-19 durante...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias

Open chat