Rodrigo Lovatti, diretor da Belmond no Brasil: “temos que acreditar no país”

0
81
Belmond Bellini Club: relacionamento mais próximo entre a rede Belmond e algumas das melhores agências de viagens de luxo do mundo (Foto: Alle Vidal)

Rodrigo Lovatti tem uma carreira construída no Belmond Copacabana Palace, ingressando em 1988 como estagiário de Turismo, passando por vários setores de atendimento direto ao hóspede. Assumiu a direção de Vendas e Marketing da Belmond no Brasil em 2012, após três anos à frente da gerência de Vendas. Com especialização em MBA Gestão Empresarial, pela Fundação Getúlio Vargas, o executivo possui profundo conhecimento em hotelaria e larga experiência adquirida nos diversos setores do Copacabana Palace. Nesta entrevista, Lovatti fala sobre o Belmond Bellini Club e a recente edição do Bellini Bravíssimo, evento que valoriza os principais agentes de turismo de luxo que integram o seleto grupo e se sobressaem em vendas. Acompanhe:

DIÁRIO – Na sua opinião, qual é o panorama do turismo de luxo no Brasil? Há uma demanda reprimida ou não?

RODRIGO LOVATTI:  O Brasil tem muito a evoluir e as opções na hotelaria de luxo ainda são muito limitadas. Sem dúvida temos grande potencial de demanda reprimida, seja considerando um crescimento de turismo de luxo interno, quanto externo. Apesar do momento de instabilidade econômica, nossa visão deve ser mais a longo prazo. Acredito e precisamos todos acreditar neste país.

DIÁRIO – Quando foi criado o Belmond Bellini Club e qual sua proposta principal?

RODRIGO LOVATTI: O Belmond Bellini Club foi criado em 2008 com o intuito de criar um relacionamento mais próximo entre a rede Belmond e algumas das melhores agências de viagens de luxo ao redor do mundo. Para fazer parte deste seleto grupo, convidamos apenas as melhores agências de turismo de luxo e encorajamos cada uma a se tornar uma verdadeira embaixadora da marca Belmond na indústria do turismo. Além de uma comissão premium para os agentes de viagens que integram o grupo, clientes que se hospedam nos hotéis da rede com uma das agências participantes são recebidos pelo Gerente Geral da unidade, ganham upgrade de categoria, quando disponível, e amenities de boas-vindas, dentre outros mimos para tornar a experiência de hospedagem em um destino Belmond ainda mais especial.

DIÁRIO – O dólar rompeu a barreira dos R$ 3,00 e permanece nesse índice. Esse quadro chega a afetar o mercado de luxo e por quê?

RODRIGO LOVATTI: Algumas pesquisas apontam que, na contramão da crise e da alta do dólar, alguns setores do mercado de luxo estão, na verdade, crescendo, como o de carros. No turismo, não acredito que a alta do dólar deva diminuir as viagens, mas apenas fazer com que o cliente adote outros critérios de decisão. Destinos nacionais e também na América do Sul serão mais procurados, por exemplo.

Agentes Bellini Club em visita ao templo do futebol, o Maracanã (Foto: divulgação)
Agentes Bellini Club em visita ao templo do futebol, o Maracanã (Foto: divulgação)

DIÁRIO – Fale sobre essa edição do Bellini Bravissimo…

RODRIGO LOVATTI: Na edição deste ano, pela primeira vez, os dois hotéis da Belmond no Brasil receberam uma edição do Bellini Bravissimo. Durante uma semana, os 30 principais agentes de turismo de luxo que fazem parte do grupo conheceram o Belmond Hotel das Cataratas e o Belmond Copacabana Palace, com passeios que incluíram visitas aos principais pontos turísticos de cada cidade. Em Foz do Iguaçu, por exemplo, promovemos um brinde privativo para assistir ao pôr do sol nas Cataratas e para a surpresa do grupo, nosso Gerente Geral apareceu na saída do passeio do Macuco Safari esquiando de terno a caminho do hotel. Já no Rio, tivemos uma mini partida de futebol em um tour privativo no Maracanã, nado sincronizado na piscina do Copa, um coquetel super exclusivo na suíte presidencial com DJ e um artista fazendo quadros de suas caricaturas, um jantar degustação harmonizado com sakê no MEE, restaurante que tem uma estrela no Guia Michelin, e ainda um passeio de helicóptero pela orla onde uma faixa cobria a fachada do Copa dizendo Cheers Bellini Bravissmos! Como encerramento, também promovemos uma festa no Golden Room, do Copa, com menu assinado pelo nosso chef-executivo Pierre-Olivier Petit e a presença da nossa diretora-geral Andréa Natal e outros diretores e gerentes do hotel.

DIÁRIO –  No bolo de faturamento e número de hóspedes, você pode apresentar-nos a pizza em percentuais dos dois empreendimentos da Belmond no Brasil? O Copacabana Palace responde por quantos % em faturamento e hóspedes? O Hotel das Cataratas responde por quantos % em faturamento e hóspedes?

RODRIGO LOVATTI: Infelizmente não divulgamos esses números.

 

 

 

 

Publicidade