Salton: uma história na garrafa

Por Marco Antonio Badia (repórter especial do Diário do Turismo)

A história é centenária, 105 anos, para ser mais preciso. Em 1910 a empresa “Paulo Salton e Irmãos” foi fundada, na colônia de Dona Isabel, em Bento Gonçalves (RS). De lá para cá, a história da empresa emaranhou-se com os fatos ocorridos com a família e com a marca. Mais de um século se passou e a Salton continua mantendo a essência das boas cepas: 100% familiar.

Um fato novo dessa história ocorreu nesta terça-feira (25), em São Paulo:  um jantar em comemoração aos 105 anos da Vinícola, no aconchegante restaurante Herdade. Quatro membros do clã Salton – Fátima, Luciana, Júlia e Stella – compartilhando o mesmo sobrenome, acompanhadas de sua Sommelier Carina Cooper e de Cleber Slaifer, diretor comercial da empresa, são os personagens principais desta singela narrativa.

Carina Cooper: apresentou as características de alguns vinhos
Carina Cooper: apresentou as características de alguns vinhos

“Aumentar o consumo de Salton”

Luciana Salton, diretora executiva da companhia, e representante da 4ª geração da família, abriu seu breve discurso com agradecimentos e revelando a missão da empresa: “Queremos aumentar o consumo de vinhos no Brasil.”, complementando em tom leve e descontraído: “De preferência que este consumo seja de vinhos Salton”. Em meio aos risos da plateia interessada, ela, alternando em momentos de firmeza e descontração, relembrou o sonho de Antonio Domenico Salton – imigrante italiano que trouxe as primeiras vinhas que foram plantadas na região – de reconstruir a vida de sua família no “nuovo mondo”.

Rótulos

Vários rótulos da marca foram selecionados pela Sommelier Carina para nos acompanhar em uma degustação entre os pratos típicos da região sul que ganharam um toque sofisticado do Chef do restaurante. Embora todos fossem esplendorosos, um rótulo se destacou mais que os outros: o vinho Antonio “Nini” Salton.

O rótulo que possui apenas 13 mil garrafas numeradas, marca o quarto produto da série Gerações, que homenageia os grandes líderes da família Salton, que marcaram esta história centenária. Nini ou “O Químico” como é conhecido, foi o primeiro enólogo da marca, que ainda em 1972, utilizou de sua intuição para guiar os produtos a um novo grau de complexidade e sofisticação. Carina Cooper explica que o vinho, amadurecido durante 12 meses em barricas francesas, é um assemblage elaborado com as uvas Cabernet Sauvignon, Merlot, Malbec e Cabernet Franc. “O resultado é um vinho com uma coloração roxa “intensa, viva e aromas de especiarias, frutas roxas, chocolate, baunilha, nozes, balsâmico, eucalipto, folhas secas, nota de tostado e na boca possui muito corpo, excelente fruta e acidez, com taninos maduros de grande permanência de seu sabor”, explica, do alto de sua sabedoria dionísica. A garrafa sai em média por R$ 103,00.

Salton Nini - vinho em homenagem aos líderes da Salton
Salton Nini – vinho em homenagem aos líderes da Salton

À mesa com a família

Fátima Salton, matriarca da família – que nos deu a honra de sentar à mesa, completou a noite com diversas histórias inusitadas sobre a família e sobre a marca, e como não podia ser diferente, falou sobre os novos integrantes recém-nascidos da família, que, segundo ela, serão a 5ª geração que comandará a empresa. Uma verdadeira história em que tradição, paixão e honestidade fundem-se, dentro de uma garrafa.

https://www.salton.com.br/

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial