Senna e Mauricio de Sousa são lembrados em 25 anos da Torres & Baldacci Associados

(Edição do DIÁRIO com agências)

Com o objetivo de traduzir as técnicas e conceitos americanos de atuação em parques temáticos e atrações turísticas para o mercado brasileiro, foi fundada, em agosto de 1991, a Torres & Baldacci Associados Planejamento em Projetos Turísticos, que celebra seus 25 anos.

A empresa, liderada por Alain Baldacci, que já ocupou, entre outros, o posto de Presidente Mundial da Association of Amusement Parks and Attractions (IAAPA), com sede em Washington, contabiliza mais de 60 estudos de mercado, além de ser a responsável por trazer para o Brasil a marca Wet’n Wild. “Foi preparando e estudando o mercado brasileiro para receber o parque aquático Wet’n Wild, considerado o mais famoso do mundo, que nasceu a Torres & Baldacci”, relembra Baldacci.

Entre os mais de 60 estudos, estão projetos que a empresa ajudou a desenvolver no processo de turn-key, como o Parque Temático de Automobilismo Fórmula S, em parceria com Ayrton Senna, que chegou a ter equipamentos comprados no exterior e seria lançado na semana seguinte ao acidente que vitimou o piloto, em 1994. “Coisas do destino“, diz Baldacci ao lembrar que o fato está registrado no livro sobre o Campeão: “Ayrton, um heroi revelado”.

Também cita, com emoção, a longa parceria com Maurício de Sousa, com o qual desenvolveu a “Ilha Misteriosa do Cascão”, no parque aquático Wet’n Wild. “Foi uma benção e um grande privilégio ter tido a oportunidade de conhecer, trabalhar a e desenvolver projetos com Maurício. Ele é de fato um grande parceiro, uma pessoa genial, simples e inspiradora do bem”, enfatiza Baldacci.

Outro projeto que teve a concepção e implantação da Torres & Baldacci é o maior parque temático indoor do Brasil: o Parque do Gugu, que se transformou em Mundo da Xuxa e hoje é o Parque da Mônica. “Tenho orgulho em falar desse projeto, pois seu conceito único no Brasil, mesmo com a mudança de bandeira, continua sendo um grande sucesso, mesmo quase 20 anos após sua inauguração”, afirma.

A empresa vem mapeamento o potencial do Brasil, que de acordo com Baldacci é muito positivo e grandioso. “Temos potencial para sermos 30 vezes maiores do que somos. Esse é um segmento muito vasto, com muitas variáveis que podem ser conjugadas com empreendimentos imobiliários, hotelaria, compras e entretenimento, e torná-los fortes atrativos e destinos turísticos”. Ainda segundo o empresário, o segmento é lucrativo em todo o mundo. “No Brasil, porém, existem entraves históricos que precisam ser removidos para que o segmento faça seu papel de mola propulsora do turismo de lazer, como o é em muitos outros países”.

Avatar
Redaçãohttps://www.diariodoturismo.com.br
Primeiro e-Diário de Turismo do Brasil

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Suíça restringe entrada de visitantes de 29 países, entre eles os do Brasil

 A partir de 6 de julho, viajantes de 29 países que quiserem ir à Suíça terão que se registrar com as autoridades e se...

Vinícola Santa Rita premiada pela oitava vez consecutiva em ranking global

Santa Rita foi reconhecida como uma das Marcas de Vinho Mais Admiradas do Mundo, posicionando-se entre as top 50 de forma constante nos últimos...

HotelCare fará gestão profissional de hotéis da Tempus Hotelaria

Durante uma coletiva de imprensa virtual nessa quinta-feira (2) em São Paulo, os diretores da HotelCare anunciaram o início da gestão profissional de algumas...

Delta reintroduz cervejas e vinhos nos voos dentro dos Estados Unidos

A partir de hoje, 2 de julho, os clientes da First Class e da Delta Comfort+ que voarem dentro dos Estados Unidos começarão a encontrar cerveja e vinho de cortesia...

Pesquisa revela: 38% dos brasileiros vai esperar 9 meses para entrar em avião

Pandemia cria novas formas de consumo a longo prazo para 67% dos brasileiros EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências O isolamento social ditou uma nova forma de...

IATA: financiamento público de medidas de saúde deve ser assegurado

Nesta quinta-feira (2), o Conselho Internacional de Aeroportos de Montreal (ACI) e a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) solicitaram que os custos relacionados...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias