Turismo da Cidade do Cabo despenca com a nova variante do coronavírus Omicron

CIDADE DO CABO, 30 DE NOVEMBRO (Reuters) – A chegada do transatlântico Europa na Cidade do Cabo nesta terça-feira (30) deveria ser uma celebração de corte de fita que marcaria o início oficial da temporada de navios de cruzeiro no principal centro turístico da África do Sul, o primeiro desde o ataque da pandemia COVID-19.

Com Edição do DT


Mas as restrições internacionais de viagens no sul da África, onde a nova variante do coronavírus Omicron foi identificada pela primeira vez, acabaram com as expectativas de uma temporada turística de para-choques fora da água.

Uma sucessão de restrições duras martelaram um setor turístico local dependente de turistas estrangeiros à medida que as empresas fechavam suas portas e fulminavam milhares de empregos na área da hospitalidade.

Agora, as restrições de viagem impostas pela União Europeia, Grã-Bretanha e Estados Unidos por causa da Omicron, designada uma variante de preocupação pela Organização Mundial da Saúde, viram os três maiores mercados da região serem cortados.

De propriedade da empresa alemã de viagens TUI Group (TUIGn.DE),o navio que transportava centenas de passageiros e tripulantes estava navegando de Luderitz, na Namíbia, para a Cidade do Cabo, quando as notícias de Omicron quebraram e levantaram a possibilidade de que o navio poderia ser redirecionado.

“Os passageiros que se dirigem ao aeroporto terão que fazer um teste de PCR (COVID-19) antes de sair”, disse ela à Reuters sem fornecer detalhes do número de passageiros ou nacionalidades.

Aproximadamente 157 passageiros, que desembarcaram em pequenos lotes, serão catalogados pelos serviços de imigração até quinta-feira (2), de acordo com seus horários de voo, disse outro funcionário. Não haverá mudança de tripulação.

Os passageiros tinham programado visitar atrações como Table Mountain ou a prisão da era do apartheid Robben Island, onde o ex-presidente Nelson Mandela ficou preso.

O navio foi originalmente destinado a permanecer no porto até 2 de dezembro, mas agora partirá um dia depois, pois os passageiros estão sendo testados em um laboratório estatal no terminal de cruzeiros.

“Este foi um golpe para o nosso principal setor de geração de empregos na província precisamente quando precisávamos de uma recuperação, para recuperar os empregos perdidos nos últimos 19 meses”, disse Alan Winde, primeiro-ministro da província do Cabo Ocidental.

A temporada de verão é vital para a Cidade do Cabo, que perdeu cerca de 75 mil empregos turísticos na pandemia, disseram autoridades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT