Turismo Pet Friendly não é tendência, é realidade!

Turismo pet friendly foi tendência há 10 anos, hoje já é realidade.

*por Sharlene Irente


Pra começar, vamos direto aos números do turismo pet friendly no Brasil.

Em 2021: Pesquisa realizada pelo site Hoteis.com revelaram que 82% dos entrevistados pretendem viajar com seus animais. Outra pesquisa realizada pela Decode, mostrou que a busca on line pelo termo “hotel pet friendly” cresceu 238% durante a pandemia.

Em 2022: Informações do Booking.com revela que 46% dos brasileiros vão escolher o próximo destino de férias baseado no quão Pet Friendly ele é. Filtro “Aceita pets” é o terceiro mais usado na seção de comodidades do Booking no Brasil.

A para falarmos de turismo pet friendly é importante contextualizarmos, e olharmos o papel atual dos pets nas famílias.

Esqueça aquele conceito de cachorro no quintal, cuidando da casa. Por mais que (infelizmente) esta realidade ainda exista, cada vez esse cenário vem mudando a cada dia.

Família multiespécie

Os animais estão ganhando espaço como membros da família, e até como filhos. Uma pesquisa realizada pela empresa MindMiners mostrou que 88% dos tutores de cães consideram seu cachorro como membro da família. Outra pesquisa, desta vez realizada pela empresa Dog Hero, 80% dos tutores considera o pet como filho.

Os cães são parte da família e também querem viajar. (foto Vanessa Sallesaro)

Dentre os mais diversos arranjos familiares, é reconhecido pela Psicologia o termo família multiespécie, quando há vinculo afetivo entre humanos e animais não humanos, tão fortes que constituem uma família.

Os hormônios também confirmam que eles são da família. A Biologia já comprovou que quando estamos com nossos animais de estimação, liberamos um o hormônio responsável por reforçar biologicamente o laço entre pais e filhos. Conhecido como hormônio do amor, a ocitocina é secretada no cérebro das mães quando ela troca olhares com seu bebê, e também dos seus cães. A ocitocina é também liberada nos bebês, e nos cães.

Já existem, no Brasil e no mundo, diversos casos de divórcios com processos pela guarda, guarda compartilhada, e até pensão alimentícia para animais de estimação. Que mostra que dentro da esfera jurídica, os pets também são família.

Então, porque no Turismo ainda não é bem assim?

Cachorros lideram busca por turismo pet friendly

Os cachorros são os principais animais domésticos no Brasil. Segundo a Abinpet, dados de 2021, o Brasil tem 55,9 milhões de cães. Isso é mais que o dobro da quantidade de gatos, que ocupam o segundo lugar na lista.

Desde 2015 dados do IBGE já relevaram que temos mais cachorros do que crianças nas famílias, estatística que está crescendo, pois, os números de adoções cresceram com a pandemia. Cães estão presente em quase metade das casas brasileiras.

Embora os gatos estejam ganhando espaço, e alguns deles viajando e saindo para passear com seus tutores, os cães ainda representam a esmagadora maioria entre os pets viajantes.

Vira-latas são maioria no Brasil

Dados da MindMiners mostram que 48% dos cães no brasil são sem raça definida, ou seja, nossos amados vira-latas. Dados do Censo Pet realizado pela Dog Hero, indica 40% de vira-latas, ainda mantendo o primeiro lugar, com quase quatro vezes mais do que o segundo colocado. Ou seja, não há dúvidas que os vira-latas são maioria por aqui.

Vira-latas são maioria no Brasil (foto Vanessa Sallesaro)
Agora pensem comigo: a maioria dos cães no Brasil são vira-latas. A maioria dos vira-latas são de porte médio. A maioria dos hotéis aceita apenas cães pequenos.
A conta não fecha, certo?

Apesar do crescimento na oferta de empresas que auto intitulam pet friendly, é crescente também o número de tutores frustrados, que não são plenamente atendidos.

Basta uma pesquisa nas redes sociais, ou grupos de cachorreiros, para encontrarmos uma quantidade enorme de tutores que se queixam de não conseguir viajar com seu pet por causa do tamanho, ou por ter mais de um pet. Sei bem disso, porque vivo com quatro vira-latas de porte médio, e sofro bastante para encontrar opções compatíveis.

Acontece que os serviços não atendem a maioria dos cães no Brasil, empresas que recebem apenas cães de pequeno porte restringem o atendimento a algumas raças específicas, ou a minoria dos vira-latas que são pequenos, mas excluem a maioria dos cães.

Aceitar é diferente de receber

Há ainda os hotéis e pousadas que aceitam os cães, mas não recebem. Aceitar é tolerar, é permitir a presença. Receber é acolher. Pode ser sinônimo no dicionário, mas na hotelaria faz toda a diferença.

Desde restrições de tamanho, até regras exageradas, passando por não levar em conta a diversão e o bem-estar do pet, muitas vezes os pets são no máximo aceitos.
Lembra que falei que eles são da família? Você exigiria que seus hospedes levassem apenas as crianças de até tal idade, ou ate tal peso? Recusaria um cliente que tem três filhos, e diria que pode ir apenas com um para seu hotel?

Pois é, pra você pode ser situações diferentes, mas pra quase metade da população, essa comparação faz todo sentido.

Não se trata de não ter regras, ou normas de conduta. Obviamente elas são necessárias, assim como para humanos adultos e crianças. Regras e protocolos pet friendly são indispensáveis, e devem fazer parte de uma estratégia de posicionamento e de atendimento.

Segundo estudo da MindMiners, 49% dos tutores que ainda não viajam com seus pets, não o fazem devido a falta de estrutura dos destinos, o que demonstra mais uma vez, o tamanho do mercado que ainda não está sendo plenamente atendido.

Basta conversar com alguns tutores de pets, ou fazer uma busca nas redes sociais, que você vai perceber que são sempre os mesmos nomes de hotéis que aparecem entre os preferidos. Os locais que recebem bem os pets, se destacam e conquistam clientes fiéis.

Não se esqueça, o pet tamhóspede hóspede. E não é só botar um potinho de água hein!

Turismo pet friendly já é realidade

Embora ainda exista muito espaço e oportunidades, não podemos negar que o turismo pet friendly já é realidade no Brasil.

Trilha pet no evento da Cãomigo (foto Vanessa Sallesaro)

Hotéis com piscinas pet friendly, passeios de trem, rafting, trilhas e até viagens em grupo, já fazem parte da rotina de muitos cães. A Cãomigo já recebeu mais de 300 tutores para viverem experiências ao lado seus filhos de quatro patas, e esse número só cresce.

Seu negócio já está preparado para atender o público pet friendly?

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial