Turistas japoneses podem aumentar em 25% no Brasil em razão de visto eletrônico

O visto eletrônico de 40 dias para, no máximo, três, o processo de solicitação e emissão de vistos para turistas japoneses

REDAÇÃO com agências –

Começa a valer nesta quinta-feira (11) o visto eletrônico para turistas japoneses que desejam visitar o Brasil. O país asiático é o segundo beneficiado com a iniciativa “Brasil + Turismo”, coordenado pelo Ministério do Turismo, para gerar emprego e renda no país por meio do setor.

A Austrália foi o primeiro país a ser beneficiado com a medida, em novembro de 2017.

De acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT), medidas de facilitação de viagens podem aumentar em até 25% o fluxo turístico entre os países contemplados.  No caso, poderão ser 20 mil turistas japoneses a mais.

Números

De acordo com levantamento do MTur, o Brasil recebeu 79,7 mil turistas japoneses que injetaram US$ 81,3 milhões na economia nacional. Pela projeção da OMT, com o novo visto, os números podem saltar para 100 mil viajantes – 20 mil a mais que o número atual – e US$ 101,6 milhões em receita.

O embaixador do Japão no Brasil, Akira Yamada, reuniu-se com o ministro do Turismo, Marx Beltrão, hoje, quarta-feira (10), para tratar dos detalhes de missão internacional de divulgação dos vistos eletrônicos.

“Seguramente a medida adotada pelo governo brasileiro vai aumentar o fluxo turístico entre os nossos países”, afirmou o embaixador.

Perfil dos turistas

De acordo com pesquisa feita pelo Ministério do Turismo, metade dos japoneses que desembarcaram no Brasil, tinham nos negócios, eventos e convenções a principal motivação da viagem. Vinte e oito por cento esteve no Brasil a lazer. Destes, 67,2% vieram motivados pela natureza, ecoturismo ou aventura, enquanto 18,9% foram atraídos pela cultura.

Em relação aos destinos, os mais procurados para negócios foram Rio de Janeiro (41,2%), São Paulo (38,7%) e Campinas (4%). Já no quesito lazer as procuras foram por Foz do Iguaçu (70,5%), Rio de Janeiro (38,6%) e São Paulo (30%). E eles não se arrependeram da viagem já que para 86,8% deles a viagem atendeu ou superou as expectativas.

Vem mais por aí

Ainda neste mês, outros dois países serão beneficiados: Canadá (18) e Estados Unidos (25), encerrando assim a fase inicial dos países considerados estratégicos para o turismo nacional. Com o benefício, todo o período de solicitação, pagamento de taxas, análise, concessão e emissão de visto terá duração de até 72 horas contra os 40 dias necessários anteriormente.

A divulgação do visto no Japão está prevista para o dia 22 de janeiro com uma solenidade na Embaixada do Brasil, em Tóquio, com a presença da secretária Nacional de Qualificação e Promoção do Turismo, Teté Bezerra, para oficializar a iniciativa no país.

Em 2018 o país comemora 110 anos da migração japonesa ao Brasil.

*A solicitação do visto eletrônico é válida apenas para turismo de lazer ou negócios.

Redação
Redaçãohttps://www.diariodoturismo.com.br
Primeiro e-Diário de Turismo do Brasil

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Circuito Urbano de Arte de BH expõe obra do artista indígena Jaider Sbell no viaduto Santa Tereza

5ª edição do evento acontece de 22 de setembro a 22 de outubro com parte da programação realizada online devido à pandemia   Por DIÁRIO com...

Maksoud Plaza entra com pedido de recuperação judicial na Justiça de São Paulo

O Maksoud Plaza entrou ontem com pedido de recuperação judicial na Justiça de São Paulo. O pedido envolve dívidas da ordem de R$ 120...

Iberostar Praia do Forte retorna em grande estilo e com alta procura

Baianos,  mineiros e paulistas têm encabeçado a lista dos hóspedes no Iberostar Selection Praia do Forte, no litoral norte da Bahia, que reabriu no...

Pedro Campos será o novo diretor geral do LATAM Pass no Brasil

O Grupo LATAM Airlines informou nesta segunda-feira (21) que, a partir do próximo dia 25, Pedro Campos, atual diretor de Negócio de Fidelidade, será...

Abrindo a primavera, Inhotim inaugura nova exposição botânica no Google Arts

Na linguagem científica, elas são da família Araceae. Mas pode chamá-las de aráceas. Ou de antúrio, copo-de-leite, taioba, inhame, costela-de-adão... São mais de 3...

‘Sabrer’ ou ‘Sabrage’ do Champagne e Piriri, Pororó…

‘Sabler’ ou ‘Sabrer’ todos os vinhos significava fazer os fundos secarem, conforme o Dicionário da Lingua Francesa Antiga e Moderna de 1728, de Pierre...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias

Open chat