Agência online é condenada a reembolsar viagem cancelada por Covid-19

“A impossibilidade de realização da viagem pelo consumidor, na data escolhida, não pode obrigá-lo a concretizá-la em outra data, se esta não é a sua intenção, por circunstância a que não deu causa e sob pena de sofrer prejuízos econômicos”.

Conjur

Assim entendeu o juiz Fernando Bonfietti Izidoro, da Vara do Juizado Especial Cível de Jundiaí, ao condenar uma empresa de turismo a reembolsar integralmente, em 12 vezes, sem descontos ou cobrança de multas, um casal por uma viagem que foi cancelada em razão da epidemia do coronavírus. Um pedido de danos morais foi negado pelo magistrado.

Segundo Izidoro, a pandemia configura “típica situação de força maior”, refletindo diretamente no cumprimento de obrigações contratuais que envolvam prestação de serviços de viagens e hospedagens, como é o caso dos autos. A ré não se opôs ao reagendamento da viagem dos autores, para o prazo de 12 meses, sem a cobrança de taxa de remarcação ou diferença tarifária, conforme a MP 948/2020.

No entanto, a parte autora requereu o cancelamento da viagem, com restituição do valor pago, por não ter interesse no reagendamento. Ao deferir o reembolso, Izidoro citou os artigos 5º, XXXII e 170, V, da Constituição Federal, e o artigo 6º, VI, do CDC, que prevê, como direito básico do consumidor, a efetiva prevenção e reparação de danos patrimoniais.

“Haverá hipóteses em que ele não terá disponibilidade de data ou mesmo de outras condições para realizar a mesma viagem no período designado; em outras, até por conta da crise econômica que acompanha a pandemia, se não fez a viagem quando desejava, não mais terá interesse em realiza-la em outra data, tendo por pretensão a utilização do montante para outros fins. Mostrar-se-ia incabível punir o consumidor por situação que não lhe pode ser imputável, com as mesmas penas que ele sofreria na hipótese de desistência pura, simples e imotivada, em situação de normalidade”, disse.

O juiz afirmou que impor ao consumidor a manutenção do contrato, sob pena de sofrer penalidades financeiras próprias da desistência, afetaria diretamente a sua vontade de contratar, elemento substancial dos negócios jurídicos: “O que não se admite é, em um cenário que atingiu a ambos os contratantes de forma igualitária quanto à impossibilidade de execução do contrato, impor à parte mais vulnerável os prejuízos advindos de um legítimo pedido de reembolso de valores, que já poderá só ocorrer depois de 12 meses”.

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

ABIH/SE lança Selo “O Hotel Seguro” de Combate ao COVID-19

Com a acompanhamento da Associação Brasileira da Industria de Hotéis - ABIH/SE, os estabelecimentos hoteleiros do Estado de Sergipe estão aos poucos retornando as...

Suíça restringe entrada de visitantes de 29 países, entre eles os do Brasil

 A partir de 6 de julho, viajantes de 29 países que quiserem ir à Suíça terão que se registrar com as autoridades e se...

Vinícola Santa Rita premiada pela oitava vez consecutiva em ranking global

Santa Rita foi reconhecida como uma das Marcas de Vinho Mais Admiradas do Mundo, posicionando-se entre as top 50 de forma constante nos últimos...

Pesquisa revela: 38% dos brasileiros vai esperar 9 meses para entrar em avião

Pandemia cria novas formas de consumo a longo prazo para 67% dos brasileiros EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências O isolamento social ditou uma nova forma de...

Dreams Park Show, em Foz do Iguaçu, suspende atividades por 15 dias

Seguindo a determinação dos Governos Estadual e Municipal, o Complexo Dreams Park Show, em Foz do Iguaçu, informa que acaba de suspender as atividades...

HotelCare fará gestão profissional de hotéis da Tempus Hotelaria

Durante uma coletiva de imprensa virtual nessa quinta-feira (2) em São Paulo, os diretores da HotelCare anunciaram o início da gestão profissional de algumas...

Relacionadas

1 COMENTÁRIO

  1. O quê fazer eu Nanci Maria purdy vim
    Ao Brasil por uma emergência minha filha estava muito mal com depressão vim 2 de novembro para voltarem3o dias e não foi possível não consegui voltar para minha casa em Boston vou a loja daalatam no aeroporto várias vezes por semana.me arrisco a ser cotam

Comments are closed.

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias