ANCORADOURO: a arte de transformar empresa em família

por Fábio Steinberg*

Desde que embarcou há 30 anos em direção ao Sucesso, o Grupo Ancoradouro nunca mais se desviou do destino recheado de bons resultados. Neste período, um simples escritório de representação turística em Campinas tornou-se um dos maiores grupos brasileiros do setor. Todos que atuam no ecossistema – aí incluídas agências, companhias aéreas, hotéis, cruzeiros, entre outros – não só reconhecem, como admiram a marca criada por Juarez Cintra.

 Tudo começou pela Consolidadora, hoje a quarta maior do país, e que comercializa por mês 60 mil bilheteaéreos para 2 mil agências de viagens. Do ventre desta incrível máquina de vendas, que representa 70%  dos negócios, nasceram rechonchudos filhotes. Fazem parte da prole a Operadora (6ª maior do Brasil), a representante dos cruzeiros da RoyalCaribbean para o interior de São Paulo, o portal E-Fácil Plus visitado por sete mil usuários, e a empresa de incentivos Invicta. Há ainda a rede Blue Viagens, com nove lojas da Azul em shoppings, e uma em Orlando, Flórida.

Dos 300 colaboradores, metade está ancorada na Matriz, em Campinas. Embora os quatro escritórios no interior paulista respondam por 57% dos negócios (31% deles em Campinas), há uma contribuição crescente das filiais de São Paulo (29%) e Rio (12%), além de Vitória, Rio Grande do Sul e Paraná.

 

Qual é o maior segredo da Ancoradouro? Para entender sobre o combustível especial que move esta incrível engrenagem, é indispensável participar de um dos seus Encontros anuais, surgidos quatro anos após a fundação da empresa. É nele que o sempre amável e carismático Juarez Cintra, que tem como maior atributo gostar de gente, exerce em plenitude sua maior vocação: fazer da empresa uma grande família.

Esta alquimia ocorre em duas frentes. A primeira delas é literal, e inclui a presença contínua da mulher Silvia, do filho Neto e atual presidente do grupo, do genro, o empresário Ricardo Amaral, que representa a Royal Caribbean no Brasil, e até do netinho Rafael, que aos sete anos já veste a camiseta da empresa. “Sou um homem de muita sorte. Além de contar com o trabalho, incentivo e companheirismo do meu filho Juarez Neto, com a chegada do Ricardo à família passei a ter dois jovens entusiastas e brilhantes para me aconselhar”, declara com exagerada modéstia o fundador.  

Já a segunda parte da magia da Ancoradouro faz com que colaboradores, fornecedores, clientes e até convidados entrem no mesmo clima irresistível e virem membros instantâneos desta saudável família, onde todos se sentem em casa e se tratam por você. “Quando fundamos a empresa, Silvia e eu não imaginávamos que ela iria chegar aonde chegou”, revela Juarez Cintra – ela afastada das operações há dois anos e ele atual presidente do Conselho Administrativo do grupo.

Há uma característica peculiar na Ancoradouro. Todos parecem repetir o mesmo mantra, 24 horas por dia, 7 dias da semana: jamais esquecer que atuam na indústria da hospitalidade. E como tal, é preciso ser bom anfitrião e exercitar dentro e fora de casa a cordialidade, algo tão brasileiro, especialmente quando se trata do interior. Esta atitude positiva transborda as fronteiras da família Ancoradouro, e forma um círculo virtuoso que se propaga até o cliente final, em forma de atendimento. “Nós vendemos sonhos, e temos que evitar que se transformem em pesadelos”, comenta Juarez Cintra.  

          

Chama a atenção o baixíssimo índice de rotatividade dos colaboradores. Há entre eles uma saudável convivência de profissionais mais antigos e experientes com jovens motivados e sem medo de ousar. A empresa funciona por isto como um poderoso ímã de talentos, capaz de atrair executivos de prestígio no trade como Cassio de Oliveira, recentemente contratado como Vice-Presidente do grupo.

O 26º Encontro da Ancoradouro não fugiu à regra dos eventos anteriores. Entre 30 de março e 2 de abril o Bourbon Convention & Spa Resort de Atibaia recebeu cerca de 600 expositores e agentes de viagens. Eles não só se reciclaram, como ampliaram relacionamentos em um clima que tinha a cara de Juarez Cintra: descontraído, mas sempre muito produtivo.  

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Grupo Iberia oferece 100 mil bilhetes grátis em homenagem aos profissionais da saúde

O grupo Iberia, Vueling e Aena se uniram para prestar uma merecida homenagem aos profissionais que estão trabalhando nos hospitais, centros sanitários e asilos...

Fim do turismo de entretenimento com animais silvestres pode evitar novas pandemias

Proteção Animal Mundial se une à outras entidades e grandes empresas do setor para pressionar Organização Mundial do Turismo (OMT) por um turismo ético com animais A...

Cafés, símbolos parisienses, retornam atividades na capital da França

Em meio ao tinir de xícaras de café e a suspiros de alívio, os franceses retornaram aos cafés e restaurantes, ontem, depois de esses...

Accor é mais uma vez eleita uma das melhores empresas para trabalhar na América Latina

Em tempos de crise, a empresa certa para se trabalhar faz a diferença na vida de seus funcionários e, por extensão, suas famílias e...

Itaipu se prepara para a retomada gradativa do turismo

A equipe do Complexo Turístico Itaipu (CTI) está se preparando para receber os visitantes da usina de Itaipu assegurando todas as condições sanitárias adequadas...

Air France-KLM apresenta seu relatório de sustentabilidade de 2019

Depois de atingir suas metas para 2020 antes do previsto, em 2019 a Air France-KLM estabeleceu novas metas ambiciosas para reduzir sua pegada de...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias