As 100 melhores crônicas de João Saldanha são reunidas em livro

As crônicas foram selecionadas pelo historiador Alexandre Mesquita após a leitura de todo o acervo disponível sobre João Saldanha entre 1960 e 1990

EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências

Cronista esportivo, técnico de futebol, comentarista, polêmico e muito mais. Essas são algumas das características de João Alves Jobim Saldanha, o João Saldanha que no próximo dia 3 de julho completaria 100 anos de vida. Em sua homenagem será lançado o livro As 100 melhores crônicas – comentadas – de João Saldanha (LivrosdeFutebol), organizado pelo editor Cesar Oliveira, com comentários seus, em parceria com o historiador Alexandre Mesquita (responsável também pela seleção das crônicas) e com o empresário e professor Marcelo Guimarães, ex-diretor de marketing do Botafogo.

As crônicas foram selecionadas pelo historiador Alexandre Mesquita após a leitura de todo o acervo disponível sobre João Saldanha entre 1960 e 1990, do jornal Última Hora, passando pelo O Globo, Placar, até o Jornal do Brasil.  De fora apenas o período de 1966 até 1970, reunidas por Raul Milliet Filho no livro Vida que segue (Nova Fronteira, 2006).

As 248 páginas de As 100 melhores crônicas – comentadas – de João Saldanha estão divididas em quatro capítulos com temas centrais: Futebol, Seleção Brasileira, Botafogo e a Zona do Agrião – termo criado pelo jornalista em referência à grande área dos gramados –, que trata de assuntos gerais.  Dois prefácios enriquecem a obra: de Juca Kfouri e do craque Tostão. Um posfácio, do professor e ensaísta Ivan Cavalcanti Proença, analisa a maneira especial com que João escrevia.

O editor Cesar Oliveira conta que não houve preocupação com o ineditismo em livro das obras reunidas, pois o conceito era trazer aos leitores o que melhor expressasse o pensamento que Saldanha comumente externava, como a necessidade de respeito aos jogadores de futebol e a organização de um calendário, permitindo o profissionalismo do esporte. Pela primeira vez, João tem suas crônicas situadas na linha do tempo, para melhor compreensão do contexto de produção das crônicas.

João sem Medo

Para Cesar, João Saldanha estava muito à frente do seu tempo. Tanto que, em 1962, escreveu Futebol e samba, onde apontava que faltava para a festa popular um grande palco, seu equivalente ao Maracanã. Só em 1984, foi fundado o Sambódromo da Marquês de Sapucaí. “Quem foi seu contemporâneo, não esquece, mas as gerações seguintes pouco ouviram falar do João Sem Medo. O livro é especialmente dedicado aos mais jovens, que nunca tiveram a oportunidade de ler Saldanha. Este livro, mais do que uma homenagem, é necessário para a memória do futebol e uma lembrança da possibilidade de fazer jornalismos esportivo de qualidade, sendo torcedor, sem perder a clareza de avaliação e a precisão com as palavras”, explica Oliveira.

Em breve será anunciada a edição de As 100 melhores crônicas – comentadas – de João Saldanha na versão eletrônica (e-book).

Lançamentos

No dia 3 de julho, lançamento do livro no restaurante Nanquim, do Jardim Botânico, aberto ao público, antecedido de debates com jornalistas esportivos sobre a personalidade e o pensamento de João Saldanha. No debate, Eraldo Leite mediará um debate entre os jornalistas Lucio de Castro e Marcio Guedes.

No dia 4 de julho, a “Semana João Saldanha” fará realizar na ABI – Associação Brasileira de Imprensa, um dia de debates sobre João. O evento foi organizado pelo prof. Victor Andrade de Melo,  do Sport – Laboratório de História do Esporte e do Lazer e pelo jornalista Eraldo Leite, presidente da ACERJ – Associação de Cronistas Esportivos do Rio de Janeiro. Os debates acontecerão pela manhã e à tarde.

Museu do Futebol em agosto

João Saldanha será lembrado num evento comemorativo no auditório do Museu do Futebol, em São Paulo, durante a reunião mensal do Memofut – Grupo de Literatura e Memória do Futebol, também com debates e lançamento do livro.

Apoiadores

Trem do Corcovado, BKR – Lopes Machado Auditores, Clécio Régis Cenografia, Associação Brasileira de Imprensa, ACERJ — Associação de Cronistas Esportivos do RJ, Approach Comunicação, Museu da Pelada, WTT – Transportes e Turismo

 

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Infraero assumirá gestão do aeroporto do Guarujá

A Infraero vai assumir a gestão do Aeroporto Civil Metropolitano do Guarujá (SP), localizado na Baixada Santista. Pelos próximos 12 meses, a empresa será...

“Ciclo sustentável conecta horta, reflorestamento, tecnologia e consciência ambiental”, afirma Accor

Rede hoteleira projeta zerar a pegada de carbono nos próximos 15 anos  Texto Zaqueu Rodrigues - com reportagem de Paulo Atzingen  ------------------------------- A consolidação de uma...

“Ensaio sobre a lágrima” – por Tom Coelho

“Chora, Tistu, chora. É preciso. As pessoas grandes não querem chorar, e fazem mal, porque as lágrimas gelam dentro delas, e o coração fica duro.” (Maurice Druon,...

10 pequenas cidades europeias para se apaixonar

Uma lista com cidades europeias, que de tão pequenas e charmosas farão você se apaixonar rapidamente.EDIÇÃO DO DIARIO com agênciasCidades pequenas e vilarejos fazem...

Cavalgada ao vulcão Terevaca, topo da ilha de Páscoa

"Por toda parte sopra o vento dos céus; ao redor e acima de tudo, situam-se os mares e os horizontes ilimitados, o espaço infinito...

O que os hoteleiros falam sobre as OTA’s que não querem negociar

Em um momento como esse que o país atravessa, um  número cada vez maior de pequenos e médios hotéis, pousadas e até grandes hotéis...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias