Confira dicas para quem pretende conhecer a Austrália

(Edição do DT com agências)

Ao mudar de país para estudar ou trabalhar, é possível que o imigrante passe por situações constrangedoras em alguma medida, por não conhecer totalmente as regras, costumes e cultura do novo local que escolheu para viver. A isso se pode chamar de choque cultural. A adaptação ao novo lugar acontece com o tempo, nem sempre da maneira mais rápida. Por isso, antes de viajar, vale a pena procurar conhecer ao máximo o país, ler sobre suas regras e rotinas e conversar com pessoas que moram lá.

A Austrália, por exemplo, tem diversos costumes que podem causar estranhamento no brasileiro desavisado. É comum, por exemplo, que jovens brasileiros, que estão no país para estudar e morar em casas de família, precisem tomar banhos bem mais curtos do que tomavam quando viviam no Brasil. Sabe por quê?

Se você pensa em viver na Austrália e quer evitar ao máximo um choque cultural, cheque algumas orientações do especialista MaCson Queiroz, diretor da M.Quality, empresa de Assessoria em Imigração e Negócios para a Austrália:

Jeitinho australiano

Está aí algo que não existe. Alguns brasileiros podem ficar chocados ao perceberem que na Austrália não há flexibilidade nas regras. Elas costumam ser seguidas à risca.

Mania de não usar sapatos

No Brasil é incomum – a não ser em famílias de tradição oriental – o hábito de as visitas tirarem os sapatos ao entrar em uma casa. Pois na Austrália este é um hábito e em muitas casas só é aceitável que você circule pelos cômodos sem sapatos. “Também não estranhe se você por acaso vir alguém andando nas ruas ou até fazendo compras em um supermercado sem sapatos. Os australianos gostam de deixar o pé mais livre”, comenta MaCson.

Banho rápido

A Austrália é um país em que um dos recursos naturais mais importantes, a água, é bastante escassa. Então, os australianos aprenderam que economizar a fim de garantir que as futuras gerações tenham água. Portanto, o banho geralmente é limitado em 5 minutos. Essa é uma regra bastante comum em casas que abrigam estudantes estrangeiros.

BYO

Você verá essa sigla em muitos panfletos de festas e até no cardápio e anúncios de alguns restaurantes. Significa Bring Your Own, o que quer dizer que você pode levar a sua própria bebida, pois o local não a fornecerá. Esse pedido é muito comum nas festas universitárias, mas alguns estabelecimentos que não vendem bebida alcoólica também permitem que você leve a sua garrafa.

Visto – É válido dizer também os australianos são um povo receptivo aos estrangeiros e que a imigração é facilitada pelo governo, principalmente para aqueles que querem trabalhar ou investir.  Porém, como as leis australianas são peculiares e diferentes das do Brasil, é importante contar com uma agência imigratória experiente, especializada e que seja devidamente registrada junto ao governo australiano.

“O objetivo da agência é fazer a pessoa ganhar tempo, já que o processo é demorado e requer conhecimento da legislação australiana. Orientamos que a pessoa faça uma avaliação de elegibilidade do visto para saber se está realmente apta para entrar com o processo na categoria desejada e evitar perdas financeiras. O consultor a ajudará a iniciar o requerimento de visto corretamente, aumentando as chances de sucesso”, recomenda o diretor.

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Senado vota projetos para manutenção de empregos durante calamidade

Agência SenadoO Senado fará nesta quarta-feira (8) duas sessões remotas para analisar projetos de enfrentamento à crise econômica provocada pelo coronavírus. A dinâmica de...

Ronaldo Albertino, da Hotel Care, faz prognósticos do setor: “a regra vai ser fechar as contas no zero a zero”

Quando iremos retomar a normalidade da atividade econômica, em especial as atividades hoteleiras? por Paulo Atzingen*Uma recente enquete do Bradesco BBI (Banco de Investimento da...

Decidido: ABIH-SC transfere 33ª edição do Encatho & Exprotel para agosto de 2021

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina ABIH-SC, informou na tarde desta terça-feira sua decisão de transferir a 33ª edição do...

Obrigado repórter! Parabéns aos jornalistas!

por Paulo Atzingen* “As bancas de jornais foram roubadas“, falou-me a repórter. Imediatamente me veio à cabeça revistas e jornais sendo surrupiados por ladrões interessados...

Vila Galé apoia MP 936/2020 que preserva empregos e renda de colaboradores

Em comunicado emitido na manhã desta terça-feira (7), o grupo português Vila Galé congratula-se com as primeiras medidas aprovadas pelo Governo Federal brasileiro de...

Jornalista: um escritor que navega pelas correntezas do verossímil

Por Paulo Stucchi*Recordo-me de um professor – daqueles que marcam a vida da gente numa época em que queremos abraçar o mundo, mas não...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias