Editorial: Turismo da República Dominicana responde por 12% do PIB

Este país alegre que se transformou a República Dominicana lembra com toda a certeza o Brasil em seus dias de milagres e mágicas econômicas, guardadas evidentemente as proporções territoriais.

por Paulo Atzingen*

O país caribenho vive um boom de crescimento econômico com grandes e consistentes investimentos no turismo, em especial na hotelaria. Hoje, segundo fontes do Ministério do Turismo, a atividade responde por 12% do Produto Interno Bruto do País (PIB).

 

Não é pouco. A partir da década de 70 – ou seja a quase 50 anos – o turismo começou a ser levado a sério no país. Naquela época o  governo percebeu que produzir apenas banana e minério seria ir na contra-mão do futuro e permaneceriam no bloco do terceiro mundo. O que fizeram? Abriram uma série de linhas de isenção para o investimento estrangeiro. E não faltaram interessados, principalmente os grupos hoteleiros espanhóis endinheirados.

Concessões e isenções

Segundo René Contreras, representante do Ministério do Turismo da República Dominicana no Brasil, tudo começou em Puerto Plata a partir de concessões de uso e isenções de impostos, e outras facilidades como, por exemplo, terrenos oferecidos a preço irrisórios.

René Contreras: “sistema all inclusive começou em Puerto Plata” (Crédito: Paulo Atzingen)

“Quase todas as redes hoteleiras espanholas vieram para cá e o sistema all-inclusive foi implantado primeiramente em Puerto Plata”, afirma René. Segundo o executivo, a República Dominicana serviu de campo de ensaio para o sistema all-inclusive que acabou sendo disseminado por todos os países caribenhos.

 

A isenção fiscal que é garantida por uma lei de incentivo turístico é oferecida por meio do Confotur (Conselho de Fomento do Turismo – com tradução literal) , o que atraiu e continua atraindo empresas multinacionais para o país.

Ocupação média

Beneficiados por uma temperatura estável em torno de 28º com máximas de até 33º, o país não possui baixa estação e o problema de sazonalidade hoteleira não existe. “Temos uma média de ocupação anual em torno de 78% a 82%”, afirma Sheyly Viuque, diretora executiva da Asonahores – Associação Nacional de hoteis e turismo da República Dominicana.

Sheyly Viuque, diretora de mercado da Asonahores: média de ocupação anual entre 78% a 82% (Crédito: Paulo Atzingen)

Sustentabilidade e inclusão

A seriedade que os dominicanos levam o turismo pode ser constatada no lançamento de mais um resort esta semana em Punta Cana, o Circle by Meliá at Paradisus Palma Real, com investimento na ordem dos 100 milhões de dólares. Conscientes da importância do empreendimento em termos de geração de divisas, trabalho e renda, o hotel foi concebido com princípios de redução das emissões de dióxico de carbono e com a proposta de ser um hotel inclusivo, responsável com o meio ambiente e integrado aos membros da comunidade local.

Evidentemente, que os US$ 350 dólares pagos a uma camareira (acrescidos de gorjeta) é ainda motivo de embates entre a classe trabalhadora e os empregadores. Mas aqui não é o paraíso, embora pareça, e isto poderá ser resolvido com negociações entre as classes.

O presidente Danilo Medina Sanchez participou da inauguração (Crédito: Paulo Atzingen)

O turismo aqui é fundamental para a vida dos dominicanos. Essa indústria tem impactado em todos os segmentos da população e as profissões são executadas com alto grau de profissionalismo. As camareiras, os garçons e os recepcionistas falam duas ou três línguas além do espanhol. As pessoas que trabalham nas áreas de hospitalidade e recreação são afáveis, amáveis e simpáticas. Mas ninguém brinca. A coisa é tão séria que o próprio presidente da República, Danilo Medina Sánchez, participou da inauguração do Circle by Meliá.

 

*O jornalista Paulo Atzingen viajou convidado pela Associação de Hotéis e Turismo da República Dominicana (Asonahores) e seguro GTA

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Ação social: trade turístico de Porto de Galinhas doa 10 toneladas de alimentos

A crise causada pela proliferação do novo coronavírus fez com que todo comércio não essencial de Porto de Galinhas obedecesse as recomendações do Governo...

WZ Hotel Jardins segue determinação do governo de SP e estende pausa nas operações

Localizado na capital paulista, o WZ Hotel Jardins anuncia que vai prorrogar a suspensão temporária de suas operações até o dia 30 de abril....

Presidente executivo da Ubrafe apresenta ao DIÁRIO os prognósticos de perdas do setor

O presidente executivo da União Brasileira dos promotores de Feiras - Ubrafe, Armando Campos Mello, atendeu ao pedido do DIÁRIO e apresentou uma panorâmica...

Iata: declínio de passageiros em fevereiro foi maior que o de 11 de setembro de 2001

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) anunciou os resultados globais do tráfego aéreo de passageiros de fevereiro de 2020, com a demanda (medida...

Governador de São Paulo estende quarentena até dia 22: “respeitamos a ciência, não fazemos achismos”

O governador de São Paulo, João Doria, em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (6) no Palácio dos Bandeirantes, estendeu o período de quarentena no...

Vida pós-crise, como será? – por Gaudêncio Torquato

Há muitas questões no ar e qualquer previsão sobre o amanhã será uma precipitação. Mas a cadeia de eventos que se sucedem nesses dias...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias