Experiências do Brasil Rural realiza 2° edição de roteiros com Mtur

Serão sete rotas no total, que integram o projeto do governo federal em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e a UFF que busca apoiar e promover o turismo no campo

EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências


Segundo comunicado enviado pelo Ministério do Turismo, os roteiros, ligados às cadeias agroalimentares do café, da cachaça, da farinha de mandioca e do mel, são o “Caminhos de Dona Francisca”, de Santa Catarina; a Rota do Engenho e a Rota Caminhos de Itabaiana, de Sergipe; a Rota Verde do Café, do Ceará; a Rota Turística do Café, o Roteiro do Café e do Vinho e a rota “Do Genoma à Xícara”, os três últimos de São Paulo. Os responsáveis pelas rotas serão contactados para uma reunião inicial de trabalho no próximo dia 27.

O projeto tem como objetivo fomentar a estruturação de destinos e empreendimentos da agricultura familiar associados ao turismo, a partir da capacitação de empresários e produtores rurais com vistas à oferta de experiências memoráveis aos visitantes. Ao final, os participantes recebem suporte para inserir produtos e serviços no mercado turístico, como em bares, restaurantes, meios de hospedagem e lojas de artesanato.

O ministro do turismo, Carlos Brito, parabeniza os selecionados e aponta esforços no sentido de fortalecer o turismo rural. “O turismo rural e de natureza são grande tendências do pós-pandemia, e o Brasil tem um dos maiores potenciais do mundo. Sejam bem-vindos e vamos, juntos, valorizar ainda mais a riqueza de atrativos do campo no país, contribuindo para diversificar a oferta turística nacional e gerar alternativas de emprego e renda no campo”, comenta.

Conheça um pouco dos roteiros selecionados para a nova edição do Experiências do Brasil Rural:

Caminhos de Dona Francisca: localizado em Joinville (SC) e ligado às cadeias produtivas associadas da cachaça e do mel, o roteiro é palco de paisagens bucólicas de serra e propriedades com belos jardins. No trajeto, há paradas para a compra de bebidas, artesanato típico, flores, plantas, produtos coloniais, frutas e delícias da gastronomia alemã. A rota permite contemplar o caminho da Estrada Dona Francisca (SC-418) e as belezas exuberantes da Serra do Mar.

Rota Turística do Café: situado em Serra Negra (SP) e pertencente às cadeias produtivas da cachaça, do café e do mel, o roteiro abriga deslumbrantes cenários em meio a cafezais e à Mata Atlântica. No caminho, além de vivenciar a cultura e a produção de cafés especiais, o visitante pode percorrer alambiques, destilarias, cachoeiras, um parque ecológico, restaurantes, cafeteria, bistrô, empórios, contando, ainda, com charmosas opções de pousadas.

Roteiro do Café e do Vinho: tendo como base a cidade de Espírito Santo do Pinhal (SP), a rota trabalha as cadeias produtivas do café e do mel. O roteiro se apoia no interesse pela cultura do café e as indústrias cafeeiras, que movimentam o turismo de negócios no município, marcado pela riqueza histórica do grão. A rota também é cenário de fazendas produtoras de uvas finas, que permitem a fabricação de vinhos mundialmente premiados.

Roteiro “Do Genoma à Xícara”: também situado em Espírito Santo do Pinhal (SP), o roteiro, pertencente à cadeia produtiva do café, proporciona uma imersão na história e na cultura do grão e da bebida dele originada. Em meio a paisagens da Serra da Mantiqueira, o visitante conhece a produção de cafés especiais de alta qualidade desde a colheita, além de vivenciar o patrimônio histórico local, com espaços conservados.

Rota do Engenho: a rota, ligada à cadeia produtiva da cachaça, envolve Indiaroba e Santa Luzia Itanhi (SE). O roteiro tem como principal característica a vivência de uma linha do tempo entre o Brasil Colônia e Império, contando a história de Sergipe, a importância do Rio Piauí na economia canavieira e a constituição dos engenhos. O visitante tem a oportunidade de conhecer todo o processo de fabricação artesanal de cachaça, com direito à degustação.

Rota Verde do Café: baseada nas cidades de Guaramiranga e Mulungu (CE), a rota pertence às cadeias produtivas do café e da farinha de mandioca. O roteiro se insere na região do Maciço de Baturité, que abriga uma área de proteção ambiental com um total de 32.690 hectares. É a morada do chamado “Café de Sombra’, cultivado à sombra da mata serrana, o que confere ao solo local uma grande quantidade de nutrientes propícios à produção do grão.

Rota Caminhos da Serra de Itabaiana: o roteiro se localiza em Itabaiana (SE) e trabalha a cadeia produtiva da farinha de mandioca. No local, o turista pode acompanhar o trabalho de uma casa de farinha, na qual duas famílias de mulheres se revezam a cada semana para elaborar comidas típicas. Também é possível conhecer o beneficiamento da castanha de caju, além do Parque dos Falcões, único da América Latina especialista no manejo de aves de rapina.

Diz a nota que a primeira edição do projeto Experiências do Brasil Rural englobou oito roteiros, que produzem queijos, vinhos, cervejas e Frutos da Amazônia: a Rota Amazônia Atlântica (PA), a Terra Mãe do Brasil, Seus Caminhos, Segredos e Sabores (BA); o Agroturismo do Espírito Santo; a Rota do Queijo Terroir Vertentes e a Rota Gourmet das Terras Altas da Mantiqueira (MG); o Caminhos do Campo (SC), a Ferradura dos Vinhedos e o Roteiro Farroupilha Colonial (RS).

2 COMENTÁRIOS

  1. Excelente iniciativa em prol do turismo rural brasileiro que tanto contribui para a interiorização do turismo, oportunizando geração de empregos, renda e fixação do trabalhadores no campo, com uma vida digna!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial