Facebook enfrenta ação coletiva de US$ 3,2 bilhões no Reino Unido

O gigante da mídia social Facebook (FB. O), agora conhecido como Meta Platforms, enfrenta uma ação coletiva de 2,3 bilhões de libras mais (US$ 3,2 bilhões) na Grã-Bretanha sobre alegações de que abusou de seu domínio de mercado explorando os dados pessoais de 44 milhões de usuários.

Reuters com EDIÇÃO do DT

Liza Lovdahl Gormsen, conselheira sênior da Autoridade de Conduta Financeira da Grã-Bretanha (FCA) e acadêmica de direito da concorrência, disse que estava trazendo o caso a público em nome de pessoas na Grã-Bretanha que haviam usado o Facebook entre 2015 e 2019.

A ação judicial, que será ouvida pelo Recurso de Concorrência tribunal de Londres, alega que o Facebook fez bilhões de libras ao impor termos e condições injustas que exigem que os consumidores entreguem dados pessoais valiosos para acessar a rede.

 

Quinn Emanuel Urquhart & Sullivan, o escritório de advocacia que representa Lovdahl Gormsen, notificou o Facebook sobre a reivindicação.

Em resposta, o Facebook disse que as pessoas usaram seus serviços porque eles fornecem valor para elas e “elas têm controle significativo das informações que compartilham nas plataformas da Meta e com quem”.

O caso vem algum dias depois que o Facebook perdeu uma tentativa de derrubar um processo antitruste da Federal Trade Commission (FTC), um dos maiores desafios do governo dos EUA contra uma empresa de tecnologia em décadas, enquanto Washington tenta enfrentar o amplo poder de mercado da Big Tech. leia mais

“Nos 17 anos desde que foi criado, o Facebook se tornou a única rede social no Reino Unido, onde você pode ter certeza de se conectar com amigos e familiares em um só lugar”, disse Lovdahl Gornsen.

“No entanto, havia um lado negro para o Facebook; abusou de seu domínio de mercado para impor termos e condições injustas aos britânicos comuns, dando-lhe o poder de explorar seus dados pessoais.”

Lovdahl Gormsen alega que o Facebook coletou dados dentro de sua plataforma e através de mecanismos como o Pixel do Facebook, permitiu que ele construa uma “imagem que tudo vê” do uso da Internet e gere perfis de dados valiosos e profundos dos usuários.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT