Jornalista lança livro de bastidores do Paris-Dakar

Enquanto os pilotos partem para a edição 2015 do rali, chega às livrarias “O caranguejo do Saara”, um relato de viagem baseado em coberturas da prova quando era disputada na África, com histórias inusitadas focadas na reação dos nativos à passagem da caravana e no choque cultural

O Rally Paris-Dakar foi disputado pela primeira vez em 1979. Hoje em dia, a prova não ocorre mais no deserto africano. Mas a aventura está registrada no livro do jornalista brasileiro Julio Cruz Neto, O caranguejo do Saara, que acaba de ser lançado e está à venda em livrarias de várias capitais, promovendo uma conexão entre o Dakar dos velhos tempos e o atual, que parte para mais uma edição em janeiro próximo.

A obra é baseada nas coberturas do Paris-Dakar feitas por Julio nos anos 1999 e 2000. O livro fala principalmente dos bastidores da prova, como as pessoas que vivem nos rincões do deserto africano, a reação delas à passagem da caravana e o choque cultural.

Trata-se de uma publicação independente, ilustrada por 38 fotografias tiradas pelo autor, em negativo. Julio relata a experiência de passar por nove países africanos, usando diversos meios de transporte (avião, helicóptero e carro), num total de 40 dias acampado.

  Julio Cruz Neto, autor do livro

“Esse livro surgiu de uma certeza que eu tive quando voltei da segunda cobertura do Dakar. Eu tinha muito mais para contar do que cabia nas páginas do Jornal da Tarde, do Estadão e nos boletins da Rádio Eldorado”, diz o autor.

Componente social

O projeto tem um componente social. O livro será usado pelo IBS (Instituto Brasil Solidário) em ações de incentivo à leitura em comunidades carentes na Bahia, como um concurso de resenhas.

MVB

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial