“Num mundo que se faz deserto, temos sede de encontrar um amigo” – O Pequeno Príncipe

O livro “O Pequeno Príncipe”, um dos livros mais conhecidos do mundo, foi inicialmente voltado para crianças, mas sempre há lições mais profundas para os adultos, e nele há sempre algo para aprender e meditar em suas ilustrações e entrelinhas.

por José Augusto Cavalcanti Wanderley
Colaborou: Jornalista Nicole Barbosa Vieira


O Pequeno Príncipe, o morador solitário do minúsculo asteroide B-612 gostava de viajar pelos planetas, descobrir o que o universo lhe reservava depois de deixar sua amada Rosa. Ele queria conhecer pessoas, se aventurar.

Ter contato com outras pessoas o fazia sentir-se bem, e o desejo por mais experiências se ampliava, não atoa, que no final de sua jornada, o príncipe se tornou muito mais sábio.

Esta frase nunca fez tanto sentido atualmente. Quantas pessoas não se sentem sozinhas? Que queiram descobrir algo que as complete, um ombro amigo para compartilhar as alegrias e tristezas do dia a dia?

As pessoas são mais felizes com bons amigos por perto, e que sorte ter alguém com quem realmente podemos contar, alguém que cativamos sempre por perto! Quando ela conquista algo, a conquista nem é sua, porém você se alegra como se realmente fosse.

Outras frases muito relevantes para esse tema, são as citações “tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas” e “só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos”. Às vezes, é difícil perceber a responsabilidade afetiva que temos sobre nossos amigos, mesmo invisível, estará lá. É uma troca, uma via de mão dupla, que quanto mais se dá, mais se tem. Quanto mais cumplicidade e confiança, mais confiança ainda terá. Somos responsáveis pelas pessoas que cativamos, cujo elo de ligação e amizade vai se tornando cada vez mais forte e resistente. Com alguns conflitos, às vezes a corda balança, mas uma corda (amizade) de qualidade, dificilmente se romperá.

As pessoas são mais felizes com bons amigos por perto, e que sorte ter alguém com quem realmente podemos contar (Crédito: divulgação)

Antoine de Saint-Exupéry foi feliz na inspiração desse lindo principezinho e sua “jornada da vida”. Ele ensinou e ensina a todos que tem contato com essa história até hoje o quão importante é cativar alguém, mas mais ainda, valorizar e manter a pessoa cativada por perto. Quem é seu bom amigo hoje?


*José Augusto C. Wanderley é publicitário e administra a La Grande Vallé, casa onde o Pequeno Príncipe ficava quando vinha ao Rio de Janeiro no século passado.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial