O homem acomodado em sua missão de acender e apagar o dia

por José Augusto Wanderley*
——————————-

Neste momento delicado de quarentena, escolhemos falar de um dos personagens do livro O Pequeno Príncipe, a fim de tentar trazer leveza e apresentar alguma reflexão àqueles que nos acompanham em nossas redes sociais. Para meditarmos sobre nosso dia a dia e sobre nós mesmos, aproveitando esse tempo em que podemos nos conhecer melhor. Para esse momento de dúvidas e incertezas, escolhemos um personagem que traz luz.

Em sua jornada pelos planetas, quando o Pequeno Príncipe chega ao asteróide do Acendedor de Lampiões, inicialmente o príncipe pensa que é apenas mais uma pessoa com comportamento ridículo e sem propósito. No entanto, ao verificar a devoção e empenho no seu trabalho, chega a admirá-lo.

O homem tem a tarefa de acender o lampião de noite e apagá-lo de dia, mas o planeta gira muito rápido e o Sol se põe a cada minuto, o que faz com que o seu trabalho seja cansativo.

O Acendedor de Lampiões simboliza as pessoas que cumprem determinadas tarefas sem pensamento crítico, muitas vezes fazendo coisas sem sentido ou sem entender porquê. Elas ligam o piloto automático, estão tão acostumadas com o que fazem, que não se dão conta da importância do que faz.

O Pequeno Príncipe nos ensina a prestar mais atenção no porquê de fazermos o que fazemos, e de termos o pensamento crítico. Quem você conhece que esteja acomodado em seu trabalho, com rotinas e metas de produção? E o que seria das pessoas se esse trabalho não existisse? E se o Acendedor esquecesse de acender o dia e apagar a noite? Claro que é importante que todo trabalho seja remunerado, mas o príncipe nos ensina com esse personagem a ter reconhecimento pelo que fazemos, e ter valores que nos motivem! Cada um é importante, assim como cada trabalho.

Nós da La Grande Vallée, desejamos que ao terminar essa fase tão delicada em nossas vidas deveríamos sim reavaliar valores e ações que temos praticado em nosso dia a dia e revisarmos nossas condutas em nossa trajetória de vida! Lembrem-se: cada trabalho é importante.

————————–
*José Augusto Wanderley é publicitário e escritor. Criou e administra a La Grande Vallée, em Itaipava (RJ)
Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

As 100 melhores crônicas de João Saldanha são reunidas em livro

As crônicas foram selecionadas pelo historiador Alexandre Mesquita após a leitura de todo o acervo disponível sobre João Saldanha entre 1960 e 1990 EDIÇÃO DO...

Grupo Iberostar inicia reabertura de hotéis e reforça segurança sanitária

De forma escalonada, a reabertura de uma seleção de hotéis do Grupo Iberostar acontece a partir da segunda quinzena de junho garantindo protocolos de...

Portugal recebe o Selo ‘Safe Travels’ do World Travel & Tourism Council

Este selo visa reconhecer destinos que cumprem protocolos de saúde e higiene alinhados com os Protocolos de Viagens Seguras emanados pelo WTTC, ajudando, sobretudo,...

Três perguntas para Sanfo Boubakar, diretor da ClassTraining, sobre treinamento na retomada

Engenheiro químico com mais de 23 anos de experiência profissional e acadêmica, Sanfo Boubakar é marfinense naturalizado brasileiro. REDAÇÃO DO DIÁRIO Há quase 35 anos no...

Bolsa qualificação beneficia turismo de Foz do Iguaçu e preserva 4,5 mil empregos

Foz do Iguaçu vem adotando diversas medidas para preservar empregos e amenizar o impacto social provocado pela pandemia no novo coronavírus (Covid-19). Uma delas...

Os  Embaixadores do Rio e a retomada do turismo fluminense

Bayard Do Coutto Boiteux*O Rio  de Janeiro com a pandemia causada pelo Covid-19 passa o pior momento de sua história turística nas últimas décadas....

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias