OMS recomenda vacinação a todos viajantes internacionais que visitam São Paulo

A OMS recomenda também procurar assistência à saúde em caso de sintomas e sinais de febre amarela

EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências

Considerando o aumento do nível de atividade do vírus da febre amarela observado no estado de São Paulo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) passou a recomendar nesta terça-feira (16) a vacinação para todos os viajantes internacionais que visitam qualquer área do estado – foram incluídos o litoral e toda a Região Metropolitana de São Paulo.

A determinação de novas áreas consideradas de risco de transmissão de febre amarela e com recomendação de vacina é um processo contínuo e atualizado regularmente pela OMS. A última mudança, no caso do Brasil, ocorreu em abril de 2017.

Atualmente, a vacina para viajantes internacionais é recomendada também para os estados das Regiões Centro-Oeste e Norte do Brasil, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Maranhão, além de partes dos estados da Região Sul, Bahia e Piauí. A vacinação deve ser feita ao menos dez dias antes da viagem.

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) avalia que a medida mais importante para prevenir a febre amarela é a imunização. Quem vive ou se desloca para as áreas de risco deve estar com as vacinas em dia e se proteger de picadas de mosquitos. Apenas uma dose da vacina é suficiente para garantir imunidade e proteção ao longo da vida. Efeitos secundários graves são extremamente raros.

Os viajantes com contraindicações para a vacina contra a febre amarela (crianças abaixo de 9 meses, mulheres grávidas ou amamentando, pessoas com hipersensibilidade grave à proteína do ovo e imunodeficiência grave) ou com mais de 60 anos devem consultar seu profissional de saúde para avaliação cuidadosa de risco-benefício.

A OMS recomenda também procurar assistência à saúde em caso de sintomas e sinais de febre amarela, durante a viagem e após o retorno de áreas com risco de transmissão da doença.

Principais fatos

  • A febre amarela é uma doença hemorrágica viral transmitida por mosquitos infectados. O termo “amarela” se refere à icterícia apresentada por alguns pacientes.
  • Febre, dor de cabeça, icterícia, dores musculares, náusea, vômitos e fadiga são sintomas de febre amarela.
  • Uma pequena proporção de pacientes que contraem o vírus desenvolve sintomas graves e aproximadamente metade deles morre de sete a 10 dias.
  • O vírus é endêmico em áreas tropicais da África, América Central e América do Sul.
  • Grandes epidemias de febre amarela ocorrem quando pessoas infectadas introduzem o vírus em áreas densamente povoadas com alta densidade de mosquitos e onde a maioria das pessoas tem pouca ou nenhuma imunidade devido à falta de vacinação. Nessas condições, mosquitos infectados transmitem o vírus de pessoa para pessoa.
  • A febre amarela é prevenida por uma vacina extremamente eficaz, segura e acessível. Uma dose da vacina é suficiente para garantir imunidade e proteção ao longo da vida, não sendo necessária nenhuma dose de reforço. A vacina confere imunidade eficaz dentro de 30 dias para 99% das pessoas imunizadas.

Doses fracionadas

O Ministério da Saúde do Brasil anunciou na semana passada que vai adotar, entre fevereiro e março deste ano, o fracionamento de doses da vacina contra a febre amarela em três estados: Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo. Essa medida é recomendada pela Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) como uma das estratégias de imunização que podem ser usadas em resposta a necessidades eventuais de campanhas de larga escala – uma vez que um surto ameace a capacidade de abastecimento, por exemplo, se espalhando para áreas altamente povoadas. O fracionamento não tem a intenção de servir como estratégia de longo prazo nem de substituir as rotinas estabelecidas nas práticas de imunização.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


    Mais recentes

    Governo do Guarujá refuta erro em notícia que anuncia restrição hoteleira após reclassificação do Plano SP

    Conforme anunciado pelo Governo de São Paulo e veiculado pelo DIÁRIO, no último dia 30 de novembro, o poder público estadual fez uma reclassificação...

    Com protocolos minuciosos, Feira de Turismo e Negócios do Festival das Cataratas é aberta aos participantes

    Para o idealizador do Festival das Cataratas, Paulo Angeli, cuidado com a saúde e expansão da tecnologia são conquistas das feiras neste período POR ZAQUEU...

    Azul apresenta sua aeronave Ararinha Azul, em Viracopos (Veja Vídeo)

    A aeronave Ararinha Azul da Azul Linhas Aéreas foi apresentada nesta quinta-feira (3) em Viracopos no centro de manutenção da companhia, ao lado do...

    Em solenidade de abertura, 15º Festival das Cataratas destaca a retomada do turismo no Brasil

    “Estamos no momento da retomada, da esperança”, afirmou o idealizador e organizador do Festival das Cataratas, Paulo Angeli POR ZAQUEU RODRIGUES O Festival de Turismo das...

    Ministério do Turismo informa que Caixa Econômica inicia operações com recursos do Fungetur

    O Ministério do Turismo acaba de informar em nota que o Fundo Geral do Turismo (Fungetur) ganhou um importante reforço agora com a Caixa...

    Arquitetos e historiadores apoiam abaixo-assinado contra privatização do Ginásio do Ibirapuera

    Um abaixo-assinado contra o Projeto de Concessão do Governo do Estado para os equipamentos do Ginásio do Ibirapuera e do Conjunto Desportivo "Constâncio Vaz...

    Relacionadas

    Open chat