Países estrangeiros exigem seguro viagem para intercâmbio

Das agências com edição do DT

Estudar fora do país tem se tornado a escolha de muitos brasileiros. De acordo com a pesquisa Selo Belta, o mercado brasileiro de educação estrangeira cresceu 23%, em 2017. E alcançou a marca inédita de 302 mil estudantes. O estudo foi divulgado pela Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio (Belta).

Entre as muitas exigências dos países que recebem os intercambistas, um assunto é quase unânime: as regras de saúde no país de destino. A ComparaOnline aponta as principais informações sobre seguro viagem para os brasileiros que pensam em estudar fora do país.

A grande maioria dos países e programas de bolsas para intercâmbio exigem a contratação de seguro viagem durante todo o período que o intercambista estiver no exterior. Dependendo do tempo de permanência, alguns países podem, inclusive, exigir a contratação de um seguro saúde local. Mas, segundo o CEO da ComparaOnline no Brasil, Paulo Marchetti, ainda com um seguro saúde é importante avaliar a contratação de um seguro viagem.

Além disso, Marchetti ressalta que, caso o estudante queira viajar para outros países durante o período de sua estadia, o seguro saúde local não abrangerá outras localidades e, portanto, o estudante ficará desprotegido nesses casos se não tiver contratado um seguro viagem internacional.

É importante ressaltar também que o prazo máximo de um seguro viagem internacional é de 365 dias. Porém, caso o estudante amplie o período de estadia no exterior, deverá solicitar a extensão para a seguradora antes do término da vigência da proteção.

Para aqueles que já estão planejando o intercâmbio, a ComparaOnline listou algumas informações importantes sobre seguro saúde nos países mais buscados pelos intercambistas:

Canadá

O sistema de saúde no Canadá é público para o morador nativo, no entanto é pago no caso de turistas. Por essa razão, recomenda-se a contratação de seguro médico para a viagem. O sistema de saúde canadense é muito eficiente e, para a população, sejam residentes permanentes ou (a depender da região) estudantes, passível de ser utilizada de forma gratuita. Para todas as outras pessoas, incluindo turistas e estudantes que não tenham cumprido o período de carência para utilização do sistema público de saúde (podendo ocorrer de seis meses até um ano), deve-se providenciar, ainda no Brasil, seguro viagem internacional.

África do Sul

Para estudantes que excedam os 90 dias no país é preciso solicitar visto de estudante que exige comprovante de seguro médico obrigatório para o período que o estudante permanecer no local.

Inglaterra

Estudantes que possuem visto Tier 4 General, obrigatório para quem vai estudar por mais de 6 meses no país, têm direito a consultas, atendimentos, tratamentos e, em alguns casos, até medicamentos gratuitos, pois são obrigados a pagar uma taxa para tirar o visto dirigida ao National Health Service (NHS).

Austrália

A Austrália dispõe de excelente sistema de saúde, com hospitais bem equipados e ampla variedade de especialistas médicos. Mas é preciso ter em mente que o sistema de saúde australiano, mesmo no sistema público, não é gratuito para visitantes. Para os estudantes que ficarão mais de 3 meses no país, é preciso contratar um OSHC (Overseas Student Health Cover); cobertura de seguro saúde para estudantes estrangeiros. É absolutamente imperativo que o viajante conte com um seguro de saúde internacional abrangente.

Malta

Brasil e Malta não têm acordo recíproco na área de saúde. É aconselhável que todos os visitantes façam apólice de seguro médico pessoal. A assistência médica em Malta está disponível em hospitais públicos e privados. Mesmo no caso dos hospitais públicos, o atendimento será cobrado de turistas estrangeiros. A qualidade do atendimento médico em Malta é boa, mas hospitais podem ter capacidade de atendimento limitada.

França

A França tem uma das melhores redes de saúde do mundo. Estrangeiros podem se inscrever no Sécurité Sociale, sistema nacional de saúde Francês. Porém isso não significa que todos os serviços sejam gratuitos. É preciso atentar aos pré requisitos e tempo de carências.

Alemanha

Não há assistência médica gratuita na Alemanha. Todos os residentes ou pessoas em trânsito pelo território alemão, devem ter seguro saúde válido para cobrir eventuais despesas. Serviços relativos a consultas ou atendimentos de emergência.

Para mais informações, acesse: www.comparaonline.com.br

Avatar
Redaçãohttps://www.diariodoturismo.com.br
Primeiro e-Diário de Turismo do Brasil

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Celso Guelfi, CEO da Global Travel Assistance: “Temos mais futuro que passado”

De acordo com dados da recente pesquisa Criteo (NASDAQ: CRTO) - uma empresa global de tecnologia -  68% dos brasileiros estão ansiosos para viajar...

Hotéis em Porto de Galinhas recebem o selo Safe Travel do WTTC

O Hotel Solar Porto de Galinhas e o Vivá Porto de Galinhas Resort, ambos localizados no Litoral Sul de Pernambuco, foram os primeiros do...

Em Brasília, setor de transporte turístico pede socorro e reclama de taxas abusivas

Trabalhadores pedem compreensão da ANTT em relação às taxas e clamam que representantes do órgão ouçam suas reivindicações EDIÇÃO DO DIÁRIO ------------------------------   O setor de turismo é,...

Frida Kahlo tem vinho em sua homenagem da vinícola Carmen, no Chile

Frida Kahlo completaria 113 anos nesta segunda-feira, 6 de julho. Ícone da força feminina,  a artista mexicana é símbolo de reinvenção, tanto em sua...

GOL terá adiantamento de R$ 1,2 bilhão da Smiles

Valor Econômico A Smiles fará um adiantamento à Gol no valor de R$ 1,2 bilhão, para uso futuro na aquisição de passagens aéreas de emissão...

Grandes bancos do Canadá boicotam anúncios no Facebook

Os maiores bancos do Canadá confirmaram na última sexta-feira (3) que se juntaram a um boicote contra anúncios no Facebook, iniciado por grupos de...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias