Prosa Corporativa: Cassio Salles Oliveira, da AirTkt, fala com Jorge Salim

A prosa corporativa desta quinzena é entre Cássio Salles de Oliveira, diretor executivo da recém-fundada Associação Brasileira de Distribuidores de Passagens Aéreas e Serviços de Viagens (AirTkt) e Jorge Salim, publicitário, ex-diretor da consolidadora Gapnet e integrante do conselho editorial do DIÁRIO.

Cássio foi convidado no início deste ano para integrar (e chefiar) o grupo de executivos fundadores da AirTkt e ainda permanece na sala da Rextur cercada de história, onde ficou por 21 anos.

“Tudo vem acontecendo muito rápido, desde o convite, a decisão em fundar a entidade, as reuniões ordinárias… trata-se  de uma importante associação, que no nascimento já representa aproximadamente 12 mil agências de viagens e 1,5 funcionários dentre as cinco empresas fundadoras Rextur Advance, Flytour, Esferatur, Gapnet e Ancoradouro; as cinco maiores consolidadoras de bilhetes aéreos do País“.

Feito este preâmbulo, Salim pergunta quais seriam as principais metas da Airtkt e Cássio adianta que, além das metas, as preocupações são muitas. “É hora de buscar a padronização entre as relações com as Companhias  Aéreas, estabelecer formulários de Reembolso e Adm’s (Aviso de Débito de Companhia Aérea), por exemplo. Cada qual tem um. Vamos procurar fazer um tipo só para todos. E mais. Utilizaremos o mesmo critério para uniformizar as relações no setor da consolidação”, informou.

 “Recebemos uma parte e a outra é destinada para as agências, acabamos arcando com os valores integrais nos impostos, iremos mexer nesse assunto

De acordo com Cássio, as relações com os órgãos de governos, que normatizam o sistema tributário mais parece um samba do crioulo doido. “Recebemos uma parte e a outra é destinada para as agências, acabamos arcando com os valores integrais nos impostos, iremos mexer nesse assunto”, garante.

Cássio garante que das reuniões com as consolidadoras ficou decidido que elas não interferirão em acordos e contratos comerciais com os fornecedores aéreos. “Não há motivo para esse tipo de negociação. Deixaremos essa parte a cada um dos players, que já fazem as suas políticas comerciais”, arrematou.

RAV

Perguntado sobre a RAV (Taxa que o Agente de Viagens cobra do passageiro como remuneração quando a comissão é zero por parte da Companhia Aérea), disse que será mais um assunto a ser focado e serão propostas soluções definitivas ao processo final de venda, já que o agente ainda não assimilou este processo.

Ao final desta Prosa Corporativa, Jorge Salim salientou a importância dos treinamentos que devem ser oferecidos aos agentes de viagens. “É  forma de capacitar o mercado e dar um melhor preparo para o enfrentamento das tendências, acirramento da concorrência com os mercados online, vendas diretas e outras ameaças aos agentes de viagens tradicionais”, afirmou lembrando que muitos agentes de viagens não viram com bons olhos a criação de mais uma entidade, pois acreditam que a classe pode se fragmentar ainda mais.

Cássio disse que  isso já era esperado. “Tudo é novo ainda, vamos provar nossa eficiência com o tempo, podem acreditar”, finalizou.

Prosa Corporativa da Quinzena

* Cássio Salles de Oliveira –  Ex-Varig, 20 anos de Rextur  e atual Diretor Executivo da Airtkt.

* Jorge Luiz Salim – Coaching em Marketing, blogueiro, publicitário, ex-professor universitário (FIAM/FMU, Metodista) e fundador do Instituto Vital/Anjos da 3a. Idade

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial