Recuperações judiciais aumentam quase 70% em maio

Por Marcelo Vianna*

RETRÔ 2020 – PUBLICADO DIA 12 DE JUNHO

 

Segundo informações dos órgãos de proteção ao crédito, em maio de 2020, houve um aumento de quase 70% nos pedidos de recuperação judicial (das quais 61% foram deferidas) e 30% nos de falências (das quais, felizmente, somente 3,3% foram decretadas). Tais resultados decorrem, obviamente, dos impactos econômicos causados pela pandemia do COVID-19, que afeta negativamente a quase todos os setores da economia, inclusive – e principalmente – o turismo.

Após meses de isolamento social, praticamente sem receita e com despesas fixas se acumulando, algumas empresas do turismo, infelizmente, correm o risco de fechar as portas, sobretudo as de menor porte, sem reservas suficientes para se manter. Contudo, em maior ou menor escala, a crise afeta também as empresas de médio e grande porte, o que pode ser constatado com os recentes pedidos de recuperação da Queensberry, Hertz (EUA), Avianca (EUA) e Latam (EUA), dentre outros.

- Advertisement -

Embora o pedido de recuperação judicial (é sempre oportuno destacar) não signifique falência, mas sim um benefício legal para viabilizar o pagamento de dívidas, o fato é que sinaliza um problema econômico-financeiro grave que, se não solucionado, poderá acarretar a quebra da empresa.

Portanto, não há dúvida de que os números são preocupantes, exigindo de todos os empresários (não só do turismo) ainda mais atenção às boas práticas empresariais, em especial no que se refere à gestão jurídico-financeira de sua operação na renegociação de suas dívidas.

* Marcelo Vianna é advogado empresarial, sócio do escritório Vianna, Burke e Oliveira Franco (www.veof.com.br). Para maiores informações a respeito do texto acima, está disponível pelo e-mail marcelo@veof.com.br

Compartilhe com um amigo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Marcelo Soares Vianna
*Marcelo é mestre em Direito Civil e Processual Civil pela Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS) e Mestre (LL.M) em Law & Business pela Vanderbilt University Law School, Nashville, TN, USA. Advogado atuante no setor do turismo, sócio do escritório VIANNA & OLIVEIRA FRANCO ADVOGADOS (www.veof.com.br). É articulista e colaborador do DT desde agosto de 2015.

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias para a sua viagem!


    Mais lidas

    Site do Editor

    O jornal dos melhores leitores

    Mais recentes

    Melhor vinícola do mundo é a Zuccardi Valle de Uco, na Argentina

    Zuccardi Valle de Uco abriu suas portas há seis anos na Província de Mendoza e na metade desse tempo foi premiada pela The World´s...

    Governo da Paraíba regulamenta atividades off-road

    A lei também passa a considerar a atividade de importante valor cultural e turístico para a Paraíba Edição DIÁRIO com agências Uma lei publicada no Diário Oficial...

    Lufthansa investe em aumento de capital: 2,14 bilhões de euros

     A maior companhia aérea europeia, a Lufthansa, vai aumentar o capital em 2,14 bilhões de euros Edição DIÁRIO com agências O objetivo é captar financiamento junto...

    Ângelo Sanches, presidente da Anseditur: “Somos uma nação do turismo!”

    POR ZAQUEU RODRIGUES Em 2017, Ângelo Sanches assumiu as funções de secretário municipal de Turismo de Canela (RS), presidente do Conselho de secretários e dirigentes...

    Minas lança a Rota Caminho dos Franciscanos

    Projeto pretende atrair turistas do Brasil e do exterior para a região do Vale do Mucuri, que interliga Teófilo Otoni a Itambacuri, em Minas Edição...

    Valor das ações da Gol e CVC apresentam alta

    Setor se beneficia da decisão de Estados Unidos e Argentina de reabrirem fronteiras para a entrada de brasileiros e estrangeiros em geral com vacinação...

    Relacionadas

    Compartilhe com um amigo:
    Pautas e Marketing