Setor hoteleiro investe em municípios do interior do Brasil

De olho no potencial do turismo fora dos grandes centros urbanos, o setor hoteleiro tem mobilizado recursos para municípios de pequeno e médio porte. De acordo com um estudo do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB), até 2020, a quantidade de empreendimentos em cidades com até 300 mil habitantes subirá dos atuais 134 para 314, o que representa uma alta de 134%. No mesmo período, os municípios com população superior a um milhão de pessoas terão crescimento bem mais modesto: 32% (alta de 370 para 490).

Entre as cidades médias, com população entre 300 mil e 500 mil pessoas, o levantamento estima um aumento de 92% na quantidade de empreendimentos hoteleiros. É nesta faixa populacional que está o município de Campos dos Goytacazes (RJ), apontado pelo estudo como o que terá a o maior crescimento no país em termos proporcionais (600%), saltando de um para sete hotéis. O dado leva em conta estabelecimentos vinculados ao FOHB, que representa importantes redes hoteleiras, nacionais e internacionais.

Considerando os hotéis em todo o país, a concentração de empreendimentos em cidades com mais de um milhão de habitantes cairá dos atuais 59% para 47%, ao passo que nas cidades com até 300 mil habitantes subirá de 22% para 30%. Já municípios com população entre 300 a 500 mil habitantes passarão de 10% para 12%. Os números mostram ainda que os estados que mais crescerão no período são Goiás (154%) e Mato Grosso (133%).

Econômicos
Os dados também mostram que o número de hotéis classificados na categoria econômica deve crescer 131%, contra 49% dos resorts e 28% em estadias mais luxuosas, classificadas tecnicamente como upscale. Com isso, a participação dos hotéis econômicos no mercado nacional deve ter uma elevação de quase 10 pontos percentuais. O setor deve investir R$ 12,8 bilhões no país nos próximos seis anos, o que proporcionará um crescimento de 65% no número total de empreendimentos. O levantamento mostra ainda que, em 2020, os hotéis serão responsáveis por 100 mil empregos diretos, ante os atuais 64 mil.

Fonte: Ministério do Turismo 

1 COMENTÁRIO

  1. Pensando no futuro (Aposentadoria) e, por me agradar o “longo verão” do Nordeste, a Hotelaria – especificamente – flats (unidade de apartamento), estaria no meu planejamento para investimento. E sugiro para quem esteja planejando fazer investimentos, pensar em adquirir apartamento em flat. Além de poder usufruir para descanso, póde alugar nos demais períodos que não utilizar, via diárias de hóspedes. Fica a dica.

Comments are closed.

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial