Subsecretário do Ministério da Economia, Fábio Pina: “Temos que voltar a crescer 3,4% ao ano”

Fábio Pina parafraseou o presidente Jair Bolsonaro: “Temos que tirar o governo do cangote do empresário”

por Juneo Videira (Reporter do DT com REDAÇÃO) – De Foz do Iguaçu*

Nesta quinta-feira (16), primeiro dia do Encontro de Investimentos e do Turismo, que acontece em Foz do Iguaçu, o DIÁRIO como mídia convidada, conversou com Fábio Pina, Subsecretário de Comércio e Serviços do Ministério da Economia. O evento reúne líderes da cadeia produtiva do turismo, empresários e representantes públicos das esferas municipais, estaduais e federais, além de representantes de organismos como Banco Mundial, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Confederação Andina de Fomento (CAF), BNDES, Banco do Nordeste, Caixa Econômica Federal, Prodetur, agências de fomento e fundos de investimentos nacionais e internacionais. 

Fábio em seu painel falou da importância em diagnosticar os principais problemas infraestruturais do Brasil que são, segundo ele, os responsáveis por interferir no crescimento da economia brasileira e, por conseguinte, no desenvolvimento do turismo.

Os principais problemas para o desenvolvimento da economia englobam, inevitavelmente , o turismo”, disse ele ao DT. . “O turismo também recebe fatores exógenos, turistas estrangeiros que dependem do câmbio por exemplo. Mas isso é apenas um problema marginal , na realidade o que importa mesmo é o país crescer, a economia toda do país crescer, o ambiente de negócios ficar mais seguro, juridicamente mais seguro, como todo mudo tem dito “destravar a economia”, “ retirar o excesso de burocracia””, enumerou.

Fábio Pina, subsecretário de Comércio e Serviços do Ministério da Economia (Crédito: DT)

Segundo o subsecretário, o tempo que se gasta para pagar a carga tributária, os impostos, a burocracia que se enfrenta para abrir e encerrar uma empresa, o emaranhado de legislações que o Brasil possui criam uma grande insegurança jurídica.

“Você tem lei, regra, portaria, instrução normativa para todo lado, algumas delas que inclusive se contradizem e tudo isso torna o dia do empresário muito mais complexo”, afirmou.

Segundo Pina, o Ministério da Economia tem um projeto de longo prazo e que, gradativamente quer tirar “o governo do cangote do empresário como disse o presidente”, se referindo ao presidente Jair Bolsonaro. “Certamente isto feito a economia vai voltar a crescer, teremos uma malha viária com mais demanda, seja para turismo de lazer, seja para turismo de negócios e há de se convir se há mais negócios, há mais empresas, há mais fluxo de pessoas, de consumidores e de negócios entre empresas, eu vou ter mais voos, mais turismo de negócios e também vou ter mais gente empregada, mais gente que pode gozar férias ao longo depois de um ano, e tudo isso é incentivo do setor de turismo”, enumerou.

Turismo e aeroportos

Ele acrescentou que, especificamente para o setor de turismo têm que se tomar cuidado com o quesito segurança. “a segurança é algo muito relevante para todo o tipo de turismo, como é a limpeza urbana, como é a infraestrutura de transporte. O Brasil ainda é deficiente em tudo isso e agora passa por um processo de concessões e privatizações, como a melhoria dos aeroportos o que está sendo feito gradativamente”, disse.

“Com a adequação da infraestrutura de aeroportos e da interligação desses aeroportos com centros urbanos e com os locais turísticos os problemas todos não estariam resolvidos, mas encaminharia muito bem para que o país voltasse a crescer em uma taxa que a gente precisa e merece 3, 4 % ao ano e não menos de 1% como foi nos últimos dez anos”, finalizou.

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial