About the author

Paulo Atzingen

Paulo Atzingen

Sou jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursei Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará, lecionei em Escola Pública e cursinhos pré-vestibular. Produzi reportagens na Amazônia sobre sustentabilidade, conflitos agrários e étnicos. Lancei em 1998 minha primeira revista, a PAYSAGE – dirigindo-a e publicando-a por três anos. Em Belém, fui repórter do jornal O Liberal, O Paraense e articulista do jornal A Província do Pará e Diário do Pará. Ganhei alguns concursos, e publiquei três livros de ficção em prosa publicados via editais. “Cronicontos Marabaenses”, “O Boi e o Ferro Gusa” e “O Turista Encarnado“. De volta à terra natal, São Paulo, trabalhei como redator no jornal de turismo Brasilturis e fundei em 2005 o DIÁRIO DO TURISMO, o primeiro jornal On-line Diário de Turismo do Brasil. Como redator e jornalista ganhei o Prêmio O Petróleo é Nosso – da Petrobrás e duas vezes o prêmio de jornalismo Comendador Marques dos Reis, em Belém (2006 e 2016). Em 2016 lancei a revista digital PAYSAGE HOTELEIRA com foco no mercado hoteleiro corporativo e em 2017 lancei meu site com textos autorais, o ATZINGEN.com.br. Sou casado e pai de dois filhos. Estudo gaita.

One Comment

  1. 1
    Avatar

    Geraldo

    A Hotelaria poderia é fazer parceria com fornecedores, objetivando lembrar a eles a questão do merchandising agregado, ao oferecer produtos de uma marca, estando implícito a divulgação da mesma, a exemplo dos produtos no frigobar, sabonetes, roupas de cama, etc. A questão da empregabilidade deve passar pela conscientização de empregar o quantitativo necessário: evitar o excesso de funcionários em cada hotel, porém fazendo planejamento de abertura de filiais fazendo surgir novos postos de trabalho. A mentalidade de alguns hotéis, especialmente quem está a pouco tempo no segmento, é de querer prestigiar turismo em grupo ou eventos, pela garantia de estar com 100% dos apartamentos negociados e, quando surge pedidos de reservas individuais ou pacotes como finais de ano, cobrar preços altos para garantir a manutenção da margem de lucro. Portanto, há muito a ser repensado nesta questão de preço de diária, lembrando que a cidade em que esteja localizado o hotel, póde agregar ou não valorização da diária, motivado pelo que a cidade póssa oferecer a título de lazer/entretenimento, belezas naturais, pontos turísticos. Fica a Dica e Sugestão.

Comments are closed.

Copyright 2018 - Diário do Turismo. Criado e mantido por Agência de Marketing Digital | NetGuaraná