Turismo religioso na Espanha é impulsionado pela força da fé

Qual é o impacto econômico do Turismo Religioso? Quantas pessoas o praticam? Quantos empregos ele gera?

A falta de números confiáveis é um dos muitos problemas que esse segmento do turismo enfrenta em muitos países – inclusive o Brasil – para ter o seu potencial reconhecido, atrair mais investimentos e receber mais atenção das diversas esferas de governo.

por AMADEU CASTANHO*


Na Espanha, porém, o panorama é diferente. No último mês, como faz todos os anos, a Conferência Episcopal Espanhola – equivalente à nossa CNBB -divulgou seus relatório consolidado de atividades e finanças, certificado pela empresa especializada em auditoria KPMG.

Divulgado com dados referentes a 2019, o último antes do início da atual pandemia, o relatório aborda diversos aspectos da ação da Igreja Católica na Espanha e destaca a importância do turismo religioso e cultural naquele país.

Impacto significativo

Segundo o documento, o patrimônio cultural da Igreja e as celebrações religiosas de interesse turístico que acontecem ao longo do ano em diferentes pontos do território espanhol têm um impacto significativo na economia espanhola.

Segundo o estudo da KPMG, toda a atividade gerada pela presença do patrimônio cultural da Igreja tem um impacto total no PIB espanhol de 22,6 bilhões de euros e contribui diretamente para a geração de mais de 225.000 empregos diretos, indiretos e induzidos.

Já as festas religiosas tiveram um impacto sócio-cultural de 9,9 bilhões de Euros e geraram mais 134.000 empregos.

Ou seja, o turismo religioso como um todo teve um impacto de 32,5 bilhões de Euros, equivalente a mais 3% do PIB da Espanha e gerou 355.300 empregos diretos e indiretos.

Segundo o estudo da KPMG, toda a atividade gerada pela presença do patrimônio cultural da Igreja tem um impacto total no PIB espanhol de 22,6 bilhões de euros (Crédito: arquivo DT)

Celebrações e festas religiosas de interesse turístico

Segundo a entidade religiosa espanhola, em 2019 aquele país teve 415 celebrações e festas religiosas de interesse turístico, 45 das quais atraíram interesse turístico internacional.

Merecem destaque as celebrações durante a Semana Santa, das quais 153 foram consideradas de interesse turístico.

Apenas três dos muitos destinos de peregrinação espanhóis, Zaragoza (Nossa Senhora do Pilar, padroeira da Espanha), Montserrat (Virgem de Montserrat) e Torreciudad (Nossa Senhora dos Anjos de Torreciudad), atraíram 7.910.000 peregrinos.

O tradicional Caminho de Santiago, por sua vez, foi responsável pela atração de 347.578 peregrinos a Santiago de Compostela.

Só em Barcelona o patrimônio religioso da cidade atraiu mais de 8 milhões de visitas anuais e dos três locais da cidade que mais recebem visitantes, o primeiro e o terceiro foram templos religiosos: a Basílica da Sagrada Família e a Catedral da Santa Cruz e Santa Eulália.

Patrimônio religioso

De acordo com a Conferência Episcopal Espanhola, a Igreja soma 3.290 imóveis de interesse cultural, sendo que em 500 municípios o único bem de interesse cultural é uma igreja, monastério ou convento.

Para esses municípios, a presença desses ativos é uma clara contribuição para o desenvolvimento econômico da região, devido ao seu grande valor cultural e ao atrativo turístico que geram.

Dos 44 bens culturais espanhóis declarados patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO, 22 têm uma presença significativa das entidades da Igreja, quer sob a forma de bens (catedrais de Burgos, Sevilha e Toledo), quer de origem (Caminho de Santiago), pela presença nos conjuntos de numerosas igrejas ou conventos (Ávila ou Santiago de Compostela) ou por vários outros motivos.

Não podem ser esquecida ainda a importância das irmandades e confrarias, responsáveis por grande parte das grandes festas e celebrações.  A Espanha contabiliza mais de um milhão de irmandades e confrarias, sendo que 4.521 estão inscritas atualmente no Registro de Entidades Religiosas – sem contar as muitas que existem – e cuja atividade se limita a um âmbito mais reduzido ou paroquial.

O tradicional Caminho de Santiago, por sua vez, foi responsável pela atração de 347.578 peregrinos a Santiago de Compostela.(Crédito: Getty Images)

Amadeu Castanho é jornalista, trabalhou em publicações de renome no Brasil e no Exterior e se especializou na cobertura de nichos do mercado de turismo, como o religioso, o de luxo, o de incentivo e o corporativo. Edita a revista eletrônica Viagens de Fé (www.viagensdefe.com.br), única publicação brasileira focada em viagens religiosas, destinos religiosos, romarias e peregrinações. Amadeu é diretor da Keris Comunicação Editorial, especializada em publicações eletrônicas segmentadas e geração de conteúdo. Tem cursos de especialização em Hotelaria, Marketing e Publicidade, entre outros, tendo atuado como profissional e como consultor nessas três áreas. É palestrante em sua especialidade, turismo religioso.

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial