Adrien Genier, gestor de marketing da Switzerland Tourism: “Mercado brasileiro tem espaços para ser desbravado”

Durante a Convenção Schultz, que acontece de 1 a 5 de março em Gramado (RS), o gestor de marketing da Switzerland Tourism Adrien Genier conversou com a repórter freelancer do DIÁRIO, Ellem Oliveira. Adrien apresenta dados exclusivos sobre o número de brasileiros na Suíça.

Segundo o executivo, em cinco anos, o mercado registrou um crescimento de 45,3% no número de brasileiros que viajam para Suíça. “Somente em 2014, o crescimento foi de 7.8%, contabilizando um total de mais de 93 mil turistas. O número parece expressivo, mas está muito aquém do potencial que a Suíça pode oferecer”, afirma. Para Adrien, o brasileiro tem a imagem da Suíça apenas como um país gelado, sem muitas opções de lazer por causa do frio. Mas além da neve o ano todo somente nos Alpes, o verão é um atrativo à parte. De junho a setembro a temperatura média é de 25 graus, clima muito parecido com do Brasil, esclarece.

Em 2014 as cinco regiões mais visitadas pelos brasileiros na Suíça foram Zurique, Genebra, Lucerna e Região do Lago Lucerna, Região do Lago Genebra Montreux, Vevey, Lausanne e Oberland Bernês (Berna, Interlaken, Região de Jungfrau). A média de permanência de brasileiros na Suíça é de quatro dias.

Devido à localização geográfica privilegiada do país europeu e suas fronteiras com os maiores receptores turísticos da Europa (França, Itália e Alemanha), a Suíça é perfeitamente combinável em roteiros europeus e vem ganhando cada vez mais destaque em novas programações.

Adrian revela ainda que seu público fica restrito às classe “A” e “B e um pouco menos ao mercado de luxo. ‘Classes “C” e “D” não sonham com a Suíça. O sonho de consumo destes turistas acaba sendo Miami, Nova York e os roteiros convencionais da Europa’. “O público que visita a Europa mais de uma vez tende a incluir a Suíça no roteiro turístico Europa (França, Itália e Alemanha) por sua localização geográfica privilegiada”, afirma ao DT.

Crescimento é lazer

Para Adrian, quem tem uma viagem programada não vai deixa de viajar por causa da variação da moeda americana. Acreditamos que os roteiros de lazer sejam o caminho para um crescimento ainda maior. Ele revela ainda, que a empresa investe em grandes mídias no Brasil, e acredita que a capacitação do agente de viagem é a certeza de boas vendas. ‘O agente de viagem é peça fundamental para o tipo de produto que oferecemos. Nosso destino só é vendido por quem tem de fato bons conhecimentos, pois se trata de um roteiro muito específico. Acreditamos no potencial do turista brasileiro e como diz Aroldo Schultz “Viemos pra ficar”’, finaliza o gestor de marketing da Switzerland Tourism.

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial