Anúncio do lançamento da cédula de R$ 200 gera repercussão no mercado

O anúncio do lançamento da cédula de R$ 200 pelo Banco Central gerou repercussão no mercado, principalmente, em relação à possibilidade de facilitar a prática de crimes financeiros, além de gerar a sensação de que a moeda brasileira pode estar perdendo valor.

Agências com Edição do DT


Essa será a primeira vez, em 18 anos, que o real ganhará uma cédula de novo valor. Atualmente, circulam as de R$ 2, R$ 5, R$ 10, R$ 20, R$ 50 e R$ 100. O Banco Central informou que a nota de R$ 200, com a imagem do lobo-guará, está em fase final de testes de impressão e deve começar a circular no fim de agosto, e prevê que, ao longo de 2020, entrem em circulação 450 milhões de unidades.

De acordo com o Banco Central a decisão, aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é uma forma de a instituição agir preventivamente para a possibilidade de aumento da demanda da população por papel moeda. Informou que, entre março e julho deste ano, cresceu de R$ 61 bilhões o entesouramento de dinheiro, ou seja, notas que deixaram de circular porque a população manteve o dinheiro em casa, por conta da pandemia de Covid-19.

Na contramão do movimento mundial de ampliação da quantidade de transações por meio digital, a nova cédula tem outro efeito negativo: favorecer crimes financeiros. De acordo com o advogado Alberto Goldenstein, especialista em Direito Empresarial e Civil, apesar de a nova cédula não induzir ao crime, poderá facilitar a corrupção por meio da ocultação de patrimônio, a lavagem de dinheiro e o tráfico de ilícitos, além de dificultar o rastreamento do dinheiro. “Notas de valores altos são mais fáceis de guardar e carregar em maletas”, observa.

Vinicios Cardozo, advogado especialista em Direito e Processo Penal, observa que a circulação da nova cédula pode ser uma oportunidade para a atuação de assaltantes e falsários. “A circulação de notas de maior valor acarreta em mais lucratividade com assaltos a caixas eletrônicos e lotéricas, por exemplo, o que indiretamente tende a incentivar a prática destes crimes”.

De outro lado, o advogado acrescenta que a circulação de cédulas novas é historicamente aproveitada por falsários. “É importante que as pessoas sejam bem informadas e alertadas para que não acabem vítimas de golpes”, frisa. Para ele, ainda é cedo para avaliar com precisão os efeitos que a cédula de R$ 200 terá na economia, na forma de pagamentos etc., principalmente, diante do uso cada vez mais frequente de outras formas de pagamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Redação
Redaçãohttps://www.diariodoturismo.com.br
Primeiro e-Diário de Turismo do Brasil

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


    Mais recentes

    Governo do Guarujá refuta erro em notícia que anuncia restrição hoteleira após reclassificação do Plano SP

    Conforme anunciado pelo Governo de São Paulo e veiculado pelo DIÁRIO, no último dia 30 de novembro, o poder público estadual fez uma reclassificação...

    Com protocolos minuciosos, Feira de Turismo e Negócios do Festival das Cataratas é aberta aos participantes

    Para o idealizador do Festival das Cataratas, Paulo Angeli, cuidado com a saúde e expansão da tecnologia são conquistas das feiras neste período POR ZAQUEU...

    Azul apresenta sua aeronave Ararinha Azul, em Viracopos (Veja Vídeo)

    A aeronave Ararinha Azul da Azul Linhas Aéreas foi apresentada nesta quinta-feira (3) em Viracopos no centro de manutenção da companhia, ao lado do...

    Em solenidade de abertura, 15º Festival das Cataratas destaca a retomada do turismo no Brasil

    “Estamos no momento da retomada, da esperança”, afirmou o idealizador e organizador do Festival das Cataratas, Paulo Angeli POR ZAQUEU RODRIGUES O Festival de Turismo das...

    Ministério do Turismo informa que Caixa Econômica inicia operações com recursos do Fungetur

    O Ministério do Turismo acaba de informar em nota que o Fundo Geral do Turismo (Fungetur) ganhou um importante reforço agora com a Caixa...

    Arquitetos e historiadores apoiam abaixo-assinado contra privatização do Ginásio do Ibirapuera

    Um abaixo-assinado contra o Projeto de Concessão do Governo do Estado para os equipamentos do Ginásio do Ibirapuera e do Conjunto Desportivo "Constâncio Vaz...

    Relacionadas

    Open chat