Canecão: a memória da MPB abandonada

retrospectiva_200Publicado originalmente dia 18 de outubro

por Andrea Nakane*

Impossível não associar a história da música popular brasileira a uma das casas de espetáculos mais importante e charmosa do Brasil, localizada na cidade do Rio de Janeiro: o famoso Canecão.

Do fim da década de 1960 à de 2010 , o Canecão imperou sua magnitude no cenário da produção cultural brasileira, tendo em seu palco se apresentado todos os mais relevantes intérpretes e músicos de nosso cenário, com shows que entraram na história como os de Tom Jobim, Elis Regina, Roberto Carlos, Cazuza, Maysa entre outros nomes.

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), proprietária do terreno, conseguiu recuperar o imóvel depois de quatro décadas de imbróglio judicial, gerado justamente por não receber o pagamento de aluguel do antigo responsável pelo gerenciamento da casa, Mário Priolli.

Cinco anos se passaram, a instituição educacional prometeu por diversas vezes que iria transformar o lugar em um espaço cultural público para legitimar uma maior disseminação das artes para a população, sem o cunho comercial de antigamente.

E o cenário atual entristece a todos os cariocas que passam em Botafogo, bairro nobre da zona sul e deparam-se com um impactante abandono externo, repleto de pichações e lonas rasgadas.

Se a população tivesse acesso ao seu interior, a angústia e a revolta seria maior. O revestimento acústico do teto não existe mais, há lixo e entulho por todos os lados, a instalação elétrica toda comprometida não funciona mais. Na boca de cena do palco… apenas sobrou o piso esburacado, sem nada lembrar sua áurea de pompa ao ter recebido tantos artistas por mais de 40 anos.

Um povo sem memória é um povo incompleto. Como Embaixadora do Rio de Janeiro não posso e não vou me calar ao ver tanta depreciação e desprezo por um patrimônio que carrega a alma dos cariocas

A única esperança que há é uma promessa da UFRJ para o restauro do mural “Última Ceia”, de autoria de Ziraldo, que foi feita em 1967 e desde então ficou escondida do público, embaixo de ladrilhos.

Porém a falta de verbas da instituição, que não tem dinheiro nem para honrar a qualidade que a educação superior deveria ser tratada no país, não nos deixa ser otimistas.

Com tantas obras e projetos arquitetônicos para os jogos olímpicos de 2016, não é possível que não seja identificada uma Parceria Público Privada (PPP), que seja sensibilizada pela riqueza que representa a casa e o quando faz sofrer, tantas e tantas, gerações que vivenciaram momentos inesquecíveis de entretenimento e lazer no espaço.

Sei que temos inúmeras prioridades… mas a cultura e a preservação da mesma deve também ser considerada prerrogativa de maior atenção. Imagina o cenário que será transmitido aos inúmeros turistas que irão visitar a cidade do Rio de Janeiro no ano que vem?

Um povo sem memória é um povo incompleto. Como Embaixadora do Rio de Janeiro não posso e não vou me calar ao ver tanta depreciação e desprezo por um patrimônio que carrega a alma dos cariocas.

Por isso clamo: Atenção para a situação do Canecão! Vamos juntos lutar para que ele retorne aos holofotes da nossa cultura… de onde jamais deveria ter saído de cena!

* Andréa Nakane é diretora da Mestres da Hospitalidade e professora da Universidade Metodista de São Paulo.

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Voo inaugural da GOL é recebido com batismo especial em Florianópolis 

Na noite da última quinta-feira (9), a Gol Linhas Aéreas estreou uma nova rota no Aeroporto Internacional de Florianópolis, pousando às 23h30, oriunda de...

José Ozanir sai do Bourbon: “diversas funções exercidas me fizeram ficar tanto tempo”

O hoteleiro José Ozanir Castilhos não é mais o diretor de operações do Bourbon Atibaia Resort. Ele comunicou hoje ao DIÁRIO sua saída. REDAÇÃO DO...

Blue Tree Hotels entra na era room office e lança lança My Space

A rede Blue Tree Hotels anuncia nesta sexta-feira (10) o lançamento do serviço My Space. EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências Trata-se da ambientação dos apartamentos em...

Parques temáticos e de diversão de São Paulo poderão reabrir só outubro

Assim como as feiras comerciais, serão necessárias quatro semanas na fase verde antes do retorno Agências Estaduais Os parques temáticos e de diversão poderão reabrir em...

Etnia Casa Hotel, de Trancoso (BA), reabre em 15 de julho com tecnologia em biossegurança

Tudo pronto para a reabertura. Após publicação de decreto de autorização, pela Prefeitura de Porto Seguro, a Etnia Casa Hotel retoma suas atividades em...

Conheça os  tipos de hóspedes do Intercontinental Cartagena de Índias. Um pode ser você!

Preservando as características internacionais da marca, o Intercontinental Cartagena de Índias – possui serviços e produtos que seduzem qualquer tipo de hóspede Por Paulo Atzingen...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias