Como escolher um bom vinho para um churrasco?

O leitor Dinacir Dias – churrasqueiro profissional de mão cheia, conhecido como Mr Dina em sua página no Instagram  fez uma pergunta ao Werner que gravita na cabeça de muitos apreciadores de vinho, na verdade Mr Dina fez três perguntas: “Como escolher um bom vinho para um churrasco? Qual vinho podemos combinar com uma boa costela no fogo de chão? Ou qual o melhor vinho para acompanhar um medalhão de filé mignon?

O Werner Schumacher se entusiasmou com as perguntas e diretamente do Vale dos Vinhedos, já respondeu, acompanhem:

Como escolher um bom vinho para um churrasco?

Que bela pergunta para um gaúcho responder, na verdade meio alemão e meio magro do Bonfa, ou seja, da capital. Não aquele das imensas fazendas e ligados a lida do campo repleto de gado.

Com certa frequência fazemos um costelão aqui na Casa Von Schu sob o comando do Troian, nosso vizinho que é o melhor assador do Vale dos Vinhedos e iniciamos com um bom espumante Brut e alguns petiscos, não pode faltar um bom salsichão (linguiça), afinal são longas 4 a 5 horas para ficar pronto.

Já a carne mal passada é regada com um vinho tinto encorpado, como um bom Tannat, cuja estrutura suporta muito bem uma carne vermelha. Aqui acompanhamos com uma boa salada de batata e também de folhas.

Poderia ser um Cabernet Sauvignon ou Franc. Ancelotta é também uma boa pedida. Pelo fato de meu trisavô ser oriundo do país Basco francês e ter ingressado na América Latina por Montevideo, e cavalgando, chegou a Jaguarão-RS, a preferencia é pelo Tannat.

No entanto, a democracia existe por aqui e se alguém prefere seguir com o espumante mais encorpado, ou um branco Chardonnay fermentado em barricas, todos ficam à vontade para beber o que quiser.

- Advertisement -

A minha escolha de um vinho Tannat brasileiro, embora haja muitos outros vinhos bons, recai normalmente para os vinhos da vinícola Don Laurindo, capitaneada pelo Ademir Brandelli, que foi o pioneiro na implantação de vinhedos com essa uva.

Lá pelos anos 80 não tínhamos na região uvas tintureiras que ajudassem a dar cor às demais variedades tintas, como cabernet, merlot, etc., nessa época o mercado começava a exigir vinhos tintos mais carregados de cor, quando se passou a dar mais atenção a essas variadas.

Portanto, pelo pioneirismo, a Don Laurindo é uma boa escolha. 

Entre os vinhos que recomendo da Don Laurindo, começo pelo Reserva Ancellotta, outra variedade tintureira, ótima para proporcionar cor a outras variedades, mas também cai muito bem como varietal.

 

RESERVA ANCELLOTTA – ANO DE COLHEITA: 2019
Avaliação Visual: Coloração vermelho rubi.
Avaliação Olfativa: Aroma frutado, ressaltando frutas vermelhas e negras com toques achocolatados.
Avaliação Gustativa: Em boca é aveludado, macio e envolvente.
BARRICA DE CARVALHO: 9 MESES
NÚMERO DE GARRAFAS: 3.000
ANO DE COLHEITA: 2019
VARIEDADE: ANCELLOTTA
VOLUME ALCOÓLICO: 12% VOL
TEMPERATURA DE CONSUMO: 15° A 18°C
PRODUÇÃO POR HA: 8.000 Kg/ha
COLHEITA: MANUAL
Harmonização: Acompanha pratos de sabor leve e acentuado. Risotos, massas e queijos variados.

 

Mr. Dina, se tens hábitos da cultura nativista, como o Ademir Brandelli, que gosta de uma boa cavalgada, sentirás na alma o que é um vinho que brinda as nossas raízes, muito bem expressadas no folclore gauchesco e também o Marenco, um dos grandes intérpretes da nossa música regional.

TANNAT DON MARENCO – ANO DE COLHEITA: 2018

Este é um exemplar elaborado em homenagem ao Luiz Marenco, cantor nativista que por meio da música exalta a terra, valores, hábitos e costumes gaúchos.

Avaliação visual: Muito bom aspecto de cor vermelho rubi.

Avaliação olfativa: Fino, intenso, agradável, frutado, franco, toques de carvalho.

Avalição gustativa: Amplo, maduro, sedoso, taninos potentes, bom equilíbrio com final agradável.

BARRICA DE CARVALHO: 12 MESES
ANO DE COLHEITA: 2018
VARIEDADE: TANNAT
VOLUME ALCOÓLICO: 14,0% VOL
TEMPERATURA DE CONSUMO: 15° A 18°C
PRODUÇÃO POR HA: 8.000 Kg/ha
COLHEITA: MANUAL

 

Chegamos ao pioneiro, o Reserva Tannat Don Laurindo

RESERVA TANNAT – ANO DE COLHEITA: 2018

Avaliação Visual: Coloração vermelho rubi.
Avaliação Olfativa: Frutado, remetendo frutas negras. A integração com o carvalho torna o vinho complexo, com notas de tostado e cacau.
Avaliação Gustativa: Apresenta taninos redondos, com boa estrutura e persistência.

BARRICA DE CARVALHO: 12 MESES
NÚMERO DE GARRAFAS: 20.000
ANO DE COLHEITA: 2018
VARIEDADE: TANNAT
VOLUME ALCOÓLICO: 13,5% VOL
TEMPERATURA DE CONSUMO: 15° A 18°C
PRODUÇÃO POR HA: 8.000 Kg/ha
COLHEITA: MANUAL

Harmonização: Acompanha pratos de sabor acentuado.

 

Por fim, para acompanhar um medalhão de filé alto, recomendo o Reserva Malbec Don Laurindo.

RESERVA MALBEC – ANO DE COLHEITA: 2018

Avaliação Visual: Coloração vermelho rubi.
Avaliação Olfativa: Aroma frutado, ressaltando frutas vermelhas maduras. A integração com o carvalho torna o vinho complexo, com notas que remetem a cacau e baunilha.
Avaliação Gustativa: Apresenta taninos redondos, com boa estrutura e persistência.

BARRICA DE CARVALHO: 9 MESES
NÚMERO DE GARRAFAS: 6.000
ANO DE COLHEITA: 2018
VARIEDADE: MALBEC
VOLUME ALCOÓLICO: 13% VOL
TEMPERATURA DE CONSUMO: 15° A 18°C
PRODUÇÃO POR HA: 8.000Kg/ HA
COLHEITA: MANUAL

Harmonização: Acompanha pratos de sabor médio e acentuado.

 

O que eu gosto também é o teor alcoólico não exagerado, algo como 13% volume, o que dá vinhos mais equilibrados e harmônicos, proporcionando uma melhor apreciação dos seus aromas e consequentemente sabor.

Espero Dinacir, Mr. Dina, que aprecie a nossa resposta,; lembre que o gosto é individual, portanto, subjetivo, cabendo ainda recomendar a moderação. Quanto aos grelhados de frutos do mar, a sua pergunta será respondida com brevidade. Tirando o bacalhau e a sardinha assada, que não são peixes segundo os portugueses, recomenda-se vinho tinto leve.


Notas do editor: 

A Don Laurindo controla a produtividade das uvas e encontrou um equilíbrio em torno a 8 mil quilos por hectare, além disso, toda a colheita é manual e os vinhos são elaborados em pequenos lotes, para garantir uma grande qualidade em seus vinhos.

A Don Laurindo tem uma bela linha de produtos, além de vinhos brancos e espumantes, também produz vinho licoroso, grappa e balsâmico, que pode ser visualizada em sua loja virtual https://loja.donlaurindo.com.br/.


Werner Schumacher, é o alemão brasileiro que na década de 80 e 90 do século passado trouxe os insumos da Europa para o início da vinicultura no Rio Grande do Sul, e portanto, no Brasil.

Sem meias palavras, Werner durante o último ano escreveu sobre inúmeros assuntos do universo do vinho. Defendeu a viticultura heroica de montanha, ficou do lado dos pequenos produtores de uva e vinho do Rio Grande do Sul, enalteceu a importância do enólogo em uma propriedade que produz vinho, criticou os marqueteiros que tentam desmistificar o mundo do vinho com seus produtos padronizados e sem caráter.


As perguntas a WERNER SCHUMACHER podem ser enviadas para o Whatsapp do DT: (11) – 99361-4862 – ou no próprio Comentários do Leitor (logo abaixo)


 

 

Compartilhe com um amigo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias para a sua viagem!


    Mais lidas

    Site do Editor

    O jornal dos melhores leitores

    Mais recentes

    EUA adverte que uso de aparelhos 5G pode afetar segurança aérea

    A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) alertou nesta terça-feira (07) que a interferência do uso de tecnologia 5G representava um risco...

    Aniversário da Avenida Paulista terá Nando Reis, Rincon Sapiência e piano voador

    No dia 08 de dezembro, a Avenida Paulista celebra 130 anos de fundação. Uma das vias mais tradicionais do país, ela ganha uma maratona de comemorações...

    Um observatório de mundo – por Thomas Bruno Oliveira*

    Na mercearia de meu pai, onde passei os decisivos e marcantes anos de minha infância, sempre fui um observador das coisas e das pessoas,...

    Luciana Leite, do Parque das Aves: “temos a missão de acolher a fauna vitimada”!

    Dois lugares que são considerados visitas obrigatórias para os visitantes de Foz do Iguaçu: as Cataratas e o Parque das Aves. As Cataratas são...

    Empresas de eventos e turismo têm até o final do ano para negociar dívidas tributárias

    As empresas do setor de eventos e turismo têm até o dia 29 de dezembro de 2021 para aderir aos programas de negociação de...

    Estados Unidos endurecem regras para cães procedentes do Brasil

    Os animais que chegam de países classificados como de alto risco para raiva, que inclui o Brasil, só poderão ingressar nos Estados Unidos por...

    Relacionadas

    Compartilhe com um amigo:
    Pautas e Marketing